Se­gu­ro agrí­co­la é pri­o­ri­da­de

Jornal de Angola - - ECONOMIA -

A se­cre­tá­ria de Es­ta­do do Or­ça­men­to, Aia-Eza da Sil­va, de­fen­deu ter­ça-fei­ra, em Lu­an­da, a im­ple­men­ta­ção ur­gen­te do se­gu­ro agrí­co­la no país, uma vez que o mer­ca­do de se­gu­ros em An­go­la re­gis­ta um cres­ci­men­to e já apre­sen­ta co­mo de­sa­fio o sur­gi­men­to de pro­du­tos ca­da vez mais ino­va­do­res e que sir­vam a so­ci­e­da­de.

In­ter­vin­do no se­mi­ná­rio so­bre o “Pa­pel dos se­gu­ros e fun­dos de pen­sões no de­sen­vol­vi­men­to eco­nó­mi­co e so­ci­al”, que mar­cou o ter­cei­ro ani­ver­sá­rio da cri­a­ção da Agên­cia An­go­la­na de Re­gu­la­ção e Su­per­vi­são de Se­gu­ros (Ar­seg), Aia-Eza da Sil­va ad­mi­tiu que o mer­ca­do de se­gu­ros es­tá em fran­co cres­ci­men­to, o qual re­flec­te-se no au­men­to de se­gu­ra­do­ras que o mer­ca­do in­ter­no re­gis­ta e na qua­li­da­de do ser­vi­ço pres­ta­do.

“O de­sa­fio, ago­ra, não es­tá em cres­cer em quan­ti­da­de, mas em qua­li­da­de e no le­que de ser­vi­ços que são ofe­re­ci­dos”, aler­tou, ao su­bli­nhar que “o mo­men­to é bas­tan­te de­sa­fi­an­te, não só pa­ra a ma­cro­e­co­no­mia e fi­nan­ças pú­bli­cas an­go­la­nas, mas pa­ra to­do o país”. Pa­ra a se­cre­tá­ria do Or­ça­men­to, o “mo­men­to é o da di­ver­si­fi­ca­ção da eco­no­mia” e, pa­ra is­so, “pre­ci­sa­mos de mi­ti­gar os prin­ci­pais ris­cos e a ac­ti­vi­da­de agrí­co­la é cla­ra­men­te de enor­me ris­co.” Na óp­ti­ca da se­cre­ta­ria de Es­ta­do, pa­ra di­ver­si­fi­car, é ne­ces­sá­rio se­gu­rar, con­ter ris­cos, mi­ti­gar os prin­ci­pais ris­cos de to­da a ac­ti­vi­da­de. “O pe­río­do é bas­tan­te de­sa­fi­an­te e o de­sa­fio es­tá na ino­va­ção dos pro­du­tos que sir­vam a so­ci­e­da­de co­mo um to­do”, afir­mou Aia-Eza da Sil­va, ao con­si­de­rar fun­da­men­tal a im­ple­men­ta­ção do se­gu­ro agrí­co­la, uma apos­ta que vai con­tri­buir pa­ra a ace­le­ra­ção do pro­ces­so de di­ver­si­fi­ca­ção da eco­no­mia em cur­so no país.

A Ar­seg tem re­gis­ta­dos, ac­tu­al­men­te, 24 se­gu­ra­do­ras, seis so­ci­e­da­des ges­to­ras de fun­dos de pen­sões, 51 so­ci­e­da­des de me­di­a­ção e cor­re­ta­gem e 446 me­di­a­do­res in­di­vi­du­ais. O pre­si­den­te do Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção da Ar­seg, Agui­nal­do Jai­me, fa­lou já dos es­for­ços pa­ra ex­pan­dir a ma­té­ria se­gu­rá­vel, no sen­ti­do de tor­nar a in­dús­tria sus­ten­tá­vel.

“Va­mos ace­le­rar a obri­ga­to­ri­e­da­de da con­tra­ta­ção no mer­ca­do se­gu­ra­dor lo­cal do se­gu­ro de im­por­ta­ção de mer­ca­do­ri­as, a ope­ra­ci­o­na­li­za­ção do se­gu­ro agrí­co­la, a re­es­tru­tu­ra­ção do se­gu­ro das ac­ti­vi­da­des pe­tro­lí­fe­ras, a cri­a­ção da res­se­gu­ra­do­ra na­ci­o­nal, a for­ma­ção e ca­pa­ci­ta­ção dos qua­dros do sec­tor, o aper­fei­ço­a­men­to dos ins­tru­men­tos de re­gu­la­ção e su­per­vi­são pru­den­ci­al e com­por­ta­men­tal e a di­mi­nui­ção dos ní­veis de con­fli­tu­a­li­da­de no sec­tor, bem co­mo o con­tí­nuo res­pei­to pe­las prá­ti­cas in­ter­na­ci­o­nais acei­tes de com­ba­te ao bran­que­a­men­to de ca­pi­tais.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.