De­fe­sa dos di­rei­tos hu­ma­nos ex­pli­ca­da à co­mis­são afri­ca­na

Jornal de Angola - - PARTADA - MANUELA GO­MES e YARA SIMÃO|

O mi­nis­tro do In­te­ri­or, Ân­ge­lo da Vei­gas Ta­va­res, re­a­fir­mou on­tem, em Lu­an­da, os es­for­ços do Go­ver­no no cum­pri­men­to da Car­ta Afri­ca­na dos Di­rei­tos Hu­ma­nos e dos Po­vos. Nu­ma au­di­ên­cia que con­ce­deu à pre­si­den­te da Co­mis­são Afri­ca­na dos Di­rei­tos Hu­ma­nos e dos Po­vos, Pansy Tla­ku­la, o mi­nis­tro dis­se que Angola tem de­sen­ca­de­a­do ac­ções no sen­ti­do de me­lho­rar o seu de­sem­pe­nho em ma­té­ri­as li­ga­das aos di­rei­tos hu­ma­nos.

O res­pon­sá­vel re­co­nhe­ceu exis­tir de­bi­li­da­des no cum­pri­men­to e im­ple­men­ta­ção de al­gu­mas des­sas ac­ções, mas dis­se que tu­do tem si­do fei­to pa­ra me­lho­rar. A es­te pro­pó­si­to, dis­se, foi cri­a­da uma Co­mis­são co­or­de­na­da pe­lo Mi­nis­té­rio da Jus­ti­ça e dos Di­rei­tos Hu­ma­nos en­car­re­gue de cri­ar, avaliar e de­sen­vol­ver ac­ções, bem co­mo po­lí­ti­cas que re­gem as ques­tões dos di­rei­tos hu­ma­nos em Angola.

Ân­ge­lo da Vei­gas Ta­va­res dis­se que Angola tem se­gui­do o exem­plo de ou­tros paí­ses no que to­ca ao cum­pri­men­to dos di­rei­tos hu­ma­nos. “As de­le­ga­ções an­go­la­nas que têm par­ti­ci­pa­do em reu­niões in­ter­na­ci­o­nais têm co­lhi­do as me­lho­res ex­pe­ri­ên­ci­as so­bre os di­rei­tos hu­ma­nos, de mo­do a me­lho­rar­mos as nos­sas prá­ti­cas”.

A pre­si­den­te da Co­mis­são Afri­ca­na dos Di­rei­tos Hu­ma­nos e dos Po­vos, Pansy Tla­ku­la, elo­gi­ou o tra­ba­lho do Mi­nis­té­rio do In­te­ri­or na exe­cu­ção de ac­ções so­bre os di­rei­tos hu­ma­nos, des­ta­can­do o tra­ta­men­to da­do às ques­tões re­la­ci­o­na­das com a vi­o­lên­cia do­més­ti­ca. Em de­cla­ra­ções à im­pren­sa no fi­nal do en­con­tro, a di­plo­ma­ta re­fe­riu tam­bém as me­di­das to­ma­das pe­lo Mi­nis­té­rio do In­te­ri­or con­tra efec­ti­vos da Po­li­cia Na­ci­o­nal que co­me­tem cri­mes, bem co­mo aque­les que não obe­de­cem à lei.

Du­ran­te o en­con­tro, es­ti­ve­ram em abor­da­gem os ti­pos de cri­mes que mais pre­do­mi­nam na so­ci­e­da­de an­go­la­na, o fun­ci­o­na­men­to dos ser­vi­ços cri­mi­nais sen­do igual­men­te fei­ta uma bre­ve abor­da­gem so­bre a si­tu­a­ção dos re­fu­gi­a­dos e imi­gran­tes ile­gais no país.

A pre­si­den­te da Co­mis­são Afri­ca­na pa­ra os Di­rei­tos Hu­ma­nos e dos Po­vos reu­niu-se ain­da on­tem com o juiz pre­si­den­te do Tri­bu­nal Su­pre­mo, Ma­nu­el Ara­gão, e com o Pro­cu­ra­dor-Ge­ral da Re­pú­bli­ca, João Ma­ria de Sousa.

Os en­con­tros de­cor­re­ram no Pa­lá­cio da Jus­ti­ça, e abor­da­ram o aces­so à jus­ti­ça em Angola. A pre­si­den­te da Co­mis­são da Afri­ca­na in­for­mou que fo­ram tra­ta­das ques­tões li­ga­das ao res­pei­to dos di­rei­tos hu­ma­nos, ao com­ba­te à vi­o­lên­cia do­més­ti­ca e con­tra a mu­lher, bem co­mo so­bre a le­ga­li­za­ção de or­ga­ni­za­ções não go­ver­na­men­tais.

