De­le­ga­ções des­fi­lam na aber­tu­ra

AFRI­CA­NO DE VELA

Jornal de Angola - - DESPORTO - AR­MIN­DO PE­REI­RA |

A ce­ri­mó­nia de aber­tu­ra do Cam­pe­o­na­to Afri­ca­no das Na­ções de Op­ti­mist acon­te­ce ho­je às 16h00, na con­tra-costa do Clu­be Na­val de Luanda, a mar­car o ar­ran­que da pro­va que vai de­cor­rer de ama­nhã até ao dia 14 do cor­ren­te.

Além de An­go­la vão es­tar pre­sen­tes na pro­va or­ga­ni­za­da pelo Clu­be Na­val e Fe­de­ra­ção An­go­la­na de Des­por­tos Náu­ti­cos (FADN) as re­pre­sen­ta­ções na­ci­o­nais da Áfri­ca do Sul, Mo­çam­bi­que, Ar­gé­lia, Ilhas Sey­chel­les, Zim­babwe e Egip­to. A aber­tu­ra for­mal vai con­tar com mais com mais de 100 en­ti­da­des con­vi­da­das, com des­ta­que pa­ra a se­cre­tá­ria de Es­ta­do pa­ra o Des­por­to, Ana Pau­la Sa­cra­men­to, em re­pre­sen­ta­ção do mi­nis­tro da Juventude e Des­por­tos, Al­bi­no da Con­cei­ção.

De acor­do com Bru­no Mar­tins, di­rec­tor exe­cu­ti­vo do Clu­be Na­val, a ce­ri­mo­nia vai ter um mo­men­to cul­tu­ral, se­gui­da dos dis­cur­sos das di­fe­ren­tes en­ti­da­des en­vol­vi­das na re­a­li­za­ção do cam­pe­o­na­to, des­fi­le das de­le­ga­ções es­tran­gei­ras e no fi­nal a ha­bi­tu­al ce­ri­mó­nia sim­bó­li­ca das águas.

“Nes­ta ce­ri­mó­nia das águas, to­dos os paí­ses tra­zem con­si­go uma gar­ra­fa com água da sua costa, pa­ra ser de­po­si­ta­da num re­ser­va­tó­rio e pos­te­ri­or­men­te, no dia da pri­mei­ra re­ga­ta, ser vi­ra­da no mar. A ideia é jun­tar as águas dos di­fe­ren­tes oce­a­nos. É sim­bó­li­co, mas com gran­de sig­ni­fi­ca­do”, ex­pli­cou o di­ri­gen­te des­por­ti­vo.

De­pois de con­quis­tar cin­co me­da­lhas, sen­do uma de ou­ro e qua­tro de bron­ze, que re­sul­tou no se­gun­do lu­gar no úl­ti­mo Afri­ca­no (Ar­gé­lia 2015), a or­ga­ni­za­ção de­fi­niu o pri­mei­ro lu­gar co­mo me­ta, de acor­do com o se­lec­ci­o­na­dor na­ci­o­nal, Moi­sés Ca­mo­ta. “Es­ta­mos em casa e não pas­sa pelo nos­so pen­sa­men­to ou­tro re­sul­ta­do que não se­ja a vi­tó­ria. Áfri­ca do Sul, Ar­gé­lia (de­ten­to­ra do tí­tu­lo) e Mo­çam­bi­que são os al­vos a aba­ter nes­te afri­ca­no. É cla­ro que te­mos de es­tar aten­tos a to­dos os con­cor­ren­tes. Po­de ha­ver sur­pre­sas, por­que qu­em dis­pu­ta es­pe­ra ven­cer”, aler­tou o téc­ni­co.

O se­lec­ci­o­na­dor re­cor­dou que An­go­la já con­quis­tou o ou­ro em com­pe­ti­ções pas­sa­das, mas ga­ran­te que se re­pe­tir o fei­to em casa “te­rá um sa­bor di­fe­ren­te”. Ad­mi­nis­tra­ti­va­men­te es­tá tu­do bem en­ca­mi­nha­do, res­tan­do ape­nas aguar­dar pe­la ho­ra das em­bar­ca­ções zar­pa­rem pa­ra a pri­mei­ra re­ga­ta.

“O que fal­ta nes­ta al­tu­ra é a parte prá­ti­ca. É a pri­mei­ra vez que es­ta­mos a re­a­li­zar uma pro­va do gé­ne­ro e nem sem­pre as coi­sas cor­rem de fei­ção no pri­mei­ro dia. Os di­as sub­se­quen­tes se­rão fun­da­men­tais pa­ra o su­ces­so da or­ga­ni­za­ção”, afir­mou Bru­no Mar­tins, con­fi­an­te no su­ces­so da or­ga­ni­za­ção.

EDU­AR­DO PE­DRO

Ve­le­ja­do­res an­go­la­nos es­pe­ram ti­rar par­ti­do do fac­tor casa pa­ra atin­gir o to­po da clas­si­fi­ca­ção no cam­pe­o­na­to con­ti­nen­tal que ar­ran­ca ama­nhã

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.