Re­gis­to elei­to­ral é ace­le­ra­do

Ob­jec­ti­vo é le­var o pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção de da­dos mais pró­xi­mo dos ci­da­dãos

Jornal de Angola - - PARTADA - ADELINA INÁ­CIO | WEZA PASCOAL | Me­non­gue LUÍSA VICTORIANO | Ma­lan­je VAL­TER GO­MES | Uí­ge e AFON­SO COS­TA | Na­mi­be

O nú­me­ro de bri­ga­dis­tas que vão tra­ba­lhar até Mar­ço do pró­xi­mo ano no pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to foi au­men­ta­do a par­tir de on­tem pe­lo Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio, in­for­mou o se­cre­tá­rio de Es­ta­do pa­ra os As­sun­tos Ins­ti­tu­ci­o­nais e Elei­to­rais. Adão de Al­mei­da dis­se que a in­ten­ção é le­var o re­gis­to mais pró­xi­mo dos ci­da­dãos. “Com o au­men­to dos bri­ga­dis­tas, va­mos atin­gir o ple­no da ca­pa­ci­da­de. Va­mos tra­ba­lhar com os qua­tro mil ope­ra­do­res pro­jec­ta­dos e apro­xi­mar o re­gis­to da po­pu­la­ção”, dis­se, du­ran­te um en­con­tro com os re­pre­sen­tan­tes dos par­ti­dos po­lí­ti­cos. Adão de Al­mei­da anun­ci­ou que o Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio vai im­ple­men­tar, nos pró­xi­mos di­as, um sis­te­ma de in­for­ma­ção ao ci­da­dão com o en­vio de men­sa­gens com os da­dos ac­tu­a­li­za­dos. “O ci­da­dão vai fa­zer a ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral e vai lo­go de se­gui­da re­ce­ber uma men­sa­gem com os da­dos do seu re­gis­to”, dis­se. O pro­ces­so de cre­den­ci­a­men­to dos fis­cais dos par­ti­dos po­lí­ti­cos es­tá con­cluí­do. Es­tão cre­den­ci­a­dos mais de cin­co mil fis­cais de par­ti­dos po­lí­ti­cos le­gal­men­te cons­ti­tuí­dos. Foi cri­a­da uma li­nha te­le­fó­ni­ca pa­ra os par­ti­dos po­lí­ti­cos in­te­ra­gi­rem com o Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio sem­pre que exis­tir al­gu­ma pre­o­cu­pa­ção.

O nú­me­ro de bri­ga­dis­tas que vão tra­ba­lhar até Mar­ço do pró­xi­mo ano no pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to foi au­men­ta­do a par­tir de on­tem pe­lo Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio, in­for­mou o se­cre­tá­rio de Es­ta­do pa­ra os As­sun­tos Ins­ti­tu­ci­o­nais e Elei­to­rais.

Adão de Al­mei­da dis­se que a in­ten­ção é le­var o re­gis­to mais pró­xi­mo dos ci­da­dãos. “Com o au­men­to dos bri­ga­dis­tas, va­mos atin­gir o ple­no da ca­pa­ci­da­de. Va­mos tra­ba­lhar com os qua­tro mil ope­ra­do­res pro­jec­ta­dos e apro­xi­mar o re­gis­to da po­pu­la­ção”, dis­se, du­ran­te um en­con­tro com os re­pre­sen­tan­tes dos par­ti­dos po­lí­ti­cos le­gal­men­te cons­ti­tuí­dos.

O Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio, ex­pli­cou Adão de Al­mei­da, vai im­ple­men­tar, nos pró­xi­mos di­as, um sis­te­ma de in­for­ma­ção ao ci­da­dão com o en­vio de men­sa­gens com os da­dos ac­tu­a­li­za­dos. “O ci­da­dão vai fa­zer a ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral e vai lo­go de se­gui­da re­ce­ber uma men­sa­gem com os da­dos do seu re­gis­to”, de­cla­rou, su­bli­nhan­do que es­ta ac­ção vai per­mi­tir me­lho­rar a in­te­rac­ção com os ci­da­dãos.

O pro­ces­so de cre­den­ci­a­ção dos fis­cais dos par­ti­dos po­lí­ti­cos es­tá con­cluí­do. Es­tão cre­den­ci­a­dos mais de cin­co mil fis­cais dos par­ti­dos po­lí­ti­cos que têm vin­do a de­sen­vol­ver o tra­ba­lho de fis­ca­li­za­ção. Foi cri­a­da uma li­nha te­le­fó­ni­ca pa­ra os par­ti­dos po­lí­ti­cos in­te­ra­gi­rem com o Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio sem­pre que exis­tir al­gu­ma pre­o­cu­pa­ção. Es­tá igual­men­te a ser cri­a­do um cor­reio elec­tró­ni­co pa­ra fa­ci­li­tar os con­tac­tos.

