Clin­ton e Trump têm no­vo de­ba­te

Jornal de Angola - - PARTADA -

Os dois prin­ci­pais can­di­da­tos na cor­ri­da à Ca­sa Bran­ca, Hil­lary Clin­ton e Do­nald Trump, vol­tam a es­tar num fren­te-a-fren­te ama­nhã, pa­ra o se­gun­do de­ba­te te­le­vi­si­vo no qua­dro das elei­ções pre­si­den­ci­ais nor­te­a­me­ri­ca­nas, de­pois de uma se­ma­na par­ti­cu­lar­men­te di­fí­cil pa­ra a cam­pa­nha do mul­ti­mi­li­o­ná­rio re­pu­bli­ca­no.

Agen­da­do pa­ra a Uni­ver­si­da­de de Washing­ton em Saint Louis, no es­ta­do do Mis­sou­ri (cen­tro dos Es­ta­dos Uni­dos), o de­ba­te de 90 mi­nu­tos, a ser trans­mi­ti­do em An­go­la na ma­dru­ga­da de se­gun­da-fei­ra, vai ter al­gu­mas di­fe­ren­ças em re­la­ção ao pri­mei­ro fren­te-a-fren­te en­tre Trump e a sua ri­val de­mo­cra­ta Hil­lary Clin­ton, que acon­te­ceu a 26 de Se­tem­bro em No­va Ior­que.

Se­rá mo­de­ra­do por dois jor­na­lis­tas - An­der­son Co­o­per (um dos re­pór­te­res mais me­diá­ti­cos do ca­nal de in­for­ma­ção CNN) e Martha Rad­datz (cor­res­pon­den­te in­ter­na­ci­o­nal da ABC News) - e vai in­cluir per­gun­tas de ci­da­dãos que vão as­sis­tir na pla­teia ao de­ba­te, se­gun­do in­for­ma­ções di­vul­ga­das pe­la Co­mis­são de De­ba­tes Pre­si­den­ci­ais dos Es­ta­dos Uni­dos, o or­ga­nis­mo in­de­pen­den­te que or­ga­ni­za os de­ba­tes. Na opi­nião de ana­lis­tas e dos seus pró­pri­os ali­a­dos, Trump é obri­ga­do a im­por-se nes­te se­gun­do fren­te-a-fren­te se qui­ser man­ter as hi­pó­te­ses de ser elei­to pa­ra a Ca­sa Bran­ca nas elei­ções do pró­xi­mo dia 8 de No­vem­bro. Mas os úl­ti­mos di­as não fo­ram fá­ceis pa­ra a cam­pa­nha de Do­nald Trump.

De­pois de um pri­mei­ro de­ba­te do­mi­na­do pe­la de­mo­cra­ta Hil­lary Clin­ton, se­gun­do as son­da­gens di­vul­ga­das lo­go após o em­ba­te, o can­di­da­to re­pu­bli­ca­no foi con­fron­ta­do com uma in­ves­ti­ga­ção jor­na­lís­ti­ca do The New York Ti­mes que da­va con­ta de que te­ria evi­ta­do, de for­ma le­gal, pa­gar im­pos­tos du­ran­te, pe­lo me­nos, 18 anos ao de­cla­rar per­das de 916 mi­lhões de dó­la­res (cer­ca de 814 mi­lhões de eu­ros) em 1995.

A ques­tão dos im­pos­tos de Trump é con­si­de­ra­da fun­da­men­tal e sen­sí­vel, aten­den­do que o mag­na­ta imo­bi­liá­rio re­cu­sou até à da­ta tor­nar pú­bli­cas as su­as de­cla­ra­ções de im­pos­tos, uma prá­ti­ca tra­di­ci­o­nal­men­te re­a­li­za­da pe­los can­di­da­tos à pre­si­dên­cia dos Es­ta­dos Uni­dos por uma ques­tão de trans­pa­rên­cia.

Di­as de­pois, o pro­cu­ra­dor-ge­ral do es­ta­do de No­va Ior­que, o de­mo­cra­ta Eric Sch­nei­der­man, or­de­nou que a Fun­da­ção Trump ces­sas­se ime­di­a­ta­men­te com a re­co­lha de do­a­ções, uma vez que não es­tá em con­for­mi­da­de com as leis es­ta­du­ais. O em­pre­sá­rio tam­bém es­te­ve en­vol­vi­do nu­ma po­lé­mi­ca com a ex-Miss Uni­ver­so, Ali­cia Ma­cha­do, a quem te­rá cha­ma­do “Miss Piggy.” Nas vés­pe­ras do se­gun­do de­ba­te, vá­ri­as son­da­gens dão si­nais de uma der­ra­pa­gem na cam­pa­nha elei­to­ral de Trump. Se­gun­do uma son­da­gem da em­pre­sa Ip­sos, com uma amos­tra de 1.928 adul­tos nor­te-ame­ri­ca­nos, Clin­ton con­se­gue um apoio de 42 por cen­to a ní­vel na­ci­o­nal, en­quan­to Trump ob­tém 36 por cen­to.

A van­ta­gem da ex-se­cre­tá­ria de Es­ta­do au­men­ta (pa­ra 44 por cen­to), quan­do não são con­ta­bi­li­za­dos os apoi­an­tes do can­di­da­to do Par­ti­do Li­ber­tá­rio (o ter­cei­ro mai­or par­ti­do dos EUA), Gary John­son, e da can­di­da­ta do Par­ti­do Ver­de, Jill Stein.

O si­te Re­alC­le­arPo­li­tics, que ela­bo­ra uma mé­dia das son­da­gens di­vul­ga­das nos Es­ta­dos Uni­dos, dá a Hil­lary Clin­ton uma van­ta­gem de 3,8 pon­tos per­cen­tu­ais em re­la­ção a Trump. Obri­ga­do a re­ver a sua es­tra­té­gia, Trump vai con­tar nes­te se­gun­do de­ba­te, se­gun­do a im­pren­sa in­ter­na­ci­o­nal, com a as­ses­so­ria de Ni­gel Fa­ra­ge, o ex-lí­der do UKIP (Par­ti­do da In­de­pen­dên­cia do Rei­no Uni­do), que es­tá nos Es­ta­dos Uni­dos pa­ra o aju­dar.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.