Par­ti­dos pe­dem afluên­cia aos pos­tos de re­gis­to

AC­TU­A­LI­ZA­ÇÃO DOS DA­DOS ELEI­TO­RAIS

Jornal de Angola - - POLÍTICA - CAR­LOS PAU­LI­NO | Me­non­gue e VA­LEN­TIM CAVINDI |* Ca­chiun­go

Par­ti­dos po­lí­ti­cos con­ti­nu­am a ape­lar a po­pu­la­ção pa­ra o re­gis­to elei­to­ral, pa­ra a pre­pa­ra­ção das elei­ções ge­rais de 2017. No Hu­am­bo, o se­gun­do se­cre­tá­rio do MPLA exor­tou a po­pu­la­ção do Sec­tor de Sahem­ba, no mu­ni­cí­pio de Ca­chiun­go, a or­ga­ni­zar-se e ade­rir ao pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção de da­dos elei­to­rais.

Ar­man­do Ca­pun­da es­cla­re­ceu que a ac­tu­a­li­za­ção de da­dos elei­to­rais é um de­ver de ci­da­da­nia e vi­sa so­men­te apre­sen­tar os car­tões pa­ra con­fir­mar os lo­cais de re­si­dên­cia e ca­das­tro pre­sen­ci­al, en­quan­to os que com­ple­tam 18 anos aguar­dam a se­gun­da fa­se, que tem iní­cio nos pró­xi­mos di­as. Ar­man­do Ca­pun­da cha­mou os mi­li­tan­tes do MPLA na­que­la lo­ca­li­da­de a con­tri­buí­rem ac­ti­va­men­te na pre­ser­va­ção da paz, co­mo ele­men­to fun­da­men­tal pa­ra a vi­da dos an­go­la­nos e a man­te­rem­se vi­gi­lan­tes, de­nun­ci­an­do to­dos os que aten­tem con­tra a tran­qui­li­da­de das po­pu­la­ções. O po­lí­ti­co in­cen­ti­vou tam­bém as po­pu­la­ções a pra­ti­car a agri­cul­tu­ra, nu­ma al­tu­ra em que o país atra­ves­sa enor­mes di­fi­cul­da­des fi­nan­cei­ras e pro­cu­ra di­ver­si­fi­car a sua eco­no­mia pa­ra fa­zer fa­ce à cri­se e com­ba­ter a fo­me e a po­bre­za.

Sa­vihem­ba em Me­non­gue

No Cu­an­do Cu­ban­go, o de­pu­ta­do da UNITA, Ma­nu­el Sa­vihem­ba, ape­lou a uma con­vi­vên­cia pa­cí­fi­ca en­tre os par­ti­dos po­lí­ti­cos, que de­vem cen­tra­li­zar as su­as aten­ções no pro­ces­so de re­gis­to elei­to­ral em cur­so pa­ra que as elei­ções ge­rais de 2017 de­cor­ram com li­su­ra. “Pa­ra que as pró­xi­mas elei­ções ge­rais de­cor­ram com trans­pa­rên­cia, é ne­ces­sá­rio que os par­ti­dos po­lí­ti­cos co­me­cem ago­ra a acom­pa­nhar to­da a or­ga­ni­za­ção, in­cen­ti­van­do os mi­li­tan­tes e a po­pu­la­ção em ge­ral pa­ra afluí­rem em mas­sa aos pos­tos de re­gis­to elei­to­ral”, dis­se.

Ma­nu­el Sa­vihem­ba sa­li­en­tou que o seu par­ti­do tem de­sen­vol­vi­do cam­pa­nhas de sen­si­bi­li­za­ção e de cons­ci­en­ci­a­li­za­ção dos ci­da­dãos pa­ra ac­tu­a­li­zar ou fa­zer o re­gis­to elei­to­ral, pa­ra po­der exer­cer o seu di­rei­to de vo­to nas pró­xi­mas elei­ções ge­rais e ele­ger o par­ti­do que vai go­ver­nar An­go­la nos pró­xi­mos cin­co anos.

O de­pu­ta­do des­ta­cou que, ape­sar do pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral es­tar a de­cor­rer sem so­bres­sal­tos em to­do o país, é fun­da­men­tal mai­or di­na­mis­mo pa­ra abran­ger to­dos os ci­da­dãos elei­to­res, so­bre­tu­do aque­les que vi­vem em zo­nas de di­fí­cil aces­so.

O pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral na pro­vín­cia do Cu­an­do Cu­ban­go es­tá a ser as­se­gu­ra­do por 110 bri­ga­dis­tas e, até ao mo­men­to, cer­ca de 35 mil ci­da­dãos já exer­ce­ram o seu de­ver cí­vi­co nos no­ve mu­ni­cí­pi­os da re­gião. A de­le­ga­ção do seu par­ti­do te­ve um en­con­tro com o go­ver­na­dor da pro­vín­cia em exer­cí­cio, Ga­bri­el Gas­tão, du­ran­te o qual pas­sa­ram em re­vis­ta as ques­tões so­bre o pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral, da paz e re­con­ci­li­a­ção na­ci­o­nal e do de­sen­vol­vi­men­to só­cio-eco­nó­mi­co da re­gião.

