Pai­néis so­la­res são des­truí­dos

Ser­vi­ços de In­ves­ti­ga­ção da Po­lí­cia Na­ci­o­nal já tra­ba­lham pa­ra a iden­ti­fi­ca­ção dos pre­va­ri­ca­do­res

Jornal de Angola - - PARTADA - ARMANDO SAPALO | Dundo

As pla­cas dos pai­néis so­la­res, que as­se­gu­ram a ilu­mi­na­ção pú­bli­ca a par­tir do sis­te­ma de ener­gia fo­to­vol­tai­ca na ci­da­de do Dundo, es­tão a ser des­truí­das por um gru­po de mar­gi­nais ain­da não iden­ti­fi­ca­do, de­nun­ci­ou o di­rec­tor da Ener­gia e Águas, Cri­sós­to­mo Itum­bo, que pe­diu a rá­pi­da in­ter­ven­ção da po­lí­cia pa­ra tra­var es­ses ac­tos de pu­ro van­da­lis­mo.

As pla­cas dos pai­néis so­la­res, que as­se­gu­ram o fun­ci­o­na­men­to de pos­tos de ilu­mi­na­ção pú­bli­ca a par­tir do sis­te­ma de ener­gia fo­to­vol­tai­ca a ní­vel das prin­ci­pais ru­as da ci­da­de do Dundo e ar­re­do­res, es­tão a ser des­truí­das por um gru­po de mar­gi­nais ain­da des­co­nhe­ci­dos, de­nun­ci­ou on­tem o di­rec­tor mu­ni­ci­pal da Ener­gia e Águas do Chi­ta­to.

Cri­sós­to­mo Itum­bo la­men­tou o fac­to de a van­da­li­za­ção e o rou­bo dos pai­néis so­la­res es­ta­rem a pre­ju­di­car a ilu­mi­na­ção pú­bli­ca, dei­xan­do as ru­as às es­cu­ras, quan­do o Es­ta­do apli­cou avul­ta­das so­mas de di­nhei­ro pa­ra ter es­te ser­vi­ço fun­ci­o­nal.

O res­pon­sá­vel do sec­tor da Ener­gia e Águas do Chi­ta­to avan­çou que, des­de a al­tu­ra em que as au­to­ri­da­des lo­cais to­ma­ram co­nhe­ci­men­to da ocor­rên­cia, um to­tal de seis pos­tos de ilu­mi­na­ção, ins­ta­la­dos no bair­ro Ca­ma­tun­du, foi des­truí­do.

Cri­sós­to­mo Itum­bo con­si­de­rou que a ins­ta­la­ção do sis­te­ma de ener­gia fo­to­vol­tai­ca as­se­gu­ra­da por pai­néis so­la­res, con­cre­ta­men­te pa­ra a ilu­mi­na­ção pú­bli­ca, é uma ex­ce­len­te via em ter­mos de in­ves­ti­men­tos em fon­tes al­ter­na­ti­vas.

Des­ta­cou a ne­ces­si­da­de do au­xí­lio ao tra­ba­lho de po­li­ci­a­men­to, pa­ra o com­ba­te à cri­mi­na­li­da­de, e da cri­a­ção de con­di­ções pa­ra pro­por­ci­o­nar um con­ví­vio sa­lu­tar e se­gu­ro das fa­mí­li­as du­ran­te o pe­río­do noc­tur­no. O di­rec­tor afir­mou que o Co­man­do Mu­ni­ci­pal da Po­lí­cia Na­ci­o­nal do Chi­ta­to já to­mou co­nhe­ci­men­to do rou­bo das pla­cas de pai­néis so­la­res nos pos­tos de ilu­mi­na­ção, daí di­li­gên­ci­as es­ta­rem a ser fei­tas pa­ra se en­con­trar os mar­gi­nais.

Ex­pli­cou que o pro­gra­ma de ins­ta­la­ção do sis­te­ma de ener­gia fo­to­vol­tai­ca, com pai­néis so­la­res, vi­sa igual­men­te dar cor­po à exe­cu­ção das ac­ções des­ti­na­das a pro­mo­ver o de­sen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel do mu­ni­cí­pio do Chi­ta­to, apos­tan­do em pro­jec­tos ino­va­do­res.

O di­rec­tor mu­ni­ci­pal es­cla­re­ceu igual­men­te que a ins­ta­la­ção do sis­te­ma de ener­gia so­lar se afi­gu­ra im­por­tan­te, por ser uma ex­ce­len­te es­co­lha do Exe­cu­ti­vo na bus­ca de al­ter­na­ti­vas me­nos agres­si­vas pa­ra o meio am­bi­en­te, vis­to tra­tar-se de uma fon­te re­no­vá­vel e mui­to lim­pa.

