Co­mis­sá­ri­os re­ce­bem for­ma­ção so­bre su­per­vi­são

Jornal de Angola - - POLÍTICA - JOÃO SIL­VA | Dun­do WEZA PASCOAL | Me­non­gue

A Co­mis­são Pro­vin­ci­al Elei­to­ral da Lun­da Nor­te re­a­li­zou no Dun­do um se­mi­ná­rio de ca­pa­ci­ta­ção e de re­fres­ca­men­to dos co­mis­sá­ri­os pro­vin­ci­ais e pre­si­den­tes das co­mis­sões mu­ni­ci­pais elei­to­rais em ma­té­ri­as li­ga­das à su­per­vi­são dos ac­tos de re­gis­to elei­to­ral.

A ac­ção for­ma­ti­va e de actualização vi­sou do­tar os agen­tes elei­to­rais de ca­pa­ci­da­des e ha­bi­li­da­des pa­ra exer­cer com efi­ci­ên­cia as ta­re­fas da Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral (CNE), re­la­ti­va­men­te à or­ga­ni­za­ção, pre­pa­ra­ção e con­du­ção dos pro­ces­sos de elei­ções, de for­ma a tor­nar fá­cil e cor­rec­ta a in­ter­pre­ta­ção e re­gu­la­men­ta­ção da Lei do Re­gis­to Elei­to­ral Ofi­ci­o­so, da di­rec­ti­va da CNE no do­mí­nio da su­per­vi­são e da Lei da Co­di­fi­ca­ção das Cir­cuns­cri­ções Ter­ri­to­ri­ais.

O pre­si­den­te da Co­mis­são Pro­vin­ci­al Elei­to­ral da Lun­da Nor­te, Do­min­gos Mu­ta­le­no, es­cla­re­ceu que a Lei do Re­gis­to Ofi­ci­o­so de­ter­mi­na que o re­gis­to é da res­pon­sa­bi­li­da­de dos ór­gãos da Ad­mi­nis­tra­ção do Es­ta­do, no ca­so os Go­ver­nos Pro­vin­ci­ais e as Ad­mi­nis­tra­ções Mu­ni­ci­pais e Co­mu­nais, sob co­or­de­na­ção do Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio, en­quan­to a CNE tem a fun­ção de su­per­vi­so­ra. Pa­ra a exe­cu­ção do re­gis­to elei­to­ral ofi­ci­o­so, as co­mis­sões elei­to­rais de­vem ter a com­pe­tên­cia de or­ga­ni­zar, re­a­li­zar, co­or­de­nar e con­du­zir os pro­ces­sos de elei­ções de for­ma equi­dis­tan­te, isen­ta, res­pon­sá­vel e trans­pa­ren­te.

No âm­bi­to da su­per­vi­são do re­gis­to elei­to­ral pre­sen­ci­al, o pre­si­den­te da CPE da Lun­da Nor­te dis­se es­ta­rem pre­vis­tos mais dois pro­ces­sos, que de­vem ser efec­tu­a­dos até fi­nal de De­zem­bro, no­me­a­da­men­te o pré-ma­pe­a­men­to dos lo­cais pa­ra a im­ple­men­ta­ção das as­sem­blei­as e me­sas de vo­to e a co­di­fi­ca­ção das di­vi­sões ter­ri­to­ri­ais do país em ge­ral e da pro­vín­cia em par­ti­cu­lar. Do­min­gos Mu­ta­le­no ape­lou aos par­ti­ci­pan­tes do se­mi­ná­rio pa­ra o tra­ba­lho em con­jun­to com os ór­gãos lo­cais do Es­ta­do, pa­ra mi­ni­mi­zar as fa­lhas cons­ta­ta­das no plei­to elei­to­ral an­te­ri­or, no to­can­te ao pro­ces­so de ma­pe­a­men­to das as­sem­blei­as e me­sas de vo­to e a ela­bo­ra­ção dos ca­der­nos elei­to­rais.

Des­te mo­do, de­fen­deu que se te­nha em con­ta os pon­tos de re­fe­rên­cia a se­rem apre­sen­ta­dos pe­los ci­da­dãos elei­to­res, no âm­bi­to do re­gis­to de actualização dos seus da­dos. Exor­tou pa­ra um mai­or en­ga­ja­men­to, cum­pri­men­to es­cru­pu­lo­so das leis, res­pon­sa­bi­li­da­de, trans­pa­rên­cia, isen­ção e con­du­ta cí­vi­ca, mo­ral e pa­trió­ti­ca du­ran­te os pe­río­dos pré e pós-elei­to­ral.

