Gui­tar­ris­tas são re­co­nhe­ci­dos

TOP DOS MAIS QUERIDOS Ci­da­de de Nda­la­tan­do aco­lhe ga­la do concurso de mú­si­ca

Jornal de Angola - - CULTURA - ROQUE SIL­VA |

A fi­gu­ra do gui­tar­ris­ta an­go­la­no é re­co­nhe­ci­da na edi­ção des­te ano do Top dos Mais Queridos, cu­ja ga­la de di­vul­ga­ção dos ven­ce­do­res e en­tre­ga dos tro­féus é re­a­li­za­da ama­nhã à noi­te, no Ci­ne Nda­la­tan­do, ca­pi­tal do Cu­an­za Nor­te.

A or­ga­ni­za­ção do concurso homenageia, com di­plo­mas de mé­ri­to, os exe­cu­tan­tes des­se im­por­tan­te ins­tru­men­to com um poder me­ló­di­co for­te pa­ra a pro­du­ção mu­si­cal, pe­la sua con­tri­bui­ção pa­ra a afir­ma­ção dos rit­mos na­ci­o­nais, em par­ti­cu­lar, e na sua di­vul­ga­ção, em ge­ral.

Bran­do, Baião, Teddy Nsin­gi, Se­bas­tião Ma­tu­mo­na, Zé Mu­e­le­pu­to e Di­cam­bu, so­lis­tas re­co­nhe­ci­dos no mo­sai­co ar­tís­ti­co an­go­la­no, vão re­pre­sen­tar a clas­se com al­gu­mas per­for­man­ces.

Os gui­tar­ris­tas vão exe­cu­tar acor­des de te­mas de al­gu­mas fi­gu­ras em­ble­má­ti­cas da mú­si­ca an­go­la­na, den­tre os quais Duia, Ma­ri­to, Bel­mi­ro Car­los, Ngo­ma Jazz e Cons­tan­ti­no.

A edi­ção des­te ano tem a par­ti­ci­pa­ção iné­di­ta do te­ma de um mú­si­co já fa­le­ci­do. Ban­gão con­cor­re, a tí­tu­lo pós­tu­mo, com a can­ção “Ca­lum­ba se­le­ta”, uma pro­va de que a sua cri­a­ti­vi­da­de con­ti­nua a me­re­cer elo­gi­os dos apre­ci­a­do­res da mú­si­ca an­go­la­na.

A pri­mei­ra fa­se de vo­ta­ção pú­bli­ca, com a du­ra­ção de 10 me­ses, ele­geu ain­da Ary, com o te­ma “Pa­pa fu­giu” e Eddy Tus­sa, com “Pe­que­ni­na”, ar­tis­tas que, com Ban­gão, são os fi­na­lis­tas des­te ano que já mar­ca­ram pre­sen­ça nou­tras fi­nais. A lis­ta fi­ca com­ple­ta com emer­gen­tes co­mo Cef com “Atro­fi­ar”, Zo­na 5, “Es­tra­gar tu­do”, Ma­go, “Ca­ro­li­na”, Myl­son, “Teu fei­ti­ço”, Ba­se, “Sem nor­te”, Cris­to, “Meu bair­ro” e Elen­co da paz, “Ar­roz com fei­jão”.

O Top dos Mais Queridos é um concurso mu­si­cal que dis­tin­gue os te­mas mais pe­di­dos pe­los ou­vin­tes das es­ta­ções da Ra­di­o­di­fu­são Na­ci­o­nal de Angola-EP (RNA-EP), em vés­pe­ras do seu ani­ver­sá­rio ce­le­bra­do no dia 5 de Ou­tu­bro.

O mú­si­co Pe­dri­to é o ar­tis­ta com o mai­or nú­me­ro de tro­féus, três, se­gui­do dos Ki­e­zos, Jo­vens do Pren­da, Ja­cin­to Tchi­pa, Ma­ti­as Da­má­sio e Yu­ri da Cu­nha, com dois.

A União Na­ci­o­nal dos Ar­tis­tas Plás­ti­cos (UNAP) re­a­bre ama­nhã, às 15 ho­ras, em Lu­an­da, a ga­le­ria De Maio, to­tal­men­te mo­der­ni­za­da, com obras de cri­a­do­res na­ci­o­nais, pa­ra co­me­mo­rar o seu 39.º ani­ver­sá­rio, que as­si­na­la­do no dia se­guin­te.