For­ma­ção

No Cu­an­do Cu­ban­go são 107 os no­vos bri­ga­dis­tas que ter­mi­na­ram a for­ma­ção so­bre ac­tu­a­li­za­ção de re­gis­to elei­to­ral e vão tra­ba­lhar nos no­ve mu­ni­cí­pi­os da pro­vín­cia. O di­rec­tor pro­vin­ci­al dos Re­gis­tos do Cu­an­do Cu­ban­go, Jo­sé Mar­tins, dis­se que com es­te no­vo gru­po a pro­vín­cia pas­sa a con­tar com 217 bri­ga­dis­tas e 30 bri­ga­das que vão as­se­gu­rar to­do o pro­ces­so de re­gis­to na re­gião.

Jo­sé Mar­tins anun­ci­ou que até ago­ra mais de 38 mil ci­da­dãos na pro­vín­cia já ac­tu­a­li­za­ram o seu re­gis­to elei­to­ral. “O pro­ces­so de­cor­re sem so­bres­sal­tos em to­da a pro­vín­cia e es­tão cri­a­das to­das as con­di­ções pa­ra a mo­bi­li­da­de dos bri­ga­dis­tas, quer se­ja por via aé­rea, ter­res­tre ou flu­vi­al.”

Em Ma­lan­je, o pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral foi re­for­ça­do com a en­tra­da de 100 ope­ra­do­res elei­to­rais, que tam­bém ter­mi­na­ram a for­ma­ção no sá­ba­do. A for­ma­ção, que du­rou cin­co di­as, foi ori­en­ta­da por qua­dros da em­pre­sa de Sis­te­ma de In­for­ma­ção In­dus­tri­al e Con­sul­to­ria (SINFIC), e te­ve co­mo ob­jec­ti­vos do­tar os par­ti­ci­pan­tes de co­nhe­ci­men­tos so­bre o re­gis­to elei­to­ral, o seu en­qua­dra­men­to le­gal, as­sim co­mo ac­tu­a­li­za­ção de da­dos e a pro­va de vi­da dos ci­da­dãos.

Os ope­ra­do­res re­ce­be­ram co­nhe­ci­men­tos re­la­ci­o­na­dos com as téc­ni­cas de ac­tu­a­li­za­ção de da­dos, a le­gis­la­ção do re­gis­to elei­to­ral, prin­cí­pi­os, di­rei­tos e de­ve­res dos ci­da­dãos, as­sim co­mo as in­frac­ções do re­gis­to elei­to­ral e san­ções.

O di­rec­tor pro­vin­ci­al dos Re­gis­tos, João de As­sun­ção, re­fe­riu que a pro­vín­cia con­ta com um to­tal de 256 ope­ra­do­res. João de As­sun­ção as­se­gu­rou que com a for­ma­ção de mais ope­ra­do­res vai au­men­tar o nú­me­ro de actualizações diá­ri­as de ci­da­dãos nos pos­tos de re­gis­to elei­to­ral e a ca­pa­ci­da­de ope­ra­ti­va. “A Di­rec­ção Pro­vin­ci­al dos Re­gis­tos con­ta com uma tela que vai per­mi­tir a mo­ni­to­ria elec­tró­ni­ca, con­tro­lo dos ope­ra­do­res nos 14 mu­ni­cí­pi­os, cor­rec­ção dos ta­ble­tes, as­sim co­mo me­lhor con­tro­lo dos elei­to­res ac­tu­a­li­za­dos em ca­da lo­ca­li­da­de”.

O go­ver­na­dor pro­vin­ci­al de Ma­lan­je, Nor­ber­to dos San­tos “Kwa­ta Ka­nawa”, dis­se es­tar sa­tis­fei­to com o nú­me­ro de ci­da­dãos que ac­tu­a­li­za­ram os seus car­tões de elei­tor e ape­lou aos ope­ra­do­res do re­gis­to elei­to­ral mai­or res­pon­sa­bi­li­da­de nas su­as fun­ções, ri­gor, dis­ci­pli­na e es­pí­ri­to pa­trió­ti­co pa­ra o êxi­to do pro­ces­so.