No fi­nal do se­mi­ná­rio, os co­mis­sá­ri­os pro­vin­ci­ais e os pre­si­den­tes das co­mis­sões mu­ni­ci­pais elei­to­rais da Lun­da Nor­te com­pro­me­te­ram-se a pôr em prá­ti­ca as ma­té­ri­as apre­en­di­das, pa­ra evi­tar que o pro­ces­so de­cor­ra fo­ra da nor­ma­li­da­de e aquém das ex­pec­ta­ti­vas dos ci­da­dãos vo­tan­tes.

Sa­tis­fa­ção em Ben­gue­la

O se­gun­do se­cre­tá­rio do Co­mi­té Pro­vin­ci­al do MPLA em Ben­gue­la, Ve­rís­si­mo Sa­pa­lo, con­si­de­rou quar­ta-fei­ra sa­tis­fa­tó­ria a afluên­cia de ci­da­dãos aos pos­tos de re­gis­to elei­to­ral da pro­vín­cia. Em de­cla­ra­ções à im­pren­sa, à mar­gem da se­gun­da reu­nião or­di­ná­ria do Co­mi­té Mu­ni­ci­pal do MPLA em Ben­gue­la, o po­lí­ti­co su­bli­nhou que, nos dez mu­ni­cí­pi­os da pro­vín­cia, o pro­ces­so de­cor­re a bom rit­mo e, a cur­to pra­zo, o seu par­ti­do po­de­rá fa­zer uma ava­li­a­ção so­bre o en­vol­vi­men­to dos seus mi­li­tan­tes no pro­ces­so. No que diz res­pei­to ao cres­ci­men­to do MPLA, Ve­rís­si­mo Sa­pa­lo as­se­gu­rou que o par­ti­do es­tá fir­me, uma vez que, pe­ri­o­di­ca­men­te, no­vos mi­li­tan­tes es­tão a afluir às su­as fi­lei­ras.

“Des­de o mês pas­sa­do, que os ór­gãos de co­mu­ni­ca­ção so­ci­al fi­ze­ram a co­ber­tu­ra das ac­ti­vi­da­des que ti­ve­ram lu­gar em três mu­ni­cí­pi­os, com ac­tos de in­gres­so de no­vos mi­li­tan­tes ao MPLA, mas o pro­ces­so con­ti­nua”, dis­se. Em fun­ção do cres­ci­men­to que se re­gis­ta a ní­vel pro­vin­ci­al, o po­lí­ti­co su­bli­nhou que o mo­men­to é de fa­zer con­tas pa­ra se con­fe­rir uma vi­tó­ria es­ma­ga­do­ra nas elei­ções de 2017. Du­ran­te o en­con­tro, os mem­bros do Co­mi­té Mu­ni­ci­pal do MPLA ana­li­sa­ram o cres­ci­men­to do par­ti­do, a actualização do re­gis­to elei­to­ral em cur­so no país, as pro­pos­tas das com­po­si­ções dos gru­pos de acom­pa­nha­men­to às co­mu­nas, as­sim co­mo da co­mis­são de au­di­to­ria e dis­ci­pli­na.

UNITA mo­bi­li­za elei­to­res

O se­cre­ta­ri­a­do pro­vin­ci­al da UNITA no Cu­an­do Cu­ban­go es­tá a de­sen­vol­ver nas ru­as e mer­ca­dos da ci­da­de de Me­non­gue cam­pa­nhas de sen­si­bi­li­za­ção da po­pu­la­ção pa­ra ade­rir em mas­sa ao pro­ces­so de actualização do re­gis­to elei­to­ral. Com re­cur­so a uma car­ri­nha, com apa­re­lha­gem de som, os mi­li­tan­tes per­cor­rem as ar­té­ri­as de Me­non­gue e mer­ca­dos da pe­ri­fe­ria, con­vi­dan­do a po­pu­la­ção a fa­zer a pro­va de vi­da nos pos­tos de actualização elei­to­ral.