Em de­cla­ra­ções ao Jor­nal de Angola, o se­cre­tá­rio-ge­ral da UNAP, To­más Ana “Eto­na”, dis­se que a re­cu­pe­ra­ção da­que­le es­pa­ço inac­ti­vo há vá­ri­os anos tem co­mo ob­jec­ti­vo di­vul­gar, pro­mo­ver e aju­dar a ven­der os tra­ba­lhos dos mem­bros da União e de ou­tros ar­tis­tas plás­ti­cos in­te­res­sa­dos.

Com a re­a­ber­tu­ra da ga­le­ria, a par­tir de ago­ra, a UNAP quer ter um pa­pel mais in­ter­ven­ti­vo e de in­ter­me­diá­rio na co­mer­ci­a­li­za­ção das obras dos cri­a­do­res na­ci­o­nais, re­ve­lou Eto­na.

O ob­jec­ti­vo, ex­pli­ca, é evi­tar que os cri­a­do­res na­ci­o­nais co­mer­ci­a­li­zem as obras por pro­ces­sos en­vi­e­sa­dos. O co­nhe­ci­men­to de pro­jec­tos em car­tei­ra, as­sim co­mo a pro­mo­ção das ar­tes plás­ti­cas, são ou­tros ob­jec­ti­vos da UNAP.

Ape­sar das di­fi­cul­da­des fi­nan­cei­ras do país, a re­a­li­za­ção re­gu­lar de ex­po­si­ções tem da­do opor­tu­ni­da­des aos ar­tis­tas de pro­mo­ver o seu ta­len­to, ga­ran­te Eto­na.

Ou­tro de­sa­fio da ins­ti­tui­ção pa­ra os pró­xi­mos anos é es­ta­be­le­cer par­ce­ri­as com or­ga­nis­mos públicos e pri­va­dos, e com em­bai­xa­das, no sen­ti­do de dar mais dig­ni­da­de ao es­pa­ço.

A re­es­tru­tu­ra­ção da área ad­mi­nis­tra­ti­va, a cri­a­ção de con­di­ções de tra­ba­lho, a aqui­si­ção de uma vi­a­tu­ra à dis­po­si­ção dos mem­bros que pre­ten­dam des­lo­car as su­as obras de um es­pa­ço pa­ra o ou­tro, são ou­tras de­ci­sões do en­con­tro.

Con­tri­bu­to dos ar­tis­tas

Eto­na la­men­ta a si­tu­a­ção fi­nan­cei­ra que a UNAP en­fren­ta, com o cor­te do sub­sí­dio es­ta­tal, es­ten­di­do a ou­tras ins­ti­tui­ções. Por es­sa ra­zão, re­a­li­zou-se re­cen­te­men­te um en­con­tro de re­pre­sen­tan­tes do Mi­nis­té­rio da Cul­tu­ra, da União Na­ci­o­nal dos Ar­tis­tas Plás­ti­cos (UNAP), da União dos Es­cri­to­res An­go­la­nos (UEA) e da União dos Ar­tis­tas e Com­po­si­to­res (UNAC-SA), que abor­dou a cri­a­ção de uma li­ga na­ci­o­nal, que de­fen­da os in­te­res­se dos seus fi­li­a­dos.

Ac­tu­al­men­te com mais de 500 fi­li­a­dos, a UNAP fe­li­ci­tou a mi­nis­tra da Cul­tu­ra, Ca­ro­li­na Cer­quei­ra, pe­la di­nâ­mi­ca e sen­si­bi­li­da­de de­mons­tra­das, re­la­ti­va­men­te à apro­va­ção das leis do Me­ce­na­to e Di­rei­tos do Au­tor e co­ne­xos, que vão aju­dar a me­lho­rar as con­di­ções de tra­ba­lho dos cri­a­do­res.

O con­tri­bu­to dos ar­tis­tas plás­ti­cos pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to do país, bem co­mo na con­quis­ta da In­de­pen­dên­cia Na­ci­o­nal, foi enal­te­ci­do por Eto­na, que espera um me­lhor re­co­nhe­ci­men­to das ins­ti­tui­ções go­ver­na­men­tais.

A UNAP, cri­a­da a 8 de Ou­tu­bro de 1977 por um con­jun­to de ar­tis­tas plás­ti­cos e in­te­lec­tu­ais, co­mo Vic­tor Ema­nu­el Tei­xei­ra “Vi­teix” e Hen­ri­que Abran­ches, tem a fi­na­li­da­de de pro­mo­ver e di­vul­gar a pro­du­ção ar­tís­ti­ca na­ci­o­nal.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.