In­frac­ções la­bo­rais no país di­mi­nuí­ram

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - EDIVALDO CRIS­TÓ­VÃO |

O ins­pec­tor-ge­ral do Tra­ba­lho, Au­gus­to Pom­bal, deu a co­nhe­cer em Lu­an­da que as in­frac­ções la­bo­rais di­mi­nuí­ram sig­ni­fi­ca­ti­va­men­te, co­mo re­sul­ta­do das ac­ções de sen­si­bi­li­za­ção e de for­ma­ção le­va­das a ca­bo pe­lo Mi­nis­té­rio da Administração Pú­bli­ca, Tra­ba­lho e Se­gu­ran­ça So­ci­al.

Au­gus­to Pom­bal, que fa­zia o ba­lan­ço das ac­ti­vi­da­des de­sen­vol­vi­das pela Ins­pec­ção Ge­ral do Tra­ba­lho no ter­cei­ro tri­mes­tre de 2016, re­al­çou o fac­to de não se te­rem re­gis­ta­dos ca­sos de tra­ba­lho in­fan­til.

Nas ins­pec­ções efec­tu­a­das en­tre Ju­lho e Se­tem­bro em todo o país, foi ve­ri­fi­ca­do que a vi­o­la­ção mais fre­quen­te da le­gis­la­ção la­bo­ral é a fal­ta de re­gis­to no­mi­nal dos tra­ba­lha­do­res, num to­tal de 686 ca­sos. A não ins­cri­ção dos tra­ba­lha­do­res na se­gu­ran­ça so­ci­al to­ta­li­zou 626 ca­sos.

A ine­xis­tên­cia de qua­li­fi­ca­dor ocu­pa­ci­o­nal (493 ca­sos), não cum­pri­men­to do horário de tra­ba­lho (312 ca­sos), fal­ta de con­di­ções de se­gu­ran­ça e saú­de no tra­ba­lho (293 ca­sos) e o não cum­pri­men­to do go­zo de fé­ri­as (199) fo­ram ou­tras in­frac­ções as­si­na­la­das.

Fo­ram igual­men­te de­tec­ta­dos vá­ri­os ca­sos de atra­so no pa­ga­men­to de salários, des­pe­di­men­tos ile­gais, não pa­ga­men­to de sub­sí­dio de fé­ri­as, fal­ta de equi­pa­men­to de pro­tec­ção in­di­vi­du­al e de es­tran­gei­ros sem vis­to de tra­ba­lho.

A Ins­pec­ção Ge­ral do Tra­ba­lho aten­deu em todo o país 934 pe­di­dos pa­ra me­di­a­ção de con­fli­tos no lo­cal de tra­ba­lho, ten­do re­sol­vi­do 685 ca­sos, 585 dos quais a fa­vor dos tra­ba­lha­do­res. Os va­lo­res re­sul­tan­tes das in­dem­ni­za­ções as­cen­de­ram a 52 mi­lhões de kwan­zas.

Fo­ram re­gis­ta­dos 215 ca­sos de aci­den­tes de tra­ba­lho, que pro­vo­ca­ram 160 da­nos le­ves, 44 gra­ves e 11 fa­tais, com 68.914 di­as per­di­dos e in­dem­ni­za­ções ava­li­a­das em mais de 11 mi­lhões de kwan­zas.

Au­gus­to Pom­bal apon­tou co­mo ca­so de aci­den­te mais gra­ve a queda, em Ca­bin­da, do he­li­cóp­te­ro ao ser­vi­ço da Ca­bin­da Gulf Oil Com­pany, sub­si­diá­ria da Che­vron, que pro­vo­cou a mor­te dos seis ocu­pan­tes. O ins­pec­tor-ge­ral lem­brou que as en­ti­da­des em­pre­ga­do­ras são obri­ga­das, por lei, a fa­zer o se­gu­ro con­tra aci­den­tes e do­en­ças pro­fis­si­o­nais.

Fo­ram vis­to­ri­a­das 33 agên­ci­as pri­va­das e em­pre­sas de ce­dên­cia tem­po­rá­ria de tra­ba­lha­do­res, sete das quais fo­ram re­pro­va­das por in­ca­pa­ci­da­de téc­ni­ca e or­ga­ni­za­ti­va e fal­ta de ins­ta­la­ções con­dig­nas. No to­tal, a Ins­pec­ção Ge­ral do Tra­ba­lho re­a­li­zou 1.715 vi­si­tas de fis­ca­li­za­ção e de­tec­tou 4.998 in­frac­ções que en­vol­ve­ram 53.840 tra­ba­lha­do­res, 3.181 dos quais es­tran­gei­ros.

Au­gus­to Pom­bal ape­lou a mai­or di­vul­ga­ção do De­cre­to Pre­si­den­ci­al nº155/16, que apro­va o re­gi­me ju­rí­di­co e de pro­tec­ção so­ci­al dos tra­ba­lha­do­res do­més­ti­cos, um marco na his­tó­ria dos di­rei­tos la­bo­rais.

KINDALA MA­NU­EL

Ins­pec­ção Ge­ral do Tra­ba­lho cons­ta­tou a me­lho­ria do am­bi­en­te la­bo­ral e de se­gu­ran­ça na mai­o­ria das em­pre­sas e ser­vi­ços vis­to­ri­a­dos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.