Pre­ser­va­ção é pre­o­cu­pa­ção das au­to­ri­da­des

Jornal de Angola - - DESPORTO -

O A pre­ser­va­ção e a uti­li­za­ção das ins­ta­la­ções des­por­ti­vas cons­truí­das nos úl­ti­mos anos pe­lo go­ver­no da pro­vín­cia do Na­mi­be, pa­ra a re­a­li­za­ção de di­fe­ren­tes tor­nei­os des­por­ti­vos, cons­ti­tu­em mo­ti­vos de pre­o­cu­pa­ção da Di­rec­ção Pro­vin­ci­al da Ju­ven­tu­de e Des­por­tos.

Em de­cla­ra­ções à An­gop, o di­rec­tor do pe­lou­ro, Edgar Ga­bri­el, mos­trou-se des­con­ten­te com o fac­to de al­gu­mas das ins­ta­la­ções des­por­ti­vas es­ta­rem a ser van­da­li­za­das pe­los usuá­ri­os, re­fe­rin­do que elas fo­ram edi­fi­ca­das pa­ra po­ten­ci­ar o ta­len­to des­por­ti­vo, e apon­tou o Es­tá­dio Mu­ni­ci­pal Jo­a­quim Mo­rais co­mo al­vo de ac­tos de van­da­lis­mo per­pe­tra­dos por jo­vens do mu­ni­cí­pio se­de, di­fi­cul­tan­do a sua pre­ser­va­ção e ma­nu­ten­ção.

“To­dos os fins-de-se­ma­na os ami­gos do alheio vão ao cam­po Jo­a­quim Mo­rais com es­te fim, obri­gan­do o go­ver­no a re­a­bi­li­tá-lo re­gu­lar­men­te”, la­men­tou.

O pro­jec­to de re­a­bi­li­ta­ção de in­fra-es­tru­tu­ras des­por­ti­vas das au­to­ri­da­des tem co­mo úni­co pro­pó­si­to ser­vir a ju­ven­tu­de, cri­an­ças e ado­les­cen­tes, bem co­mo me­lho­rar as con­di­ções de vi­da dos ci­da­dãos.

A pro­mo­ção da prá­ti­ca des­por­ti­va é um dos de­sa­fi­os do go­ver­no, que de­ve ser ali­a­da à pre­ser­va­ção dos re­cin­tos des­por­ti­vos, as­sim co­mo a pre­ser­va­ção dos bens pú­bli­cos, pa­ra que as fu­tu­ras ge­ra­ções tam­bém pos­sam usá-los.

A Di­rec­ção Pro­vin­ci­al vai nos pró­xi­mos di­as cri­ar uma equi­pa de fis­ca­li­za­ção, pa­ra ten­tar con­tro­lar os ac­tos de van­da­lis­mo e pôr fim a tais prá­ti­cas.

A se­gun­da vol­ta das elei­ções dos ór­gãos so­ci­ais do Atlé­ti­co Sport Avi­a­ção (ASA) re­a­li­za-se, hoje às 11h00, na se­de do clu­be, en­tre o can­di­da­to da lis­ta A, Eli­as Jo­sé, e o da C, Ma­nu­el de Al­mei­da “Ne­lo”, de­pois do em­pa­te téc­ni­co (65-65 de vo­tos) re­gis­ta­do no pas­sa­do sá­ba­do.

No es­cru­tí­nio, par­ti­ci­pam os cer­ca de 200 só­ci­os que vo­ta­ram nas pri­mei­ras elei­ções.

Eli­as Jo­sé, pre­si­den­te da di­rec­ção ces­san­te, con­cor­re pa­ra um se­gun­do man­da­to de qua­tro anos, com o ob­jec­ti­vo de dar con­ti­nui­da­de aos pro­jec­tos em cur­so na co­lec­ti­vi­da­de. “Se não ti­ves­sem anu­la­do aque­le vo­to, ga­nha­ría­mos por um pon­to, 6665. Es­tou tran­qui­lo, va­mos vi­rar o cur­so da his­tó­ria na se­gun­da vol­ta”, ga­ran­tiu o can­di­da­to da lis­ta A.

O can­di­da­to da lis­ta C, Ma­nu­el de Al­mei­da de­mar­cou-se da di­rec­ção en­ca­be­ça­da por Eli­as Jo­sé, por­que pre­ten­de trans­for­mar o ASA, num clu­be es­tá­vel do pon­to de vis­ta fi­nan­cei­ro. “Te­nho idei­as ino­va­do­ras e va­mos tra­ba­lhar em equi­pa pa­ra ul­tra­pas­sar a cri­se fi­nan­cei­ra. Que­re­mos sem­pre o me­lhor pa­ra o ASA”, de­fen­deu o ex-vi­ce-pre­si­den­te pa­ra o fu­te­bol.

Um pro­ces­so elei­to­ral es­pe­ra-se re­nhi­do e de des­fe­cho im­pre­vi­sí­vel, de­pois do em­pa­te no pri­mei­ro tur­no. No des­por­to an­go­la­no, é o pri­mei­ro plei­to que é de­ci­di­do no se­gun­do “round”.

Ma­nu­e­la de Oli­vei­ra, can­di­da­ta da lis­ta B, fi­cou pe­lo ca­mi­nho ao ar­re­ca­dar ape­nas 23 vo­tos. A an­ti­ga ex­tre­mo-ba­se do ASA foi humilhada pe­los só­ci­os, de­pois de ter le­va­do a for­ma­ção avi­a­do­ra a tri­bu­nal, ale­gan­do frau­de nas elei­ções de 2012, no du­e­lo com Ze­ca Ve­nân­cio.Pe­la for­ma cla­ri­vi­den­te co­mo de­cor­reu a pri­mei­ra vol­ta, Bi-Fi­guei­re­do, pre­si­den­te da Co­mis­são elei­to­ral, re­fe­riu que não pas­sa pe­la ca­be­ça de ne­nhum can­di­da­to im­pug­nar o ac­to.

EDU­AR­DO PE­DRO

Eli­as Jo­sé quer dar con­ti­nui­da­de ao pro­jec­to e Ma­nu­el de Al­mei­da tem idei­as ino­va­do­ras

DO­MIN­GOS CADÊNCIA

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.