O res­pon­sá­vel apon­tou que a quan­ti­da­de de pos­tos de ilu­mi­na­ção pú­bli­ca com pai­néis so­la­res ron­da os 220 e es­tão ins­ta­la­dos no cas­co ur­ba­no e nos ar­re­do­res da ci­da­de do Dundo, ca­pi­tal da pro­vín­cia da Lun­da Nor­te.

Cri­sós­to­mo Itum­bo dis­se que fo­ram co­lo­ca­dos pos­tos de ilu­mi­na­ção pú­bli­ca nos tro­ços en­tre a ro­tun­da do bair­ro Nor­te até à vi­la do Chi­ta­to, num per­cur­so de cin­co qui­ló­me­tros, e da ro­tun­da do ae­ro­por­to do Ca­ma­quen­zo até à zo­na do ter­mi­nal de pas­sa­gei­ros, bem co­mo do des­vio da Cen­tra­li­da­de do Mus­sun­gue ao Ins­ti­tu­to Mé­dio Po­li­téc­ni­co “28 de Agos­to”.

Pa­ra a con­cre­ti­za­ção do pro­jec­to, lem­brou, ti­nha si­do con­tra­ta­da pe­lo go­ver­no pro­vin­ci­al, no âm­bi­to do pro­gra­ma de in­ves­ti­men­tos públicos (PIP) do ano 2014, uma em­pre­sa chi­ne­sa es­pe­ci­a­li­za­da na ges­tão e fa­bri­co de equi­pa­men­tos de ener­gia so­lar.

A par dos pos­tes de ilu­mi­na­ção pú­bli­ca, fo­ram ins­ta­la­dos sis­te­mas fo­to­vol­tai­cos pa­ra o for­ne­ci­men­to de ener­gia eléc­tri­ca em al­gu­mas es­co­las, cen­tros de saú­de e uni­da­des po­li­ci­ais, des­ta­cou Cri­sós­to­mo Itum­bo. O con­tra­to da obra, su­bli­nhou, foi tam­bém ex­ten­si­vo pa­ra a co­lo­ca­ção de se­má­fo­ros as­se­gu­ra­dos, com a tec­no­lo­gia de ener­gia so­lar, pa­ra re­gu­lar o trá­fe­go ro­do­viá­rio.

Em ter­mos de vi­da útil, ex­pli­cou que a elec­tri­ci­da­de for­ne­ci­da pe­la com­po­nen­te so­lar tem uma du­ra­ção de 20 anos, com ga­ran­tia de ma­nu­ten­ção da em­pre­sa, que es­ta­be­le­ce tam­bém o pro­ces­so de for­ma­ção de téc­ni­cos na­ci­o­nais so­bre a uti­li­za­ção e mé­to­dos de re­pa­ra­ção de even­tu­ais fa­lhas re­gis­ta­das no seu fun­ci­o­na­men­to.

Sem pre­juí­zos am­bi­en­tais

O res­pon­sá­vel mu­ni­ci­pal in­for­mou que a ener­gia de ra­di­a­ção so­lar é con­ver­ti­da em ener­gia eléc­tri­ca sem quais­quer pre­juí­zos am­bi­en­tais, atra­vés de uma tec­no­lo­gia avan­ça­da, que re­gu­la au­to­ma­ti­ca­men­te a ilu­mi­na­ção e po­de con­ti­nu­a­men­te fun­ci­o­nar em vá­ri­os dias de chu­va. O res­pon­sá­vel ga­ran­tiu ain­da se­gu­ran­ça má­xi­ma nos pos­tes de ilu­mi­na­ção pú­bli­ca, uma vez que es­tes fun­ci­o­nam com ten­são bai­xa de 12 a 24 volts, não exis­tin­do ris­cos de des­car­ga eléc­tri­ca. A ins­ta­la­ção é fi­xa e com al­ta re­sis­tên­cia ao ven­to.

O Jor­nal de Angola sou­be de fon­tes li­ga­das à em­pre­sa chi­ne­sa Kin­gliht, res­pon­sá­vel pe­lo pro­jec­to, que a ins­ta­la­ção de cada pos­to de ilu­mi­na­ção pú­bli­ca de pai­nel so­lar cus­tou ao Go­ver­no cerca de cin­co mil dó­la­res.

JAIMAGENS.COM

Au­to­ri­da­des de­nun­ci­am van­da­li­za­ção e rou­bo de pai­néis so­la­res o que pre­ju­di­ca a ilu­mi­na­ção pú­bli­ca a ní­vel das prin­ci­pais ar­té­ri­as da ci­da­de do Dundo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.