Can­di­da­to Trump de­ma­go­go pe­ri­go­so

Re­pu­bli­ca­no des­va­lo­ri­za po­si­ções as­su­mi­das pe­los me­dia a me­nos de um mês da vo­ta­ção

Jornal de Angola - - PARTADA -

O jor­nal nor­te-ame­ri­ca­no “USA To­day” rom­peu com a sua tra­di­ção de isen­ção po­lí­ti­ca e to­mou par­ti­do, na sex­ta-fei­ra, na dis­pu­ta elei­to­ral, ao aler­tar os seus lei­to­res pa­ra que “re­sis­tam aos can­tos de se­reia de um pe­ri­go­so de­ma­go­go”, em re­fe­rên­cia ao re­pu­bli­ca­no Do­nald Trump. O jor­nal nun­ca nos seus 34 anos de exis­tên­cia ha­via to­ma­do par­ti­do na dis­pu­ta pre­si­den­ci­al.

O jor­nal nor­te-ame­ri­ca­no “USA To­day” rom­peu com a sua tra­di­ção de isen­ção po­lí­ti­ca e to­mou par­ti­do, na sex­ta-fei­ra, na dis­pu­ta elei­to­ral, ao aler­tar os seus lei­to­res pa­ra que “re­sis­tam aos can­tos de se­reia de um pe­ri­go­so de­ma­go­go”, em re­fe­rên­cia ao re­pu­bli­ca­no Do­nald Trump.

O jor­nal, de al­can­ce na­ci­o­nal e um dos de mai­or cir­cu­la­ção nos Es­ta­dos Uni­dos, nun­ca nos seus 34 anos de exis­tên­cia ha­via to­ma­do par­ti­do na dis­pu­ta pre­si­den­ci­al, mas a sua di­rec­ção edi­to­ri­al re­sol­veu fa­zer is­so es­te ano. “Nun­ca an­tes ha­vía­mos vis­to mo­ti­vos pa­ra al­te­rar nos­sa po­si­ção. Até ago­ra”, jus­ti­fi­cou o jor­nal.

“Es­te ano, um dos can­di­da­tos - o in­di­ca­do re­pu­bli­ca­no Do­nald Trump - não é, por con­sen­so unâ­ni­me do di­rec­tó­rio edi­to­ri­al, ap­to pa­ra a pre­si­dên­cia”, es­cre­veu. “Des­de o dia em que de­cla­rou a sua can­di­da­tu­ra, há 15 me­ses, até ao pri­mei­ro de­ba­te pre­si­den­ci­al, Do­nald Trump de­mons­trou rei­te­ra­das ve­zes que ca­re­ce do tem­pe­ra­men­to, do co­nhe­ci­men­to, da se­ri­e­da­de e da ho­nes­ti­da­de de que os Es­ta­dos Uni­dos ne­ces­si­tam de seus pre­si­den­tes.”

O jor­nal apre­sen­ta uma lis­ta de oi­to pon­tos pa­ra ex­pli­car por que o mag­na­ta não é ca­pa­ci­ta­do pa­ra ocu­par a Ca­sa Bran­ca. Trump é “er­rá­ti­co”, “sem pre­pa­ra­ção pa­ra ser co­man­dan­te-em-che­fe” e um “men­ti­ro­so se­ri­al”, enu­me­ra o jor­nal.

Tam­bém “tra­fi­ca pre­con­cei­tos”, “fa­la com im­pru­dên­cia”, bai­xa o ní­vel do diá­lo­go na­ci­o­nal, tem uma car­rei­ra em­pre­sa­ri­al com al­tos e bai­xos e não cumpriu a obri­ga­ção de apre­sen­tar o seu im­pos­to de ren­da, di­an­te dos seus elei­to­res.

No en­tan­to, o “USA To­day” abs­tém-se de apoi­ar a de­mo­cra­ta Hil­lary Clin­ton, afir­man­do que o di­rec­tó­rio não con­se­guiu al­can­çar um con­sen­so a res­pei­to dis­so.

O jor­nal faz re­fe­rên­cia à lon­ga car­rei­ra po­lí­ti­ca da as­pi­ran­te de­mo­cra­ta, mas as­si­na­la a “sua fal­ta de fran­que­za e o seu ex­tre­mo des­cui­do na ma­ni­pu­la­ção de in­for­ma­ções con­fi­den­ci­ais”. Hil­lary Clin­ton tem fa­lhas, “ape­sar des­sas fa­lhas se­rem pou­co pro­pen­sas a ame­a­çar a se­gu­ran­ça na­ci­o­nal ou de le­var a uma cri­se cons­ti­tu­ci­o­nal”, res­sal­ta ain­da o jor­nal, em cla­ra re­fe­rên­cia à ame­a­ça que Trump re­pre­sen­ta nes­te sen­ti­do.

O jor­nal pe­de que os elei­to­res vo­tem em Hil­lary, num ter­cei­ro can­di­da­to ou se fo­quem na elei­ção de ou­tros car­gos que es­tão em jo­go na vo­ta­ção de 8 de No­vem­bro.

