Po­lí­cia Na­ci­o­nal as­se­gu­ra o re­gis­to eleitoral

Jornal de Angola - - POLÍTICA - MAIOMONA AR­TUR | Sas­sa Cá­ria

O co­man­dan­te-ge­ral da Po­lí­cia Na­ci­o­nal afir­mou, na ci­da­de de Ca­xi­to, pro­vín­cia do Ben­go, que os efec­ti­vos da cor­po­ra­ção es­tão pre­pa­ra­dos pa­ra as­se­gu­rar o pro­ces­so de actualização do re­gis­to eleitoral, pa­ra que de­cor­ra num cli­ma de paz, or­dem e har­mo­nia. O co­mis­sá­ri­o­ge­ral Am­bró­sio de Le­mos fez es­ta ga­ran­tia no ac­to de en­cer­ra­men­to do se­gun­do cur­so bá­si­co de Or­dem Pú­bli­ca, re­a­li­za­do no Cen­tro de Ins­tru­ção do Sas­sa-Cá­ria.

Am­bró­sio de Le­mos exor­tou a po­pu­la­ção no sen­ti­do de ob­ser­var as re­gras de boa con­vi­vên­cia so­ci­al, bons cos­tu­mes e par­ti­ci­par de for­ma cí­vi­ca e or­dei­ra no pro­ces­so de actualização do re­gis­to eleitoral, que de­cor­re des­de o dia 25 de Agos­to. Os no­vos efec­ti­vos da Po­lí­cia Na­ci­o­nal, de­fen­deu, de­ve­rão as­su­mir uma ati­tu­de fir­me e ri­go­ro­sa, mas de cor­te­sia na sua re­la­ção com os ci­da­dãos. Es­sa re­la­ção, dis­se, de­ve ter co­mo pi­lar fun­da­men­tal o res­pei­to pe­la dig­ni­da­de hu­ma­na, pa­ra que se ele­ve os ní­veis de con­fi­an­ça da po­pu­la­ção pa­ra com a cor­po­ra­ção.

O co­man­dan­te-ge­ral da Po­lí­cia Na­ci­o­nal ape­lou aos no­vos efec­ti­vos no sen­ti­do de ob­ser­va­rem ri­go­ro­sa­men­te as nor­mas e re­gu­la­men­tos vi­gen­tes na cor­po­ra­ção. Es­cla­re­ceu que as nor­mas e os re­gu­la­men­tos da Po­lí­cia Na­ci­o­nal pas­sam pe­las bo­as prá­ti­cas, em­pe­nho e de­di­ca­ção, pres­su­pos­tos que, su­bli­nhou, são de­ter­mi­nan­tes pa­ra o pro­gres­so na carreira po­li­ci­al. O Co­man­do Pro­vin­ci­al da Po­lí­cia Na­ci­o­nal foi re­for­ça­do com 217 no­vos efec­ti­vos de Or­dem Pú­bli­ca, que vão au­men­tar a ca­pa­ci­da­de de ope­ra­ci­o­na­li­da­de nos seis mu­ni­cí­pi­os que com­põem a pro­vín­cia do Ben­go.

Os no­vos efec­ti­vos da Po­lí­cia de Or­dem Pú­bli­ca apren­de­ram ma­té­ri­as re­la­ci­o­na­das com a or­dem uni­da, con­ti­nên­ci­as e hon­ras mi­li­ta­res, ac­ções de so­cor­ro, tác­ti­cas e téc­ni­cas de com­ba­te, ar­ma­men­to e pre­pa­ra­ção de ti­ro, gi­nás­ti­ca de apli­ca­ção mi­li­tar, de­fe­sa pes­so­al e no­ções de lín­gua por­tu­gue­sa, cri­mi­na­lís­ti­ca e le­gis­la­ção ro­do­viá­ria. A ac­ção for­ma­ti­va du­rou no­ve me­ses e vi­sou do­tar os efec­ti­vos de co­nhe­ci­men­tos e pre­pa­ra­ção téc­ni­ca po­li­ci­al ade­qua­dos à re­a­li­da­de do país e do Ben­go em par­ti­cu­lar, bem co­mo de­sen­vol­ver nos for­man­dos uma men­ta­li­da­de de res­pei­to às leis do país e de­di­ca­ção ao ser­vi­ço pú­bli­co.

Na ter­ça-fei­ra, em ca­bin­da, o mi­nis­tro da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio fez um ba­lan­ço po­si­ti­vo do an­da­men­to do pro­ces­so de actualização dos da­dos elei­to­rais em to­do o país e re­a­fir­mou que o re­gis­to eleitoral ofi­ci­o­so é da res­pon­sa­bi­li­da­de da Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca e não da CNE, co­mo al­guns par­ti­dos po­lí­ti­cos da opo­si­ção fa­zem crer aos seus mi­li­tan­tes. Bor­ni­to de Sou­sa re­fe­riu que a Cons­ti­tui­ção da Re­pú­bli­ca es­ta­be­le­ce que o pro­ces­so de re­gis­to elei­to­ra­la­go­ra é fei­to ofi­ci­o­sa­men­te pe­los ór­gãos da Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca.

PAU­LO MULAZA

Co­man­dan­te Am­bró­sio de Le­mos ga­ran­te pro­tec­ção to­tal aos lo­cais de re­gis­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.