Cam­po­ne­ses têm apoio pa­ra au­men­tar a pro­du­ção

Jornal de Angola - - PROVÍNCIAS - ARÃO MARTNS |

A ca­pa­ci­da­de pro­du­ti­va das fa­mí­li­as cam­po­ne­sas e agri­cul­to­res vai au­men­tar com a ce­dên­cia de cré­di­to fi­nan­cei­ro, con­ver­ti­do em equi­pa­men­tos e se­men­tes, em be­ne­fí­cio de 21 as­so­ci­a­ções e co­o­pe­ra­ti­vas, ten­do em vis­ta a cam­pa­nha agrí­co­la 2016/2017, que co­me­ça no pró­xi­mo mês, no mu­ni­cí­pio de Ca­lu­quem­be, na pro­vín­cia da Huí­la.

O ad­mi­nis­tra­dor mu­ni­ci­pal de Ca­lu­quem­be, Jo­sé Tchis­son­de, que pres­tou a in­for­ma­ção, du­ran­te a XIX edi­ção da ex­po­si­ção dos pro­du­tos do cam­po, que de­cor­reu até domingo, no re­cin­to do cam­po de fu­te­bol 11 da se­de mu­ni­ci­pal, dis­se que o pro­ces­so de ce­dên­cia de cré­di­to já co­me­çou e tem um va­lor glo­bal de 41 mi­lhões de kwan­zas, que es­tá a ser dis­po­ni­bi­li­za­do pe­lo Ban­co de Co­mér­cio e In­dús­tria (BCI).

Jo­sé Tchis­son­de ex­pli­cou que o fi­nan­ci­a­men­to vai per­mi­tir au­men­tar a ca­pa­ci­da­de de pro­du­ção de ce­re­ais co­mo mi­lho, mas­san­go, mas­sam­ba­la, jin­gu­ba, ger­ge­lim e so­ja, bem co­mo ca­fé, ba­ta­ta re­na e do­ce, aos cam­po­ne­ses e agri­cul­to­res as­so­ci­a­dos das co­mu­nas de Ca­le­pi, Ne­go­la e na se­de San­du­la.

O ad­mi­nis­tra­dor mu­ni­ci­pal de Ca­lu­quem­be es­cla­re­ceu que, à se­me­lhan­ça das ac­ções an­te­ri­o­res, o va­lor a ser ce­di­do per­mi­te ad­qui­rir fer­ti­li­zan­tes, se­men­tes, ins­tru­men­tos de tra­ba­lho co­mo en­xa­das, char­ru­as, ca­ta­nas, li­mas e ga­do de trac­ção ani­mal. O va­lor é re­em­bol­sá­vel nos pra­zos es­ta­be­le­ci­dos, com ju­ros bo­ni­fi­ca­dos.

Se­gun­do o ad­mi­nis­tra­dor mu­ni­ci­pal de Ca­lu­quem­be, nos anos an­te­ri­o­res, os cam­po­ne­ses e agri­cul­to­res lo­cais be­ne­fi­ci­a­ram de fi­nan­ci­a­men­tos dos ban­cos Sol e de Pou­pan­ça e Cré­di­to (BPC). Acres­cen­tou que, in­de­pen­den­te­men­te de o pro­ces­so re­que­rer uma tra­mi­ta­ção bu­ro­crá­ti­ca, por cau­sa do re­tor­no do va­lor, os ga­nhos são po­si­ti­vos.

Jo­sé Tchis­son­de ga­ran­tiu exis­ti­rem bo­as re­la­ções en­tre a Ad­mi­nis­tra­ção Mu­ni­ci­pal de Ca­lu­quem­be e os ban­cos ins­ta­la­dos na cir­cuns­cri­ção e não só, o que tem pro­pi­ci­a­do um am­bi­en­te sa­lu­tar no fi­nan­ci­a­men­to dos pro­gra­mas di­ri­gi­dos.

Os em­pre­sá­ri­os, cam­po­ne­ses e agri­cul­to­res do mu­ni­cí­pio de Ca­lu­quem­be, in­for­mou, têm ti­do su­ces­so nos pro­gra­mas de fi­nan­ci­a­men­to, no âm­bi­to do cré­di­to de cam­pa­nha de in­ves­ti­men­to agrí­co­la, mi­cro cré­di­to e do An­go­la In­vest, pro­gra­mas do Exe­cu­ti­vo vol­ta­dos à so­lu­ção dos prin­ci­pais pro­ble­mas que afec­tam a po­pu­la­ção.

