BNA as­si­na­la de­sa­ce­le­ra­ção do pre­ço dos bens ali­men­ta­res

CO­MI­TÉ DE PO­LÍ­TI­CA MONETÁRIA Reu­nião de Se­tem­bro tam­bém cons­ta­ta di­mi­nui­ção dos mei­os de pa­ga­men­to

Jornal de Angola - - PARTADA - ARMANDO ES­TRE­LA |

O Co­mi­té de Po­lí­ti­ca Monetária (CPM) do Ban­co Na­ci­o­nal de Angola (BNA) as­si­na­lou, na sua reu­nião de Se­tem­bro, a de­sa­ce­le­ra­ção da in­fla­ção re­gis­ta­da no mês de Agos­to, re­sul­ta­do do au­men­to da ofer­ta de bens e ser­vi­ços no mer­ca­do na­ci­o­nal e da con­ten­ção da pro­cu­ra, es­pe­ci­al­men­te de bens ali­men­ta­res.

Em Agos­to des­te ano, a ta­xa de in­fla­ção men­sal, me­di­da pe­lo Ín­di­ce de Pre­ços no Con­su­mi­dor (IPC) da pro­vín­cia de Lu­an­da, pu­bli­ca­da pe­lo Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Es­ta­tís­ti­ca (INE), foi de 3,30 por cen­to, con­tra 4,04 por cen­to do mês de Ju­lho. Aten­den­do que a ta­xa de in­fla­ção men­sal em Agos­to de 2016 si­tu­ou­se num patamar ain­da ele­va­do, quan­do com­pa­ra­do com a ta­xa do pe­río­do ho­mó­lo­go de 2015, a in­fla­ção dos úl­ti­mos do­ze me­ses es­te­ve em tor­no dos 38,18 por cen­to.

As clas­ses “Ali­men­ta­ção e Be­bi­das não Al­coó­li­cas”, “Bens e Ser­vi­ços Di­ver­sos” e “Saú­de” fo­ram as que mais va­ri­a­ram e con­tri­buí­ram pa­ra a in­fla­ção re­gis­ta­da no pe­río­do em re­fe­rên­cia. Nas de­mais pro­vín­ci­as ob­jec­to de re­co­lha ofi­ci­al do ní­vel ge­ral de pre­ços por par­te do INE, a Lun­da Nor­te foi a que re­gis­tou a ta­xa de in­fla­ção men­sal mais al­ta, com 4,67 por cen­to, e a do Cu­ne­ne te­ve a ta­xa mais bai­xa, de 2,96 por cen­to. No mes­mo pe­río­do, a LUIBOR Over­night (um dia) pas­sou de 13,92 por cen­to pa­ra 13,93 por cen­to ao ano e, nas ma­tu­ri­da­des de 3 e 12 me­ses, as ta­xas de ju­ro si­tu­a­ram-se em 16,28 e 17,87 por cen­to ao ano, res­pec­ti­va­men­te.

Da­dos pre­li­mi­na­res in­di­cam que, no mês de Agos­to des­te ano, o cré­di­to à eco­no­mia au­men­tou 0,58 por cen­to, o cré­di­to bru­to ao Go­ver­no Cen­tral, ti­tu­la­do e não ti­tu­la­do, cres­ceu 0,61 por cen­to, en­quan­to os de­pó­si­tos do Go­ver­no no sis­te­ma ban­cá­rio con­traí­ram em 5,90 por cen­to.

A Ba­se Monetária Res­tri­ta em MN ex­pan­diu em 1,91 por cen­to. Con­tu­do, os mei­os de pa­ga­men­to re­pre­sen­ta­dos pe­lo agre­ga­do M2 di­mi­nuí­ram um por cen­to em Agos­to e, nos úl­ti­mos 12 me­ses, os mei­os de pa­ga­men­to ex­pan­di­ram 22,17 por cen­to, re­flec­tin­do uma con­trac­ção em ter­mos re­ais.

No pe­río­do em re­fe­rên­cia, os ban­cos co­mer­ci­ais ad­qui­ri­ram di­vi­sas no mer­ca­do cam­bi­al no va­lor de 1,515 mil mi­lhões de dó­la­res, dos quais 1,320 mi­lhões ao Ban­co Na­ci­o­nal de Angola (BNA) e o re­ma­nes­cen­te aos seus cli­en­tes, da­dos que, com­pa­ra­dos ao mês de Ju­lho, re­pre­sen­tam um cres­ci­men­to de 39,19 por cen­to. No mer­ca­do cam­bi­al pri­má­rio, a ta­xa de câm­bio mé­dia do kwan­za fa­ce ao dó­lar man­te­ve uma cer­ta es­ta­bi­li­da­de, em 165,888 kwan­zas. Na reu­nião do dia 28 de Se­tem­bro, o CPM pres­tou uma par­ti­cu­lar aten­ção à tra­jec­tó­ria re­cen­te dos pre­ços na eco­no­mia na­ci­o­nal e ana­li­sou a evo­lu­ção dos in­di­ca­do­res re­la­ti­vos à eco­no­mia na­ci­o­nal, com re­al­ce pa­ra os sec­to­res re­al, fis­cal, mo­ne­tá­rio e ex­ter­no.

O CPM, na sequên­cia da aná­li­se efec­tu­a­da, man­ter a ta­xa ná­si­ca em 16 por cen­to, a Ta­xa da Fa­ci­li­da­de Per­ma­nen­te de Ce­dên­cia de Li­qui­dez em 20 por cen­to e a Ta­xa de Ju­ro da Fa­ci­li­da­de Per­ma­nen­te de Ab­sor­ção de Li­qui­dez a se­te dias em 7,25 por cen­to.

EU­NI­CE SU­ZA­NA

Reu­nião do Ban­co Na­ci­o­nal de Angola de­ci­de man­ter os ju­ros com ba­se na evo­lu­ção de in­di­ca­do­res ma­cro­e­co­nó­mi­cos co­mo a in­fla­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.