Pansy Tla­ku­la dis­se es­tar sa­tis­fei­ta com as ex­pli­ca­ções da­das e in­for­mou que o pro­ces­so de re­gis­to de or­ga­ni­za­ções não go­ver­na­men­tais é um dos as­sun­tos que mais pre­o­cu­pa a União Afri­ca­na.

O Pro­cu­ra­dor-Ge­ral da Re­pú­bli­ca con­si­de­rou le­gí­ti­mas as pre­o­cu­pa­ções co­lo­ca­das, em­bo­ra o li­cen­ci­a­men­to de ONG's di­ga res­pei­to ao Mi­nis­té­rio da Jus­ti­ça e dos Di­rei­tos Hu­ma­nos. João Ma­ria de Sousa ex­pli­cou que a PGR tem ape­nas a in­cum­bên­cia de ana­li­sar e ve­ri­fi­car se o ob­jec­to so­ci­al das ONG's não fe­re a Cons­ti­tui­ção e as leis em vi­gor e re­me­ter pa­re­ce­res ao Mi­nis­té­rio da Jus­ti­ça e dos Di­rei­tos Hu­ma­nos.

Pansy Tla­ku­la, que ter­mi­na ama­nhã a sua vi­si­ta a Angola, vi­si­ta ho­je os es­ta­be­le­ci­men­tos pri­si­o­nais de Vi­a­na e de São Pau­lo. A res­pon­sá­vel vai no fi­nal dos tra­ba­lhos con­ce­der uma con­fe­rên­cia de im­pren­sa, on­de apre­sen­ta­rá o seu pon­to de vis­ta so­bre o cum­pri­men­to dos di­rei­tos hu­ma­nos em Angola.

Pansy Tla­ku­la es­tá em Angola des­de o pas­sa­do dia 2 do cor­ren­te mês na sequên­cia do con­vi­te en­de­re­ça­do pe­las au­to­ri­da­des an­go­la­nas, no âm­bi­to do re­for­ço da co­o­pe­ra­ção e pro­mo­ção dos di­rei­tos hu­ma­nos e da im­ple­men­ta­ção das re­co­men­da­ções for­mu­la­das na de­fe­sa do Re­la­tó­rio Pe­rió­di­co com­bi­na­do de Angola, apre­sen­ta­do na 53ª ses­são da Co­mis­são apre­sen­ta­do em Abril e Maio de 2012.

Di­rei­tos da mu­lher

Angola tem uma le­gis­la­ção pro­mo­to­ra e pro­tec­to­ra dos di­rei­tos da mu­lher e da fa­mí­lia, ga­ran­tiu, on­tem, a mi­nis­tra da Fa­mí­lia e Pro­mo­ção da Mu­lher, Fi­lo­me­na Del­ga­do.

Em de­cla­ra­ções aos jor­na­lis­tas, no fi­nal de um en­con­tro à por­ta fe­cha­da com a de­le­ga­ção da Co­mis­são Afri­ca­na dos Di­rei­tos Hu­ma­nos e dos Po­vos, que vi­si­ta o país des­de o dia 2 do cor­ren­te mês, Fi­lo­me­na Del­ga­do re­fe­riu que es­tão cri­a­das as pre­mis­sas pa­ra que re­al­men­te se con­ti­nue a tra­ba­lhar no sen­ti­do de in­se­rir-se cada vez mais as mu­lhe­res e be­ne­fi­ci­ar as fa­mí­li­as, prin­ci­pal­men­te as jo­vens.

Pa­ra o efei­to, a mi­nis­tra da Fa­mí­lia e Pro­mo­ção da Mu­lher apon­tou o re­for­ço da ca­pa­ci­da­de do em­pre­sa­ri­a­do fe­mi­ni­no co­mo uma pri­o­ri­da­de nas po­lí­ti­cas pú­bli­cas de re­du­ção da po­bre­za, su­bli­nhan­do que o pla­no de de­sen­vol­vi­men­to da mu­lher, em ter­mos de re­for­ço da ca­pa­ci­da­de, en­vol­ve as mu­lhe­res em­pre­sá­ri­as, as ru­rais e as da pe­ri­fe­ria.

JOÃO GO­MES

Mi­nis­tro do In­te­ri­or Ân­ge­lo da Vei­ga Ta­va­res

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.