Es­tá­tua de Gandhi re­mo­vi­da de Ac­cra

Jornal de Angola - - DESPORTO -

Mais de mil aca­dé­mi­cos da Uni­ver­si­da­de do Gha­na, no cam­pus de Ac­cra, as­si­na­ram uma pe­ti­ção, lan­ça­da em Se­tem­bro, que ti­nha co­mo fi­na­li­da­de a re­mo­ção da es­tá­tua de Mahat­ma Gandhi.

O cor­po do­cen­te acu­sa o an­ti­go pre­si­den­te da Ín­dia de ter si­do ra­cis­ta en­quan­to vi­veu no con­ti­nen­te afri­ca­no e exi­giu a re­mo­ção da es­tá­tua. Pa­ra evi­tar con­tro­vér­si­as e as­se­gu­rar a se­gu­ran­ça da es­tá­tua, o Mi­nis­té­rio dos Ne­gó­ci­os Es­tran­gei­ros (MNE) do Gha­na re­ve­lou que vai trans­fe­rir a es­tá­tua pa­ra ou­tro lo­cal.

Os pro­fes­so­res ata­cam o an­ti­go lí­der in­di­a­no, ale­gan­do que “pre­fe­rem pre­ser­var a sua dig­ni­da­de do que se pros­tra­rem di­an­te dos de­se­jos de uma su­per­po­tên­cia eu­ro-asiá­ti­ca emer­gen­te”. Pa­ra os aca­dé­mi­cos, a uni­ver­si­da­de de­ve­ria dar pri­o­ri­da­de aos he­róis e he­roí­nas afri­ca­nos.

Os do­cen­tes ar­gu­men­tam ain­da que Gandhi es­cre­veu, du­ran­te o pe­río­do em que vi­veu na Áfri­ca do Sul, que os in­di­a­nos são “in­fi­ni­ta­men­te su­pe­ri­o­res” aos afri­ca­nos ne­gros.

Con­si­de­ra­do um he­rói a ní­vel mun­di­al, Gandhi li­de­rou o mo­vi­men­to que trou­xe a in­de­pen­dên­cia à Ín­dia fa­ce à Grã-Bre­ta­nha, atra­vés de pro­tes­tos pa­cí­fi­cos. A sua to­le­rân­cia em re­la­ção a to­das as re­li­giões di­tou a sua mor­te por um fa­ná­ti­co hin­du em 1948.

“Co­mo ser hu­ma­no que era, Mahat­ma Gandhi pô­de ter ti­do as su­as fa­lhas, mas te­mos de nos lem­brar que as pes­so­as evo­lu­em”, lem­bra o MNE do Gha­na. O seu ne­to, Raj­mohan Gandhi, ad­mi­tiu que o avô foi na sua ju­ven­tu­de “ig­no­ran­te e pre­con­cei­tu­o­so” em re­la­ção aos sul-afri­ca­nos ne­gros.

Gandhi é ain­da acu­sa­do de ter per­pe­tu­a­do o sis­te­ma de cas­tas na Ín­dia, uma hi­e­rar­quia so­ci­al mui­to an­ti­ga que de­fi­ne o es­ta­tu­to so­ci­al de ca­da ci­da­dão.

No sis­te­ma de cas­tas da Ín­dia, que di­vi­de a po­pu­la­ção de acor­do com o seu nas­ci­men­to em clas­ses hi­e­rár­qui­cas, a ta­re­fa de lim­par de­jec­tos hu­ma­nos é di­rec­ta­men­te as­so­ci­a­da aos da­lits. É a cas­ta que ocu­pa a po­si­ção mais bai­xa da hi­e­rar­quia e so­fre com um pro­fun­do pre­con­cei­to es­tru­tu­ral no país. Os da­lits re­pre­sen­tam 16, 6 por cen­to dos 1.200 mi­lhões de ha­bi­tan­tes do país

Ape­sar da pro­tec­ção le­gal, a Ín­dia con­ti­nua mar­ca­da pe­lo que o ex-pri­mei­ro-mi­nis­tro Man­mohan Singh des­cre­veu co­mo “apartheid de cas­tas”.Mi­lhões de da­lits, con­si­de­ra­dos in­to­cá­veis, so­frem de for­ma per­ma­nen­te a dis­cri­mi­na­ção, cons­tan­te­men­te re­for­ça­da pe­lo Es­ta­do e por en­ti­da­des pri­va­das. Um es­tu­do fei­to em 2014 re­ve­lou que um em ca­da qua­tro en­tre­vis­ta­dos, de di­fe­ren­tes gru­pos re­li­gi­o­sos, re­co­nhe­ceu ter pra­ti­ca­do a in­to­ca­bi­li­da­de. Em al­gu­mas al­dei­as, os es­tu­dan­tes das cas­tas su­pe­ri­o­res ne­gam-se a co­mer ali­men­tos pre­pa­ra­dos pe­los da­lits, um gru­po que in­clui vá­ri­as co­mu­ni­da­des mar­gi­na­li­za­das. O sis­te­ma de cas­tas, con­si­de­ra­do uma ca­rac­te­rís­ti­ca do­mi­nan­te da re­li­gião hin­du e pra­ti­ca­men­te vis­to co­mo uma di­vi­são di­vi­na do tra­ba­lho, dá aos da­lits as ta­re­fas mais ser­vis.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.