Va­lo­ri­za­ção da pro­du­ção

A pro­du­ção do mi­lho no mu­ni­cí­pio de Ca­lu­quem­be es­tá mais va­lo­ri­za­da, se­gun­do o ad­mi­nis­tra­dor Jo­sé Tchis­son­de, ten­do em con­ta que an­tes o qui­lo­gra­ma de mi­lho, por exem­plo, cus­ta­va 35 kwan­zas e ac­tu­al­men­te au­men­tou pa­ra cer­ca de 90 kwan­zas. Fei­ra apre­sen­ta as po­ten­ci­a­li­da­des agrí­co­las do mu­ni­cí­pio de Ca­lu­quem­be

O ga­nho, dis­se, é uma de­mons­tra­ção da va­lo­ri­za­ção da pro­du­ção do cam­po. A par­tir da pro­du­ção do cam­po, sa­li­en­tou, o ci­da­dão con­se­gue cri­ar ren­di­men­to, sus­ten­tar a fa­mí­lia e for­mar os seus fi­lhos. “Va­mos con­ti­nu­ar a in­cen­ti­var, mo­ti­var os agri­cul­to­res a con­ti­nu­a­rem a tra­ba­lhar e trans­mi­tir o le­ga­do aos jo­vens”, afir­mou.

Aos jo­vens, Jo­sé Tchis­son­de exor­tou no sen­ti­do de es­ta­rem or­ga­ni­za­dos em as­so­ci­a­ções, pois, es­cla­re­ceu, é mais fá­cil apoi­ar uma as­so­ci­a­ção do que um em­pre­en­de­dor iso­la­do. Ex­pli­cou que uma co­o­pe­ra­ti­va dis­põe de uma es­tru­tu­ra ju­rí­di­ca, que per­mi­te pres­tar con­tas, cri­ar as­sem­bleia de só­ci­os e pe­ri­o­di­ca­men­te fa­zer o ba­lan­ço do que se faz. Ca­lu­quem­be, in­di­cou, é um mu­ni­cí­pio que tem tu­do pa­ra cres­cer nas ver­ten­tes eco­nó­mi­ca, so­ci­al e des­por­ti­va. O ad­mi­nis­tra­dor dis­se que é ob­jec­ti­vo da ad­mi­nis­tra­ção mu­ni­ci­pal “aju­dar a cri­ar uma no­va ge­ra­ção de em­pre­sá­ri­os, de empreendedores e pro­du­to­res, pa­ra par­ti­ci­pa­rem efec­ti­va­men­te no de­sen­vol­vi­men­to da re­gião”.

A ad­mi­nis­tra­ção mu­ni­ci­pal es­tá dis­po­ní­vel pa­ra apoi­ar ini­ci­a­ti­vas que vi­sam pro­por­ci­o­nar o bem-es­tar da po­pu­la­ção e pro­du­zir alimentos em gran­de es­ca­la, ga­ran­tiu o ad­mi­nis­tra­dor Jo­sé Tchis­son­de. O ad­mi­nis­tra­dor mu­ni­ci­pal anun­ci­ou a aber­tu­ra, nos pró­xi­mos tem­pos, de um bal­cão do Ban­co Afri­ca­no de In­ves­ti­men­tos (BAI). Ex­pli­cou que a aber­tu­ra da no­va agên­cia, no mu­ni­cí­pio, vai au­men­tar a ca­pa­ci­da­de e a di­ver­si­da­de dos em­pre­sá­ri­os e em­pre­sas, bem co­mo per­mi­tir aos ci­da­dãos e fun­ci­o­ná­ri­os pú­bli­cos efec­tu­ar, com mais so­li­dez, as tran­sac­ções fi­nan­cei­ras. Es­cla­re­ceu que, no mu­ni­cí­pio, já fun­ci­o­nam agên­ci­as do BPC, BFA e BAI.

Os par­ti­ci­pan­tes da XIX edi­ção da Ex­po-Ca­lu­quem­be de­fen­de­ram a ne­ces­si­da­de de re­for­çar-se o con­tro­lo da pro­du­ção fei­ta no mu­ni­cí­pio. Fo­ram ex­pos­tos no cer­ta­me pro­du­tos co­mo mi­lho bran­co, ama­re­lo, fa­ri­nha de mi­lho, ba­ta­ta, jin­gu­ba, man­di­o­ca, ce­bo­la, ce­nou­ra e ca­fé. Es­ti­ve­ram ain­da à dis­po­si­ção ser­vi­ços pres­ta­dos pe­lo sec­tor da Saú­de e da Edu­ca­ção, en­tre ou­tros.

A se­cre­tá­ria-ge­ral do nú­cleo da As­so­ci­a­ção Agro-pe­cuá­ria, Co­mer­ci­al e In­dus­tri­al na Huí­la (AAPCIL), no mu­ni­cí­pio de Ca­lu­quem­be, Vi­tó­ria Ri­bas, dis­se que a re­gião pro­duz, em gran­de es­ca­la, mi­lho, mas­san­go, mas­sam­ba­la, ba­ta­ta e hor­tí­co­las.

So­bre a Ex­po-Ca­lu­quem­be, on­de par­ti­ci­pa­ram trin­ta ex­po­si­to­res oriun­dos das co­mu­nas do Ca­le­pi, Ne­go­la, San­du­la e al­guns da Ca­con­da e de Chi­com­ba, Vi­tó­ria Ri­bas dis­se que ser­viu mais uma vez pa­ra de­mons­trar o po­ten­ci­al exis­ten­te na re­gião e o com­pro­mis­so da par­ti­ci­pa­ção da po­pu­la­ção na pro­du­ção de di­ver­sos alimentos em gran­de es­ca­la

ARÃO MARTINS|CA­LU­QUEM­BE

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.