Ane­do­tas

Jornal de Angola - - LAZER -

Uma se­nho­ra pe­ga no te­le­fo­ne, li­ga pa­ra o cen­tro de saú­de e pe­de pa­ra fa­lar com o mé­di­co da fa­mí­lia. O mé­di­co do ou­tro la­do:

- Sim? Fa­la o Dr. Ma­ta Se­re­no. Fa­ça fa­vor de di­zer. Diz a mu­lher: - Se­nhor dou­tor, eu sou a mu­lher do seu do­en­te, o Anas­tá­cio das Do­res, a quem acon­se­lhou uma ali­men­ta­ção sau­dá­vel, no­me­a­da­men­te evi­tar os fa­ri­ná­ce­os, as car­nes ver­me­lhas, o pei­xe sal­ga­do, as be­bi­das al­coó­li­cas, o ca­fé e o ta­ba­co. Lem­bra-se?! Res­pon­de o mé­di­co: - Per­fei­ta­men­te, mi­nha se­nho­ra! E en­tão, o seu ma­ri­do tem le­va­do es­se con­se­lho à re­a­li­da­de? Diz a mu­lher: - Há três me­ses que ele o ini­ci­ou… - Óp­ti­mo! E que tal? – Per­gun­ta o mé­di­co. In­for­ma a mu­lher: - O fu­ne­ral é ama­nhã…

********** Uma se­nho­ra, apa­ren­te­men­te de meia-ida­de, ví­ti­ma de atro­pe­la­men­to, che­ga ao hos­pi­tal em pés­si­mo es­ta­do. O mé­di­co exa­mi­na-a, en­quan­to a en­fer­mei­ra vai ano­tan­do nu­ma fi­cha:

- Es­co­ri­a­ções na ca­be­ça, frac­tu­ra no bra­ço di­rei­to, lu­xa­ção na cla­ví­cu­la, de­sar­ti­cu­la­ção do tor­no­ze­lo es­quer­do…

Vi­ran­do-se pa­ra a pa­ci­en­te, o mé­di­co per­gun­ta: - Qual a sua ida­de mi­nha se­nho­ra? - Trin­ta e cin­co anos. – Res­pon­de a pa­ci­en­te. Con­ti­nua o mé­di­co: - Ano­te tam­bém: per­da de me­mó­ria…

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.