O se­cre­tá­rio pro­vin­ci­al, Adri­a­no Sa­piña­la, dis­se que a mai­o­ria dos mi­li­tan­tes ain­da não ade­riu ao pro­ces­so, por­que acham que a UNITA tam­bém vai efec­tu­ar um ou­tro re­gis­to, ra­zão pe­la qual es­tá a en­trar em con­tac­to com a po­pu­la­ção pa­ra ex­pli­car que o re­gis­to elei­to­ral é da com­pe­tên­cia do Go­ver­no à luz da Lei nº8/15 so­bre o re­gis­to ofi­ci­o­so e co­mo tal de­vem ade­rir em mas­sa.

A cam­pa­nha, fri­sou, tem tam­bém co­mo ob­jec­ti­vo ava­li­ar o im­pac­to da cri­se eco­nó­mi­ca e fi­nan­cei­ra no seio da po­pu­la­ção, de­vi­do à al­ta de pre­ços nos mer­ca­dos, can­ti­nas e lo­jas da ci­da­de de Me­non­gue. “Es­ta é uma ex­pe­ri­ên­cia sa­lu­tar. Fo­mos bem re­ce­bi­dos pe­la po­pu­la­ção e va­mos con­ti­nu­ar com es­ta ex­pe­ri­ên­cia de diá­lo­go com a po­pu­la­ção pa­ra ou­vi-los e dar a co­nhe­cer aqui­lo que a UNITA pen­sa pa­ra o país, so­bre­tu­do o pro­gra­ma da UNITA pa­ra as pró­xi­mas elei­ções”, re­fe­riu.

Dis­se ser ne­ces­sá­rio aler­tar o po­vo que, in­de­pen­den­te­men­te dos ní­veis de in­sa­tis­fa­ção do seu par­ti­do, o re­gis­to é da res­pon­sa­bi­li­da­de do Go­ver­no e a UNITA, co­mo can­di­da­ta às elei­ções ge­rais de 2017, não po­de fa­zer o re­gis­to de elei­to­res.

Adri­a­no Sa­piña­la dis­se exis­tir uma cer­ta inér­cia das bri­ga­das de re­gis­to elei­to­ral que tra­ba­lham nos mu­ni­cí­pi­os de Ma­vin­ga, Ri­vun­go, Cu­an­gar, Di­ri­co e Ca­lai, su­as prin­ci­pais pra­ças elei­to­rais no Cu­an­do Cu­ban­go, ale­ga­da­men­te por ra­zões téc­ni­cas. “Es­ta­mos a ver que o pro­ces­so de actualização do re­gis­to elei­to­ral ain­da não com­ple­tou um mês e os apa­re­lhos já não es­tão a cor­res­pon­der com a di­nâ­mi­ca. O re­gis­to elei­to­ral tem um tem­po de­ter­mi­na­do de se­te me­ses, co­mo é que fi­ca­re­mos até lá? A nos­sa pre­o­cu­pa­ção é que o po­vo pre­ci­sa de ser re­gis­ta­do, co­mo é que fa­re­mos se não fo­rem re­gis­ta­dos? To­da a res­pon­sa­bi­li­da­de se­rá do Go­ver­no”, dis­se

O di­rec­tor pro­vin­ci­al dos Re­gis­tos, Jo­sé Mar­tins, con­tac­ta­do pe­lo Jor­nal de An­go­la, con­si­de­rou as de­cla­ra­ções do res­pon­sá­vel da UNITA de in­fun­da­das, por­que to­das as bri­ga­das ins­ta­la­das nos no­ve mu­ni­cí­pi­os da pro­vín­cia do Cu­an­do Cu­ban­go es­tão a tra­ba­lhar sem so­bres­sal­tos. Des­de o dia 25 de Agos­to até à pre­sen­te da­ta, mais de 17.368 pes­so­as já fi­ze­ram a pro­va de vi­da, sen­do 12.289 no mu­ni­cí­pio de Me­non­gue, 3.236 no Cuí­to Cu­a­na­va­le, 1.408 no Cu­chi, 167 no Ri­vun­go, 100 no Di­ri­co, 68 no Nan­co­va, 52 no Cu­an­gar e 48 no Ca­lai. Não foi pos­sí­vel ob­ter os da­dos do mu­ni­cí­pio de Ma­vin­ga, por exis­ti­rem al­guns pro­ble­mas de in­ter­net pa­ra o en­vio dos da­dos.

JAQUELINO FI­GUEI­RE­DO

Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral con­ti­nua a re­a­li­zar ac­ções for­ma­ti­vas em to­das as pro­vín­ci­as pa­ra o pes­so­al en­vol­vi­do no pro­ces­so

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.