Ma­te­ri­ais ino­va­do­res de­sa­fi­am a ima­gi­na­ção

Jornal de Angola - - OPINIÃO - ANNE-LAURE MONDESERT | AFP

Bor­da­dos com fi­bra óp­ti­ca lu­mi­no­sa, cou­ros la­vá­veis à má­qui­na e rou­pa con­fec­ci­o­na­da com gar­ra­fas de plás­ti­co re­ti­ra­das do mar são os ma­te­ri­ais que fa­rão a mo­da de ama­nhã e que os­ci­lam en­tre a ino­va­ção tec­no­ló­gi­ca e as pre­o­cu­pa­ções eco­ló­gi­cas.

Cou­ro la­vá­vel e pe­le de pei­xe

Já não se­rá ne­ces­sá­rio ir à tin­tu­ra­ria pa­ra lim­par o seu ca­sa­co ou saia de cou­ro. Os es­pe­ci­a­lis­tas de­sen­vol­ve­ram cou­ros la­vá­veis à má­qui­na, co­mo a em­pre­sa fran­ce­sa Pe­ch­do, que os apre­sen­tou es­te mês no sa­lão de te­ci­dos “Pre­miè­re Vi­si­on Pa­rís”, an­tes da Se­ma­na de Mo­da que co­me­ça na ter­ça-fei­ra na ca­pi­tal fran­ce­sa.

O ob­jec­ti­vo é “tor­nar o cou­ro mais prá­ti­co em ter­mos de uti­li­za­ção”, ex­pli­cou à AFP Ca­ro­li­ne Krug, di­rec­to­ra des­ta em­pre­sa de cur­tu­me que pro­põe há du­as dé­ca­das cou­ros de va­ca que po­dem ser la­va­dos na má­qui­na a 30 graus.

Pa­ra se adap­tar às ne­ces­si­da­des da vi­da mo­der­na, a em­pre­sa de­sen­vol­veu tam­bém um cou­ro que po­de ser uti­li­za­do em te­las tác­teis, pa­ra po­der usar o te­le­fo­ne sem ter que re­ti­rar as lu­vas.

A is­lan­de­sa Atlan­tic Le­ather, es­pe­ci­a­li­za­da em pe­les de pei­xe, pro­põe uma téc­ni­ca de cur­ti­men­to ve­ge­tal do sal­mão com cas­ca de acá­cia.

“As pes­so­as pen­sam ca­da vez mais no de­sen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel”, afir­mou o seu di­rec­tor, Gunns­teinn Björns­son, cu­jo país é o pa­la­di­no das ener­gi­as re­no­vá­veis. As su­as pe­les são des­ti­na­das prin­ci­pal­men­te à con­fec­ção de sa­pa­tos e car­tei­ras.

Es­ti­mu­la­da por um en­fo­que “eco-res­pon­sá­vel”, a fran­ce­sa Ma­ri­el­le Phi­lip tam­bém lan­çou uma em­pre­sa emer­gen­te que re­cu­pe­ra nas pes­ca­ri­as lo­cais tru­tas, lin­gua­dos e ro­ba­los pa­ra cur­tir as su­as res­pec­ti­vas pe­les “sem pro­du­tos quí­mi­cos”. Pa­ra tin­gi-las, re­cor­re a uma ofi­ci­na es­pe­ci­a­li­za­da.

Da gar­ra­fa de plás­ti­co à cal­ça

A mo­da po­de pro­vir in­clu­si­ve de re­cur­sos ma­ri­nhos mais in­de­se­já­veis: a es­pa­nho­la Tex­til San­tan­de­ri­na tra­ba­lha com pes­ca­do­res en­car­re­ga­dos de re­ti­rar gar­ra­fas de plás­ti­co que po­lu­em o mar Me­di­ter­râ­neo. O plás­ti­co de­pois é trans­for­ma­do em fi­bra de po­liés­ter, que é tra­ta­da e tin­gi­da com pro­ce­di­men­tos que gas­tam pou­ca água e ener­gia, se­gun­do o de­sig­ner Jor­di Bal­lus.

De ca­da to­ne­la­da re­co­lhi­da no mar, re­cu­pe­ra-se 40 por cen­to, de­ta­lha. Es­te po­liés­ter po­de de­pois ser com­bi­na­do com al­go­dão re­ci­cla­do e ten­cel - uma fi­bra na­tu­ral pa­ra fa­zer cal­ças, ca­sa­cos e ca­mi­sas.

Se­gun­da pe­le

Com o seu cou­ro trans­pa­ren­te si­mi­lar à pe­le hu­ma­na, ape­sar de mais gros­so que es­ta, a em­pre­sa tur­ca Anil Tan­nery ga­nhou o prémio à ima­gi­na­ção. O pro­du­to ilus­trou uma das gran­des ten­dên­ci­as do sa­lão, se­gun­do Pas­ca­li­ne Wi­lhelm, di­rec­to­ra de mo­da da Pre­mi­e­re Vi­si­on.

“Há uma qu­an­ti­da­de de ino­va­ções fa­bu­lo­sas em tor­no das no­vas pe­les, de pro­du­tos sin­té­ti­cos, se­do­sos ou de cou­ro, que são co­mo uma se­gun­da pe­le, ou pe­les de ro­bot”, co­men­tou. Es­tes im­pres­si­o­nan­tes te­ci­dos de al­ta clas­se são de fa­bri­co ja­po­nês, ita­li­a­no ou fran­cês. De cor da pe­le, li­sos ou en­ru­ga­dos, imi­tam tam­bém es­ca­mas, re­cor­ta­das com la­ser.

Fi­bra óp­ti­ca e con­to de fa­das

Pro­du­to­ra de te­ci­dos lu­mi­no­sos em fi­bra óp­ti­ca e LED, a em­pre­sa ita­li­a­na Dre­am­lux en­con­trou uma so­lu­ção ho­je pa­ten­te­a­da que con­sis­te em “en­tre­la­çar fi­bra óp­ti­ca no pró­prio te­ci­do”, ex­pli­cou o seu di­rec­tor co­mer­ci­al, Fla­vio Fat­to­ri­ni.

Uma téc­ni­ca uti­li­za­da em es­pe­ci­al no es­pec­ta­cu­lar e des­lum­bran­te ves­ti­do re­a­li­za­do por Zac Po­sen pa­ra a ac­triz Clai­re Da­nes, que o exi­biu nu­ma fes­ta de ga­la do Met de No­va Ior­que em Maio pas­sa­do, as­sim co­mo num ves­ti­do pa­ra um show da can­to­ra Lau­ra Pau­si­ni.

Por úl­ti­mo, o fa­bri­can­te de te­ci­dos Bar­zaghi lan­çou os fi­os lu­mi­no­sos pa­ra fa­zer bor­da­dos: du­as ho­ras de re­car­ga ga­ran­tem uma lu­mi­no­si­da­de du­ran­te 40 ho­ras.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.