Fiéis ac­tu­a­li­zam da­dos

Em Lu­an­da, cen­te­nas de fiéis da Igre­ja Fé Apos­tó­li­ca, Mis­são da Pa­les­ti­na, ac­tu­a­li­za­ram on­tem os seus da­dos elei­to­rais, no bair­ro Ngo­la Ki­lu­an­je, dis­tri­to ur­ba­no do Sam­bi­zan­ga. Os cren­tes e mo­ra­do­res da zo­na cir­cun­dan­te da Igre­ja mos­tra­ram-se sa­tis­fei­tos pe­la bre­vi­da­de do pro­ces­so e ga­ran­ti­ram mo­bi­li­zar mais mu­ní­ci­pes pa­ra efec­tu­a­rem a sua pro­va de vi­da.

Pa­ra o re­ve­ren­do Sa­mu­el Pa­qui­ce Pa­che­co, su­per­vi­sor na­ci­o­nal da Igre­ja Fé Apos­tó­li­ca, es­te é um mo­men­to sin­gu­lar na vi­da do país, ao qual é obri­ga­do a dar o seu con­tri­bu­to. Dis­se que es­te é um mo­men­to em que to­dos são cha­ma­dos a fa­zer a sua pro­va de vi­da e o re­gis­to elei­to­ral pe­la pri­mei­ra vez, de mo­do a ca­pa­ci­tar o ci­da­dão a exer­cer o seu di­rei­to de vo­to em 2017.

O re­ve­ren­do ape­lou aos po­lí­ti­cos no sen­ti­do de pas­sa­rem dis­cur­sos co­e­ren­tes, pa­ci­fi­ca­do­res e que con­quis­tem co­ra­ções ao in­vés de dis­ser­ta­ções in­fla­ma­tó­ri­as que dis­tan­ci­am o po­vo. “Es­ta­mos num pro­ces­so de re­con­ci­li­a­ção na­ci­o­nal e só é pos­sí­vel qu­an­do há apro­xi­ma­ção dos po­vos. Por is­so os po­lí­ti­cos e di­ri­gen­tes de­vem ter co­mo pau­ta dos seus dis­cur­sos a con­quis­ta dos co­ra­ções, uni­da­de, res­pei­tar as opi­niões con­trá­ri­as, não des­pre­zar ou dis­cri­mi­nar os de­mais”, dis­se.

Em Ma­lan­je, as au­to­ri­da­des tra­di­ci­o­nais da lo­ca­li­da­de de Cai­on­de, mu­ni­cí­pio do Lu­quem­bo, con­ti­nu­am a ape­lar aos ci­da­dãos no sen­ti­do de re­con­fir­ma­rem os seus da­dos elei­to­rais, em tem­po opor­tu­no, de for­ma a evi­tar cons­tran­gi­men­tos no úl­ti­mo dia do pro­ces­so.

O re­ge­dor João Chin­go­lo dis­se que as au­to­ri­da­des tra­di­ci­o­nais têm re­do­bra­do es­for­ços na cons­ci­en­ci­a­li­za­ção da so­ci­e­da­de ci­vil, apro­vei­tan­do as reu­niões e os cul­tos nas igre­jas pa­ra lan­ça­rem o ape­lo. O re­gis­to elei­to­ral, fri­sou, é um de­ver pa­trió­ti­co de to­dos os ci­da­dãos mai­o­res de 18 anos, sem dis­tin­ção de cor, ra­ça, re­li­gião, ten­do sa­li­en­ta­do que o pro­ces­so de­mons­tra mais uma vez que to­dos de­vem cum­prir es­te exer­cí­cio pa­ra per­mi­tir a es­co­lha dos lí­de­res do país. No Na­mi­be, en­ti­da­des re­li­gi­o­sas, tra­di­ci­o­nais, es­tu­dan­tes, par­ti­dos po­lí­ti­cos no mu­ni­cí­pio do Tom­bua es­tão a ser sen­si­bi­li­za­dos pa­ra ade­ri­rem ao pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral. A sen­si­bi­li­za­ção, de ini­ci­a­ti­va da as­so­ci­a­ção de São To­más de Aqui­no, da Igre­ja Ca­tó­li­ca, foi fei­ta pe­lo che­fe do de­par­ta­men­to dos Re­gis­tos do Na­mi­be, Abe­lar­do Lem­ba.

Abe­lar­do Lem­ba ex­pli­cou que o pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral é obri­ga­tó­rio, pois dá o di­rei­to ao ci­da­dão de exer­cer o di­rei­to de vo­to, es­co­lhen­do de for­ma li­vre e cons­ci­en­te os di­ri­gen­tes e o par­ti­do que vai go­ver­nar. “Es­te é um pro­ces­so obri­ga­tó­rio, não im­por­ta a ra­ça, cor ou mes­mo o par­ti­do po­lí­ti­co em que mi­li­ta, o mais im­por­tan­te é ac­tu­a­li­zar os seus da­dos e fa­zer a sua pro­va de vi­da, aju­dan­do as­sim os re­gis­tos a sa­ber em con­cre­to quan­tos ci­da­dãos po­de­rão vo­tar em 2017”, ex­pli­cou. Lem­ba acon­se­lhou ain­da a po­pu­la­ção a não es­pe­rar pe­lo úl­ti­mo dia pa­ra que não se cri­em trans­tor­nos, ten­do ain­da ga­ran­ti­do que as bri­ga­das es­tão es­pa­lha­das nos bair­ros pe­ri­fé­ri­cos do mu­ni­cí­pio on­de o ci­da­dão po­de em me­nos de cin­co mi­nu­tos ac­tu­a­li­zar os seus da­dos.

PAU­LO MULAZA

Po­lí­ti­cos e en­ti­da­des re­li­gi­o­sas es­tão a sen­si­bi­li­zar a po­pu­la­ção pa­ra ac­tu­a­li­zar os seus da­dos elei­to­rais e po­der vo­tar nas elei­ções de 2017

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.