Em­pre­sa TAAG já pou­pou mi­lhões

Jornal de Angola - - PARTADA -

O pre­si­den­te do Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção da TAAG - Li­nhas Aé­re­as de An­go­la, Pe­ter Hill, anun­ci­ou que a com­pa­nhia de ban­dei­ra já pou­pou 70 mi­lhões de dó­la­res em cus­tos ope­ra­ci­o­nais, co­mo re­sul­ta­do do pro­ces­so de re­for­ma em cur­so na em­pre­sa im­ple­men­ta­do pe­la Emi­ra­tes. Pe­ter Hill afas­ta a pos­si­bi­li­da­de de as re­for­mas em cur­so na em­pre­sa pro­vo­ca­rem de­sem­pre­go em mas­sa.

A TAAG (Li­nhas Aé­re­as de An­go­la) já pou­pou 70 mi­lhões de dó­la­res em cus­tos, co­mo re­sul­ta­do do pro­ces­so de re­for­ma em cur­so na em­pre­sa im­ple­men­ta­do pe­la Emi­ra­tes, re­ve­lou on­tem o pre­si­den­te do Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção da com­pa­nhia.

Pe­ter Hill afas­ta a pos­si­bi­li­da­de de a re­for­ma da em­pre­sa pro­vo­car de­sem­pre­go em mas­sa e tran­qui­li­za que só pe­la via da re­for­ma por ida­de os tra­ba­lha­do­res da TAAG po­dem aban­do­nar a em­pre­sa.

O ges­tor ex­pli­cou que, sem mar­gem pa­ra cres­cer nas re­cei­tas, ten­do em con­ta a cri­se em An­go­la, a apos­ta da ad­mi­nis­tra­ção in­ci­de na re­du­ção de cus­tos. “Nós dis­se­mos, no nos­so pla­no de ne­gó­ci­os, que em três anos ía­mos re­du­zir cus­tos em 100 mi­lhões de dó­la­res e lo­go no pri­mei­ro ano já pou­pa­mos 70 mi­lhões. Por is­so, es­ta­mos mui­to con­ten­tes e pos­so di­zer que as fi­nan­ças da com­pa­nhia es­tão a me­lho­rar dra­ma­ti­ca­men­te”, ex­pli­cou.

“Her­dá­mos uma com­pa­nhia não lu­cra­ti­va, com mui­tos tra­ba­lha­do­res, e nos úl­ti­mos 12 me­ses es­ta­mos a re­du­zir os cus­tos”, en­fa­ti­zou o ad­mi­nis­tra­dor, que as­su­miu fun­ções, in­di­ca­do pe­la Emi­ra­tes, há um ano, ao abri­go do con­tra­to de ges­tão da TAAG que a com­pa­nhia aé­rea ára­be as­si­nou com o Go­ver­no an­go­la­no. Pa­ra Pe­ter Hill, a TAAG con­ta ago­ra com cer­ca de 4.000 tra­ba­lha­do­res, pa­ra ope­rar 31 des­ti­nos do­més­ti­cos e in­ter­na­ci­o­nais, após uma for­te re­du­ção, ape­nas com pro­gra­mas de re­for­ma. Nos úl­ti­mos me­ses, fo­ram fei­tos cor­tes em vá­ri­as li­nhas aé­re­as al­ta­men­te de­fi­ci­tá­ri­as e, a par­tir de No­vem­bro, vão ser in­tro­du­zi­das no­vas ope­ra­ções, co­mo um voo úni­co pa­ra São Pau­lo e Rio de Ja­nei­ro, con­tra­ri­a­men­te aos dois an­te­ri­o­res, pa­ra ca­da ci­da­de.

“Es­ta­mos a ten­tar man­ter a for­ça de tra­ba­lho, re­du­zin­do ape­nas por mo­ti­vos de re­for­ma. É is­so que es­ti­ve­mos a fa­zer no úl­ti­mo ano”, su­bli­nhou, re­cor­dan­do que um alar­ga­men­to das ope­ra­ções da TAAG es­tá “de­pen­den­te da me­lho­ria do am­bi­en­te eco­nó­mi­co” em An­go­la, que vi­ve uma cri­se eco­nó­mi­ca e fi­nan­cei­ra de­cor­ren­te da que­bra nas re­cei­tas pe­tro­lí­fe­ras.

O con­tra­to de ges­tão as­si­na­do en­tre o Go­ver­no e a Emi­ra­tes pre­vê a in­tro­du­ção de uma “ges­tão pro­fis­si­o­nal de ní­vel in­ter­na­ci­o­nal” na TAAG, a me­lho­ria “subs­tan­ci­al da qua­li­da­de do ser­vi­ço pres­ta­do” e o sa­ne­a­men­to fi­nan­cei­ro da com­pa­nhia an­go­la­na que, em 2014, re­gis­tou pre­juí­zos de 99 mi­lhões de dó­la­res.No âm­bi­to do Con­tra­to en­tre 2015 e 2019, pre­vê-se den­tro de cin­co anos re­sul­ta­dos ope­ra­ci­o­nais po­si­ti­vos de 100 mi­lhões de dó­la­res.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.