“O que quer que fa­çam, re­sis­tam, no en­tan­to, ao can­to de se­reia de um pe­ri­go­so de­ma­go­go. Por fa­vor, vo­tem, mas não vo­tem em Do­nald Trump”, sen­ten­cia. Es­te jor­nal é o úl­ti­mo de uma sé­rie que ex­pres­sou re­jei­ção a Trump.

Jor­nais con­ser­va­do­res co­mo “The Ari­zo­na Re­pu­blic”, “Cin­cin­na­ti En­qui­rer” e “Dal­las Mor­ning News” rom­pe­ram com anos de apoio aos can­di­da­tos re­pu­bli­ca­nos e ex­pres­sa­ram o seu apoio a Hil­lary Clin­ton.

Jor­nais res­pei­ta­dos co­mo “The New York Ti­mes” tam­bém ex­pres­sa­ram o seu apoio à ex-se­cre­tá­ria de Es­ta­do e ex-pri­mei­ra-da­ma.

Num ar­ti­go on­de re­fu­ta as po­si­ções do jor­nal, o com­pa­nhei­ro de lis­ta do can­di­da­to re­pu­bli­ca­no, Mi­ke Pen­ce, in­sis­te que Do­nald Trump es­tá pron­to pa­ra go­ver­nar. “O po­vo nor­te-ame­ri­ca­no es­tá uma vez mais an­te a dis­jun­ti­va elei­to­ral. Por um la­do, te­mos a can­di­da­ta Hil­lary Clin­ton que re­pre­sen­ta tu­do o que es­tá er­ra­do no sta­tu quo de Washing­ton”, afir­mou Pen­ce.

“Por ou­tro la­do, Do­nald Trump tem a co­ra­gem de di­zer o que pen­sa e a au­dá­cia pa­ra tor­nar re­a­li­da­de a sua vi­são dos Es­ta­dos Uni­dos re­no­va­do.” Fi­el ao seu es­ti­lo, Trump res­pon­deu no Twit­ter que os jor­nais que o re­jei­tam es­tão sim­ples­men­te a per­der lei­to­res.

“As pes­so­as são ob­vi­a­men­te in­te­li­gen­tes ao sus­pen­der as su­as as­si­na­tu­ras des­ses jor­nais de Dal­las e do Ari­zo­na, e ago­ra o “USA To­day” per­de­rá lei­to­res. As pes­so­as sa­bem”, es­cre­veu no Twi­ter.

Hil­lary Clin­ton e Do­nald Trump tra­vam uma acir­ra­da dis­pu­ta pe­la Ca­sa Bran­ca, com uma li­gei­ra van­ta­gem de 2,6 pon­tos da can­di­da­ta de­mo­cra­ta, se­gun­do a úl­ti­ma mé­dia de pes­qui­sas re­a­li­za­da pe­lo si­te Re­alC­le­arPo­li­tics. O Mi­nis­té­rio da Eco­no­mia da Ale­ma­nha acre­di­ta que se o can­di­da­to re­pu­bli­ca­no, Do­nald Trump, che­gar à pre­si­dên­cia dos Es­ta­dos Uni­dos a eco­no­mia do país po­de­rá so­frer sé­ri­os da­nos, de acor­do com um me­mo­ran­do in­ter­no ci­ta­do em re­por­ta­gem da re­vis­ta ale­mã “Der Spi­e­gel”, no sá­ba­do.

O Mi­nis­té­rio es­pe­ra “re­trac­ção na eco­no­mia, me­nos tra­ba­lhos e de­sem­pre­go mais al­to” se o can­di­da­to re­pu­bli­ca­no im­ple­men­tar as su­as promessas de cam­pa­nha, dis­se a re­vis­ta, ci­tan­do o do­cu­men­to.

Do­nald Trump, um mag­na­ta mul­ti­mi­li­o­ná­rio do sec­tor imo­bi­liá­rio que ten­ta o seu pri­mei­ro car­go pú­bli­co, propôs cor­tes de im­pos­tos de 4,4 tri­liões de dó­la­res e dis­se que pre­ten­de re­du­zir re­gu­la­men­ta­ções do go­ver­no, além de adop­tar uma pos­tu­ra mais du­ra na ne­go­ci­a­ção de acor­dos co­mer­ci­ais.

Trump con­si­de­ra que o seu pla­no eco­nó­mi­co po­de pro­du­zir um cres­ci­men­to anu­al de 3,5 por cen­to e cri­ar 25 mi­lhões de em­pre­gos ao lon­go de uma dé­ca­da. Mas al­guns eco­no­mis­tas ques­ti­o­nam os pres­su­pos­tos adop­ta­dos pe­lo pla­no.

As promessas de Trump “não são viá­veis”, re­fe­re o me­mo­ran­do do go­ver­no ale­mão, se­gun­do a re­por­ta­gem da “Der Spi­e­gel”.

No mês pas­sa­do, a em­pre­sa de pes­qui­sas eco­nó­mi­cas Ox­ford Eco­no­mics pro­jec­tou que a eco­no­mia dos Es­ta­dos Uni­dos po­de tor­nar­se um tri­lião de dó­la­res me­nor que o es­pe­ra­do em 2021 ca­so Trump se tor­ne Pre­si­den­te.

AFP

Can­di­da­to é re­pro­va­do por gran­des jor­nais co­mo o “USA To­day” e “The New York Ti­mes”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.