Ex-lí­der re­bel­de mor­re em Ki­dal ví­ti­ma de mi­na

Jornal de Angola - - OPINIÃO -

O ex-lí­der de um gru­po re­bel­de is­la­mi­ta no Mali mor­reu no sá­ba­do na ex­plo­são de uma mi­na em Ki­dal, no Nor­te do país, in­for­ma­ram on­tem fon­tes li­ga­das ao gru­po e à mis­são das Na­ções Uni­das no país.

Cheikh Ag Aous­sa aca­ba­va de sair de um es­cri­tó­rio da mis­são da ONU no país, a Mi­nus­ma, on­de par­ti­ci­pou nu­ma reu­nião, quan­do o seu car­ro pi­sou uma mi­na e te­ve mor­te ins­tan­tâ­nea, de­cla­rou à agên­cia AFP uma fon­te mi­li­tar da Mi­nus­ma. A Co­or­de­na­ção de Mo­vi­men­tos do Azawad (CMA, an­ti­go gru­po re­bel­de), que con­tro­la Ki­dal, con­fir­mou a in­for­ma­ção e so­li­ci­tou uma in­ves­ti­ga­ção in­de­pen­den­te.

“So­li­ci­ta­mos uma in­ves­ti­ga­ção in­de­pen­den­te por­que, en­tre as hi­pó­te­ses, es­tá a de um aten­ta­do com car­ro­bom­ba”, dis­se Moha­med Ag Use­ne, mem­bro da CMA. Tu­a­re­gue da tri­bo dos Ifoghas, Cheikh Ag Aous­sa era o nú­me­ro dois do Al­to Con­se­lho pa­ra a Uni­da­de do Azawad (HCUA) e con­si­de­ra­do um ra­di­cal. Quan­do a re­be­lião te­ve iní­cio, em 2012, uniu-se ao gru­po An­sar Di­ne, co­man­da­do pe­lo tu­a­re­gue ma­li­a­no Iyad Ag Ghaly, de quem era o bra­ço di­rei­to. Mas em 2013, lo­go após a in­ter­ven­ção mi­li­tar fran­ce­sa em Ja­nei­ro da­que­le ano, os ca­mi­nhos dos dois se­pa­ra­ram-se e Cheikh Ag Aous­sa in­cor­po­rou-se no Mo­vi­men­to Is­lâ­mi­co do Azawad que, em Maio de 2014, tor­nou-se HCUA.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.