Ape­lo da UNITA

O se­cre­tá­rio pro­vin­ci­al da UNITA no Uí­ge exor­tou os mi­li­tan­tes a ac­tu­a­li­za­rem os seus da­dos elei­to­rais e fa­ze­rem a pro­va de vi­da pa­ra que em 2017 exer­çam o seu di­rei­to de ci­da­da­nia sem quais­quer di­fi­cul­da­des. Félix Si­mão Lu­cas dis­cur­sa­va na I Reu­nião do Co­mi­té Pro­vin­ci­al da UNITA, que te­ve co­mo ob­jec­ti­vo ana­li­sar a vi­da in­ter­na e tra­çar es­tra­té­gi­as pa­ra o al­can­ce do su­ces­so nas elei­ções do pró­xi­mo ano.

Félix Si­mão Lu­cas pe­diu aos mi­li­tan­tes da UNITA pa­ra se­rem exem­pla­res no cum­pri­men­to do de­ver de ci­da­da­nia. “O vo­to é se­cre­to. Por is­so o ci­da­dão de­ve se­guir os pas­sos es­ta­be­le­ci­dos pe­la lei”, dis­se, pa­ra acres­cen­tar que “di­an­te des­ta opor­tu­ni­da­de, os an­go­la­nos têm a obri­ga­ção de es­co­lher e re­flec­tir so­bre o fu­tu­ro do país, dos fi­lhos e ne­tos, por­que se­ja que par­ti­do for, o car­tão não vo­ta. O vo­to é se­cre­to e cons­ci­en­te”.

Se­gun­do o po­lí­ti­co, o mo­men­to que se avi­zi­nha é de re­fle­xão e con­cen­tra­ção, ten­do acon­se­lha­do os seus mi­li­tan­tes no sen­ti­do de evi­ta­rem o ner­vo­sis­mo pa­ra que não ha­ja apro­vei­ta­men­to dos que gos­tam de go­ver­nar na con­fu­são. “An­go­la pre­ci­sa de um go­ver­no que in­cen­ti­ve o amor ao pró­xi­mo, on­de o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca não se­ja o pre­si­den­te de um par­ti­do, por­que só as­sim po­de go­ver­nar pa­ra to­dos os an­go­la­nos sem olhar pa­ra as co­res par­ti­dá­ri­as.”

O se­cre­tá­rio pro­vin­ci­al da UNITA ape­lou aos mi­li­tan­tes do seu par­ti­do a man­te­rem a se­re­ni­da­de, co­e­são, uni­da­de e res­pei­to no exer­cí­cio das su­as mis­sões.

A I reu­nião do Co­mi­té Pro­vin­ci­al da UNITA no Uí­ge con­tou com a pre­sen­ça do se­cre­tá­rio pro­vin­ci­al do Zai­re, bem co­mo de vá­ri­os mem­bros da or­ga­ni­za­ção pro­ve­ni­en­tes dos 16 mu­ni­cí­pi­os.

CA­SA-CE quer afluên­cia

O se­cre­tá­rio pro­vin­ci­al da CASACE no Na­mi­be, Ma­nu­el Sam­paio Mu­can­da, re­al­çou a im­por­tân­cia do re­gis­to elei­to­ral, por ser um de­ver cí­vi­co que en­vol­ve a par­ti­ci­pa­ção po­si­ti­va e pa­trió­ti­ca de to­dos os ci­da­dãos. A co­li­ga­ção pre­ten­de re­a­li­zar uma agen­da con­jun­ta com as de­mais or­ga­ni­za­ções po­lí­ti­cas sob o le­ma “Na­mi­ben­ses, to­dos ao re­gis­to elei­to­ral”. A ac­ção vi­sa ex­pli­car a im­por­tân­cia do ac­to.

Em con­fe­rên­cia de im­pren­sa, Ma­nu­el Sam­paio es­cla­re­ceu que o re­gis­to elei­to­ral é um as­sun­to ac­tu­al. No seu en­ten­der, exis­te uma cer­ta apa­tia da par­te dos ci­da­dãos, ten­do em con­ta a re­a­li­da­de que o país atra­ves­sa.

EDU­AR­DO CU­NHA

Bri­ga­dis­tas par­ti­ci­pa­ram nu­ma ac­ção de for­ma­ção an­tes de re­for­ça­rem as equi­pas que ac­tu­a­li­zam os da­dos dos ci­da­dãos mai­o­res

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.