For­tes chu­vas cau­sa­ram da­nos na no­va centralidade do Dundo

Téc­ni­cos da ENDE e da PAN tra­ba­lham ar­du­a­men­te pa­ra den­tro de di­as so­lu­ci­o­na­rem a si­tu­a­ção

Jornal de Angola - - PARTADA - AR­MAN­DO SAPALO |

Mo­ra­do­res dos apar­ta­men­tos das zonas três a seis da Centralidade do Mussungue, o mai­or pro­jec­to ha­bi­ta­ci­o­nal cons­truí­do no Dundo, na Lun­da Nor­te, es­tão pri­va­dos do for­ne­ci­men­to de ener­gia eléc­tri­ca, há al­guns di­as, de­vi­do à des­trui­ção, pe­las chu­vas, de um dos pos­tos de trans­for­ma­ção (PT), in­for­mou, no sá­ba­do, o re­pre­sen­tan­te da em­pre­sa Imo­ges­tin na pro­vín­cia.

An­tó­nio Fer­nan­des ex­pli­cou que a chu­va que caiu na ma­dru­ga­da de quin­ta-fei­ra so­bre a ci­da­de do Dundo, acom­pa­nha­da de ven­tos for­tes e gra­ni­zo, cau­sou da­nos subs­tan­ci­ais em 21 dis­jun­to­res do Pos­to de Trans­for­ma­ção (PT), que ga­ran­te o for­ne­ci­men­to de ener­gia eléc­tri­ca a al­gu­mas zonas da centralidade.

Nes­te mo­men­to, téc­ni­cos da em­pre­sa PAN Chi­na, res­pon­sá­vel pe­la cons­tru­ção da centralidade, em co­or­de­na­ção com a Em­pre­sa Na­ci­o­nal de Elec­tri­ci­da­de (ENDE), es­tão a en­vi­dar es­for­ços pa­ra, den­tro de di­as, so­lu­ci­o­na­rem a si­tu­a­ção.

O re­pre­sen­tan­te da Imo­ges­tin na pro­vín­cia pe­diu cal­ma aos mo­de­ra­do­res pe­lo da­nos cau­sa­dos e ga­ran­tiu que os téc­ni­cos já tra­ba­lham na re­cu­pe­ra­ção e subs­ti­tui­ção dos dis­jun­to­res afec­ta­dos.

“O for­ne­ci­men­to de ener­gia eléc­tri­ca é um ser­vi­ço in­dis­pen­sá­vel pa­ra o bem-es­tar das fa­mí­li­as e, por is­so, a sua re­po­si­ção acon­te­ce o mais de­pres­sa pos­sí­vel, a jul­gar pe­lo em­pe­nho dos téc­ni­cos da PAN Chi­na e da ENDE, que tra­ba­lham ar­du­a­men­te pa­ra de­vol­ver a ale­gria aos mo­ra­do­res”.

An­tó­nio Fer­nan­des des­car­tou a hi­pó­te­se de ha­ver da­nos mai­o­res, uma vez que to­das as ava­ri­as en­con­tra­das nos pos­tos de trans­for­ma­ção nas ca­sas fo­ram de­vi­da­men­te ava­li­a­dos.

A centralidade do Dundo é abas­te­ci­da atra­vés de uma cen­tral tér­mi­ca, com ca­pa­ci­da­de de 30 me­gawatts, cons­truí­da pe­lo Mi­nis­té­rio de Ener­gia e Águas, no qua­dro das ac­ções de In­ves­ti­men­tos Pú­bli­cos.

A in­fra-es­tru­tu­ra do sec­tor eléc­tri­co, inau­gu­ra­da em Mar­ço de 2014 pe­lo mi­nis­tro da Ener­gia e Águas João Bap­tis­ta Bor­ges, é as­se­gu­ra­da por oi­to gru­pos ge­ra­do­res e es­tá im­plan­ta­da nu­ma área de 13.000 me­tros qua­dra­dos. A sua ges­tão es­tá a car­go da Em­pre­sa Na­ci­o­nal de Pro­du­ção de Elec­tri­ci­da­de (PRODEL).

O pro­jec­to foi im­plan­ta­do no âm­bi­to dos pro­gra­mas es­tru­tu­ran­tes do Exe­cu­ti­vo, que vi­sam ga­ran­tir a mo­der­ni­za­ção do sec­tor eléc­tri­co e me­lho­rar os ser­vi­ços es­sen­ci­ais às po­pu­la­ções da ca­pi­tal da Lun­da Nor­te. A cen­tral tér­mi­ca do mu­ni­cí­pio do Dundo, pe­la sua di­men­são e ca­pa­ci­da­de de pro­du­ção, es­tá con­ce­bi­da pa­ra for­ne­cer ener­gia eléc­tri­ca à centralidade do Mussungue e aos dis­tri­tos ur­ba­nos do Dundo e Chi­ta­to.

Centralidade do Mussungue

A Centralidade do Mussungue, que con­ta com 5.004 apar­ta­men­tos, é o mai­or pro­jec­to de fo­men­to ha­bi­ta­ci­o­nal na Lun­da Nor­te, cons­truí­do no âm­bi­to do pro­gra­ma de ur­ba­ni­za­ção e re­qua­li­fi­ca­ção da ci­da­de do Dundo.

A no­va ci­da­de do Dundo dis­põe de apar­ta­men­tos de vá­ri­as ti­po­lo­gi­as. A me­ta es­ta­be­le­ci­da pe­lo Exe­cu­ti­vo é atin­gir 20.000 apar­ta­men­tos, com vis­ta a res­pon­der a gran­de pro­cu­ra e o so­nho pe­la ob­ten­ção da ca­sa pró­pria. As obras são exe­cu­ta­das em qua­tros fa­ses, de acor­do com a dis­po­ni­bi­li­da­de fi­nan­cei­ra.

O pro­ces­so de co­mer­ci­a­li­za­ção das ca­sas da Centralidade do Mussungue, por via da ren­da re­so­lú­vel, co­me­çou em De­zem­bro do ano pas­sa­do, al­tu­ra em que os pri­mei­ros mo­ra­do­res co­me­ça­ram a re­ce­ber as cha­ves. Ac­tu­al­men­te, cer­ca de 5.000 fa­mí­li­as já vi­vem na Centralidade do Mussungue.

No mes­mo es­pa­ço foi cons­truí­do um Hos­pi­tal Ge­ral com ca­pa­ci­da­de de 92 ca­mas, uma es­co­la com 50 sa­las, além de uma cre­che pa­ra 900 cri­an­ças.

AR­MAN­DO SAPALO

Res­pon­sá­vel da Imo­ges­tim na pro­vín­cia da Lun­da Nor­te pe­diu cal­ma aos mo­ra­do­res pe­los da­nos e ga­ran­tiu dar so­lu­ção ao pro­ble­ma

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.