NO­VO ROMANCE Va­al Ne­to in­cen­ti­va os jo­vens à lei­tu­ra

Jornal de Angola - - DESPORTO - MA­NU­EL ALBANO |

Dra­ma, amor, trai­ção e fac­tos re­ais, no con­tex­to da re­pres­são co­lo­ni­al e da lu­ta pe­la In­de­pen­dên­cia Na­ci­o­nal, é a pro­pos­ta do romance “Nel­son Ara­gão”, da au­to­ria de Hen­drik Va­al Ne­to, apre­sen­ta­do on­tem na União dos Es­cri­to­res An­go­la­nos (UEA), em Lu­an­da.

Du­ran­te a apre­sen­ta­ção do li­vro, Hen­drik Va­al Ne­to dis­se que o ob­jec­ti­vo prin­ci­pal foi pro­du­zir uma obra pa­ra trans­mi­tir à ju­ven­tu­de co­nhe­ci­men­tos so­bre a his­tó­ria dos an­go­la­nos, con­ta­da no li­vro de for­ma su­a­ve. “O pro­pó­si­to do li­vro não foi re­cor­dar lem­bran­ças amar­gas, mas po­der dei­xar um le­ga­do po­si­ti­vo às no­vas ge­ra­ções.”

Va­al Ne­to en­co­ra­jou ou­tros es­cri­to­res e na­ci­o­na­lis­tas da sua épo­ca a fa­ze­rem o mes­mo exer­cí­cio, co­mo for­ma de in­cen­ti­var os es­tu­dan­tes e aca­dé­mi­cos à pes­qui­sa e in­ves­ti­ga­ção so­bre a his­tó­ria de An­go­la.

O es­cri­tor e apre­sen­ta­dor do li­vro, Luís Fer­nan­do, que pre­fa­ci­ou o romance “Nel­son Ara­gão”, re­al­çou que o au­tor foi tam­bém “be­ber à nas­cen­te pa­ra dar-nos no­ta fic­ci­o­na­da de uma co­mo­ve­do­ra an­dan­ça ge­ra­ci­o­nal, tí­pi­ca da­que­le ci­clo de re­bel­dia fe­cun­da, nas vés­pe­ras ten­sas do de­ci­si­vo ano de 1961 com as su­as sa­cu­di­de­las se­quen­ci­a­das em Ja­nei­ro, Fe­ve­rei­ro e Mar­ço”. O ar­ce­bis­po emé­ri­to do Lu­ban­go, Dom Za­ca­ri­as Ka­mu­e­nho, pre­sen­te na ce­ri­mó­nia, lem­brou a fi­gu­ra hu­ma­nis­ta e ca­pa­ci­da­de de in­te­ra­gir do es­cri­tor com to­das as ge­ra­ções, mo­ti­vo que o tor­na um es­cri­tor pro­fun­do nas su­as abor­da­gens. O re­ve­ren­do e pas­tor da Igre­ja To­coís­ta Gar­cia Luyeye, em re­pre­sen­ta­ção do bis­po Afon­so Nu­nes, res­pon­sá­vel má­xi­mo da Igre­ja, cha­ma a aten­ção dos jo­vens pa­ra a cul­tu­ra dos há­bi­tos de lei­tu­ra e com­pra de li­vros.

Hen­drik Va­al Ne­to nas­ceu na ci­da­de da Ga­be­la, a 22 de Novembro de 1944. Fi­lho de fun­ci­o­ná­rio pú­bli­co, co­lo­ca­do em vá­ri­as lo­ca­li­da­des no in­te­ri­or do ter­ri­tó­rio ao lon­go da sua carreira des­de os anos 30, Hen­drik Va­al Ne­to te­ve a pos­si­bi­li­da­de de per­cor­rer An­go­la em to­da a sua imen­si­dão, con­vi­ven­do com a re­a­li­da­de co­lo­ni­al e so­li­da­ri­zan­do­se com as pes­so­as mais so­fri­das. Mas o apro­fun­da­men­to des­sa co­a­bi­ta­ção com as po­pu­la­ções deu-se, so­bre­tu­do, du­ran­te a lu­ta de li­ber­ta­ção na­ci­o­nal, na qual par­ti­ci­pou a vá­ri­os ní­veis, tan­to no in­te­ri­or co­mo no ex­te­ri­or do país.

O li­vro “Ga­mal” é fru­to des­sa ex­pe­ri­ên­cia. Ou­tras obras do au­tor são “Va­gue­an­do” (co­lec­tâ­nea de po­e­mas e pro­vér­bi­os an­go­la­nos em lín­guas na­ci­o­nais), “Ro­que” (romance de um mer­ca­do de Lu­an­da), “Es­tig­mas Sa­gra­dos” (tex­tos so­bre a lu­ta de li­ber­ta­ção), “Flor de Cac­tos” (po­e­má­rio) e “Ma­ka­la” (romance).

SAN­TOS PE­DRO

Li­vro “Nel­son Ara­gão” é ba­se­a­do em fac­tos re­ais e abor­da a re­pres­são co­lo­ni­al

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.