Ki­lu­an­ji kya Hen­da ex­põe na Áus­tria

Jornal de Angola - - PARTADA -

O tra­ba­lho de Ki­lu­an­ji kya Hen­da es­tá a ser mos­tra­do, si­mul­ta­ne­a­men­te, em três fren­tes: Áus­tria, Bra­sil e Lis­boa. Nes­ta úl­ti­ma ci­da­de é on­de o ar­tis­ta re­si­de ac­tu­al­men­te e par­ti­ci­pa em re­si­dên­ci­as ar­tís­ti­cas.

A ins­ta­la­ção “Thi­sismy Blo­od”, que tra­du­zi­da pa­ra por­tu­guês quer di­zer “Es­te é o meu San­gue”, uma das mai­o­res da sua car­rei­ra ar­tís­ti­ca, é o des­ta­que da ex­po­si­ção pa­ten­te na Áus­tria, des­de o pas­sa­do dia 30 e até 16 des­te mês, em Seg­gau­berg Leib­nitz.

A con­vi­te do con­cei­tu­a­do Fes­ti­val de Ar­te Stei­ris­cher Herbst, o ar­tis­ta cri­ou uma in­ter­ven­ção es­cul­tó­ri­ca no es­pa­ço pú­bli­co, na re­gião a Sul de Graz, nos ar­re­do­res de Leib­nitz. Es­ta zo­na fron­tei­ri­ça, que tem tes­te­mu­nha­do o flu­xo dos re­fu­gi­a­dos, é tam­bém uma área de pro­du­ção de vi­nho, as­sim que por ve­zes o ara­me e bar­rei­ras que ser­vem pa­ra pro­te­ger as vi­nhas con­fun­dem-se com as re­des e es­tru­tu­ras er­gui­das pa­ra se­lar o país da imi­gra­ção.

Ki­lu­an­je kya Hen­da, de­pois de vi­si­tar o país e de tes­te­mu­nhar tam­bém a pre­sen­ça de ma­ni­fes­ta­ções icó­ni­cas de cre­do cris­tão nes­sa zo­na, de­ci­diu pa­ra es­ta ins­ta­la­ção er­guer cerca de du­as mil bar­ras de me­tal com a cor ver­me­lha na pai­sa­gem.

“Abor­da-se aqui o me­do e a des­con­fi­an­ça ac­tu­ais, em con­tra­pon­to com tra­di­ções im­plan­ta­das no lu­gar, mas so­bre­tu­do a tra­gé­dia de gran­de es­ca­la que é a atu­al cri­se dos re­fu­gi­a­dos e as mor­tes den­tro e em re­dor da Eu­ro­pa”, dis­se o ar­tis­ta.

A obra do ar­tis­ta an­go­la­no in­te­gra uma mos­tra co­lec­ti­va em Vi­e­na, na ga­le­ria Ma­rio Mau­ro­ner Art Con­tem­po­rary. A ex­po­si­ção “Only In The Wes­tern World”, pa­ten­te na ca­pi­tal aus­tría­ca, tem a cu­ra­do­ria de Lui­gi Fas­si e com a par­ti­ci­pa­ção de ar­tis­tas das mais va­ri­a­das na­ci­o­na­li­da­des - in­di­ví­du­os que no cam­po da ar­te con­se­gui­ram as­si­mi­lar as su­as raí­zes, abrin­do es­pa­ços pa­ra li­ber­da­de.

“Es­tes úl­ti­mos têm em co­mum o fac­to de te­rem ques­ti­o­na­do o ra­ci­o­na­lis­mo oci­den­tal e o eu­ro­cen­tris­mo, atra­vés de tra­ba­lhos que pro­cu­ram for­mas e es­tra­té­gi­as di­ver­sas pa­ra uma lei­tu­ra da his­tó­ria”, dis­se Ki­lu­an­ji kya Hen­da, que par­ti­ci­pa nes­ta mos­tra com no­mes co­mo Ju­li­en Creu­zet, Fran­çois-Xa­vi­er Gbré, Di­an­goHer­nán­dez e Hi­la­rio Isol.

No Bra­sil, o ar­tis­ta an­go­la­no apre­sen­ta até No­vem­bro obras na ga­le­ria Ca­sa Nova Ar­te, na ex­po­si­ção “Ul­la, Ul­la Ul­la, Ul­la! Mar­ci­a­nos, In­ter­ga­lá­ti­cos e Hu­ma­nos”, com cu­ra­do­ria de Ja­ne de Al­mei­da.

Pa­ra­le­la a 32.ª Bi­e­nal de São Pau­lo, o tí­tu­lo des­ta mos­tra co­lec­ti­va ins­pi­ra-se no som (Ul­la Ul­la) das na­ves mar­ci­a­nas de H. G. Wells, nos ma­ni­fes­tos fu­tu­ris­tas de Ve­li­mir Kh­leb­ni­kov e Vik­tor Sh­klovsky, que re­flec­ti­am so­bre ar­te, in­ven­ção e na pos­sí­vel “ali­e­na­ção” dos se­res hu­ma­nas, emol­du­ra­dos em con­tex­tos his­tó­ri­cos utó­pi­cos do iní­cio do sé­cu­lo XX. O ar­tis­ta an­go­la­no par­ti­lha es­pa­ço com Da­vid Me­dal­la, Fer­nan­do Du­val, Hen­ri­que Al­vim Cor­rêa e OlafB­reu­ning, Pa­ra ter­mi­nar, em Lis­boa, na ga­le­ria Han­gar, Ki­lu­an­ji kia Hen­da in­te­gra a ex­po­si­ção “Pa­la­vras Cru­za­das”, pa­ten­te até ao pró­xi­mo dia 19 de No­vem­bro, com a cu­ra­do­ria de Ga­bri­e­la Sal­ga­do.

DR

Ar­tis­ta ex­põe obras em três fren­tes

DR

Ar­tis­ta plás­ti­co an­go­la­no cri­ou uma in­ter­ven­ção es­cul­tó­ri­ca num es­pa­ço pú­bli­co na re­gião a Sul de Graz nos ar­re­do­res de Leib­nitz na Áus­tria

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.