Água com chei­ro a ga­só­leo nas tor­nei­ras do Al­va­la­de

Jornal de Angola - - SOCIEDADE -

O for­ne­ci­men­to de água a al­gu­mas ru­as do bair­ro Al­va­la­de, em Luanda, es­tá res­trin­gi­do, des­de on­tem, de­vi­do a re­cla­ma­ções de mo­ra­do­res de que o lí­qui­do sai das tor­nei­ras com um chei­ro a ga­só­leo.

A in­for­ma­ção foi con­fir­ma­da pe­la Em­pre­sa Pú­bli­ca de Água de Luanda (EPAL), em co­mu­ni­ca­do, no qual in­for­ma que se tra­ta das ru­as Co­man­dan­te Sto­na, Nza­ge, Eça de Qu­ei­rós, Fer­não Men­des e Ra­ma­lho Or­ti­gão.

Co­mo me­di­da pre­ven­ti­va, a em­pre­sa pú­bli­ca iso­lou o pe­rí­me­tro das ru­as re­fe­ren­ci­a­das e dis­po­si­ti­vos hi­dráu­li­cos au­xi­li­a­res. Além das ru­as men­ci­o­na­das, a res­tri­ção no for­ne­ci­men­to atin­ge tam­bém os bair­ros Ma­dei­ra, Ma­cu­lus­so, o Hos­pi­tal Mi­li­tar e a Ma­ter­ni­da­de Lu­cré­cia Paim.

On­tem, uma equi­pa téc­ni­ca mul­ti­dis­ci­pli­nar es­te­ve no lo­cal pa­ra ava­li­ar e so­lu­ci­o­nar o pro­ble­ma. Pe­los trans­tor­nos cau­sa­dos, a EPAL pe­de des­cul­pas e ape­la aos cli­en­tes das ru­as do Al­va­la­de men­ci­o­na­das pa­ra não con­su­mi­rem água da re­de du­ran­te o pe­río­do de res­tri­ção. Tão-lo­go se­ja su­pe­ra­do o pro­ble­ma, é re­pos­to o abas­te­ci­men­to nor­mal de água.

VIGAS DA PURIFICAÇÃO

Em com­pa­ra­ção com os anos an­te­ri­o­res o abas­te­ci­men­to de água re­gis­ta me­lho­ri­as no país

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.