La­bo­ra­tó­rio é ins­ta­la­do no Lu­ban­go

ME­LHO­RIA NA AS­SIS­TÊN­CIA MÉ­DI­CA NA HUÍ­LA Di­rec­tor pro­vin­ci­al da Saú­de des­ta­ca a im­por­tân­cia da qua­li­da­de de me­di­ca­men­tos

Jornal de Angola - - PROVÍNCIAS - ARÃO MAR­TINS |

A par­tir de Ja­nei­ro do pró­xi­mo ano, os me­di­ca­men­tos co­lo­ca­dos nas far­má­ci­as e nos hos­pi­tais da Huí­la pas­sam a ter mai­or qua­li­da­de e se­gu­ran­ça, com a ins­ta­la­ção na ci­da­de do Lu­ban­go do pri­mei­ro la­bo­ra­tó­rio vo­ca­ci­o­na­do na área, anun­ci­ou o che­fe de de­par­ta­men­to pro­vin­ci­al de Ins­pec­ção da Di­rec­ção da Saú­de.

Jo­sé Moi­sés Pe­so dis­se ao Jor­nal de An­go­la, à mar­gem da ac­ção de for­ma­ção di­ri­gi­da aos pro­pri­e­tá­ri­os de de­pó­si­tos, far­má­ci­as, clí­ni­cas e cen­tros mé­di­cos so­bre os cui­da­dos a ter no ma­nu­seio de me­di­ca­men­tos, que o la­bo­ra­tó­rio de me­di­ca­men­tos vai fun­ci­o­nar no De­par­ta­men­to Pro­vin­ci­al de Ins­pec­ção e Fis­ca­li­za­ção da Di­rec­ção da Saú­de, sob res­pon­sa­bi­li­da­de da Di­rec­ção Na­ci­o­nal da Ins­pec­ção Ge­ral do Mi­nis­té­rio da Saú­de.

O res­pon­sá­vel con­si­de­rou fun­da­men­tal a qua­li­da­de de me­di­ca­men­tos co­lo­ca­dos nas far­má­ci­as e nos hos­pi­tais de mo­do a ga­ran­tir a se­gu­ran­ça dos pa­ci­en­tes, vis­to que, re­fe­riu, as ir­re­gu­la­ri­da­des po­dem oca­si­o­nar al­te­ra­ções fí­si­co-quí­mi­cas, or­ga­no­lép­ti­cas e com­pro­me­ter a ac­ção te­ra­pêu­ti­ca dos me­di­ca­men­tos.

A ins­ta­la­ção do la­bo­ra­tó­rio na Huí­la vai per­mi­tir que ha­ja uma ava­li­a­ção dos me­di­ca­men­tos que de­vem ser co­lo­ca­dos no cir­cui­to co­mer­ci­al e hos­pi­ta­lar.

A pro­vín­cia dis­põe de 12 de­pó­si­tos de me­di­ca­men­tos de al­ta di­men­são e a ava­li­a­ção da sua qua­li­da­de con­ti­nua a ser uma pre­o­cu­pa­ção das au­to­ri­da­des sa­ni­tá­ri­as lo­cais. “Pen­sa­mos nós que a fal­si­fi­ca­ção de me­di­ca­men­tos cons­ti­tui um pro­ble­ma sé­rio de saú­de pú­bli­ca, o que tem si­do pre­o­cu­pa­ção cons­tan­te do Go­ver­no no com­ba­te a es­te fe­nó­me­no.

A fun­ci­o­na­li­da­de de um la­bo­ra­tó­rio é um ele­men­to em fal­ta na pro­vín­cia, mas há ga­ran­ti­as da sua ins­ta­la­ção ain­da no mês de No­vem­bro”, es­cla­re­ceu o res­pon­sá­vel.

Jo­sé Moi­sés Pe­so ex­pli­cou que, no âm­bi­to de com­ba­te à con­tra­fac­ção de me­di­ca­men­tos, o de­par­ta­men­to de Ins­pec­ção se li­mi­ta a re­a­li­zar a aná­li­se de for­ma fí­si­ca ou ain­da atra­vés da cor, chei­ro e ou­tras ca­rac­te­rís­ti­cas que po­dem ser vis­tas a olho nu.

O che­fe de de­par­ta­men­to pro­vin­ci­al de Ins­pec­ção da Di­rec­ção da Saú­de es­pe­ra que, com a ins­ta­la­ção do la­bo­ra­tó­rio, se pos­sa dar res­pos­ta a es­te fe­nó­me­no, mas, em re­la­ção à exis­tên­cia de me­di­ca­men­tos fal­sos, ex­pli­cou ser di­fí­cil au­fe­rir da­dos re­ais, por ine­xis­tên­cia de la­bo­ra­tó­ri­os. “A qua­li­da­de de fár­ma­cos es­tá as­so­ci­a­da ao acon­di­ci­o­na­men­to. Mui­tas ve­zes, nos de­pa­ra­mos com fár­ma­cos que per­dem as pro­pri­e­da­des por cau­sa do acon­di­ci­o­na­men­to, por is­so é que se es­tá a tra­ba­lhar com os res­pon­sá­veis de de­pó­si­tos, far­má­ci­as dos hos­pi­tais no sen­ti­do de me­lho­rar as con­di­ções de ar­ma­ze­na­men­to”, dis­se.

KINDALA MASNUEL

Ins­ta­la­ção do la­bo­ra­tó­rio na Huí­la vai per­mi­tir que ha­ja uma ava­li­a­ção dos me­di­ca­men­tos que de­vem ser co­lo­ca­dos no cir­cui­to co­mer­ci­al e nos hos­pi­tais

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.