Mu­an­dum­ba re­a­fir­ma apoio

Mi­nis­tro da Rein­ser­ção So­ci­al vi­si­tou on­tem o INAC

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - YA­RA SI­MÃO|

Cer­ca de seis mil cri­an­ças be­ne­fi­ci­am do apoio do Es­ta­do, atra­vés do Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal da Cri­an­ça (INAC), nos 104 cen­tros de aco­lhi­men­to exis­ten­tes no país, in­for­mou, on­tem, em Lu­an­da o mi­nis­tro da As­sis­tên­cia e Rein­ser­ção So­ci­al.

Gon­çal­ves Mu­an­dum­ba, que fa­la­va, on­tem, aos jornalistas de­pois de uma vi­si­ta de cons­ta­ta­ção ao Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal da Cri­an­ça (INAC), su­bli­nhou que os cen­tros aco­lhem cri­an­ças ór­fãs aban­do­na­das e de fa­mí­li­as com pou­cos re­cur­sos em si­tu­a­ção de ris­co.

Os cen­tros, con­ti­nu­ou o mi­nis­tro, en­fren­tam di­fi­cul­da­des no que con­cer­ne à ali­men­ta­ção e tu­do es­tá a ser fei­to pa­ra os aju­dar. Sa­li­en­tou que os ado­les­cen­tes e jo­vens nes­sas ins­ti­tui­ções vão ser aju­da­dos a in­gres­sar em cur­sos pro­fis­si­o­nais, pa­ra que pos­sam ter uma pro­fis­são e aju­da­rem de for­ma vo­lun­tá­ria as ins­ti­tui­ções que ac­tu­al­men­te os cui­dam.

O mi­nis­tro anun­ci­ou o lan­ça­men­to, es­ta se­ma­na, de uma campanha de re­fle­xão em tor­no da vi­o­lên­cia con­tra a cri­an­ça e ape­lou aos go­ver­nos pro­vin­ci­ais, mu­ni­ci­pais, igre­jas e or­ga­ni­za­ções não go­ver­na­men­tais pa­ra pro­mo­ve­rem ac­ções de sen­si­bi­li­za­ção e mo­bi­li­za­ção “con­tra as prá­ti­cas ma­lé­fi­cas que atin­gem as cri­an­ças.”

“Não se de­ve fa­lar da cri­an­ça só nas da­tas que lhes são re­ser­va­das”, dis­se Gon­çal­ves Mu­an­dum­ba, acres­cen­tan­do que a fa­vor das cri­an­ças se de­ve fa­lar e com­ba­ter to­dos os di­as, de mo­do a que a sua pro­tec­ção se­ja ri­go­ro­sa e “exem­plar­men­te se pu­nam os agres­so­res.”

A di­rec­to­ra do Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal da Cri­an­ça, Nil­sa Ba­ta­lha, afir­mou que a ins­ti­tui­ção que di­ri­ge vai es­ta­be­le­cer um pro­to­co­lo com a Or­dem dos Ad­vo­ga­dos, com vis­ta à pres­ta­ção de as­sis­tên­cia ju­rí­di­ca às cri­an­ças ví­ti­mas de vi­o­lên­cia e su­as fa­mí­li­as. O mes­mo ti­po de acor­do já foi fir­ma­do com a As­so­ci­a­ção de Psi­có­lo­gos Cris­tãos. Nil­sa Ba­ta­lha acres­cen­tou que o INAC es­tá a in­ves­tir na ca­pa­ci­ta­ção de pes­so­al pa­ra ac­tu­ar na me­di­a­ção de con­fli­tos. “O nú­me­ro de fun­ci­o­ná­ri­os da ins­ti­tui­ção ain­da é ín­fi­mo pa­ra os pro­ble­mas to­dos do ins­ti­tu­to em prol da cri­an­ça”, dis­se.

A di­rec­to­ra ma­ni­fes­tou-se pre­o­cu­pa­da com os ca­sos de abu­so se­xu­al, que ten­dem a au­men­tar no país, com mai­or in­ci­dên­cia em Lu­an­da. A fu­ga à pa­ter­ni­da­de e a fal­ta de pres­ta­ção de ali­men­tos são ou­tras pre­o­cu­pa­ções. “Com o pro­gra­ma SOS Cri­an­ça a fun­ci­o­nar em ple­no, va­mos con­tri­buir e in­ter­vir de for­ma sig­ni­fi­ca­ti­va.”

JO­SÉ SO­A­RES

Gon­çal­ves Mu­an­dum­ba qu­an­do fa­la­va on­tem aos jornalistas no Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal da Cri­an­ça

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.