Ces­sar-fo­go na Sí­ria foi dis­cu­ti­do na Suí­ça

Ne­go­ci­a­do­res pro­me­te­ram pros­se­guir os con­tac­tos pa­ra pôr fim à guer­ra

Jornal de Angola - - PARTADA -

Os Es­ta­dos Uni­dos, a Rús­sia e os prin­ci­pais paí­ses do Mé­dio Ori­en­te en­vol­vi­dos na guer­ra na Sí­ria de­ba­te­ram no sá­ba­do, em Lau­sa­na, Suí­ça, “idei­as novas” pa­ra re­lan­çar as ne­go­ci­a­ções pa­ra um ces­sar-fo­go, de­cla­rou o secretário de Es­ta­do nor­te­a­me­ri­ca­no, John Ker­ry.

Os Es­ta­dos Uni­dos, a Rús­sia e os prin­ci­pais paí­ses do Mé­dio Ori­en­te en­vol­vi­dos na guer­ra na Sí­ria de­ba­te­ram no sá­ba­do, em Lau­sa­na, na Suí­ça, “idei­as novas” pa­ra re­lan­çar as ne­go­ci­a­ções pa­ra um ces­sar-fo­go, de­cla­rou o secretário de Es­ta­do (mi­nis­tro das Relações Ex­te­ri­o­res) nor­te-ame­ri­ca­no, John Ker­ry, no fi­nal da primeira reu­nião des­te ti­po des­de que os EUA anun­ci­a­ram o con­ge­la­men­to das dis­cus­sões so­bre um ces­sar-fo­go.

Na reu­nião, de pou­co mais de qua­tro ho­ras, hou­ve “uma gran­de tro­ca de idei­as” e, ape­sar da ten­são, não hou­ve ma­ni­fes­ta­ções “de ran­cor” e as vá­ri­as par­tes acor­da­ram pros­se­guir os es­for­ços pa­ra re­por a tré­gua, dis­se o che­fe da diplomacia dos Es­ta­dos Uni­dos.

“Hou­ve um con­sen­so em re­la­ção a de­ter­mi­na­dos con­cei­tos fun­da­men­tais, no­me­a­da­men­te um amplo acor­do quan­to ao ob­jec­ti­vo pre­ten­di­do”, re­fe­riu John Ker­ry, acres­cen­tan­do que “as di­ver­gên­ci­as in­ci­dem so­bre­tu­do nos mé­to­dos pa­ra o al­can­çar”.

“Há vá­ri­as idei­as que de­vem ser ra­pi­da­men­te aplicadas, com a es­pe­ran­ça de que pos­sam con­tri­buir pa­ra re­sol­ver os pro­ble­mas que im­pe­di­ram o cum­pri­men­to do an­te­ri­or ces­sar-fo­go, mas não pos­so en­trar em pormenores so­bre elas, não pos­so fa­zê-lo pu­bli­ca­men­te, não qu­e­ro cri­ar es­pe­cu­la­ção”, re­al­çou ain­da o che­fe da diplomacia nor­te-ame­ri­ca­na.

O mi­nis­tro rus­so dos Ne­gó­ci­os Es­tran­gei­ros, Ser­gei La­vrov, afir­mou que a reu­nião de Lau­sa­na ci­men­tou as ba­ses pa­ra o re­lan­ça­men­to das ne­go­ci­a­ções, com vis­ta a pro­lon­gar os con­tac­tos. “Dis­se­mos cla­ra­men­te que é pre­ci­so co­me­çar o pro­ces­so po­lí­ti­co o mais rá­pi­do pos­sí­vel”, acres­cen­tou La­vrov.

Os outros par­ti­ci­pan­tes, Tur­quia, Qa­tar e Ará­bia Sau­di­ta, que apoi­am a re­be­lião, e Ira­que, Egip­to e Irão, ali­a­dos da Sí­ria, não fi­ze­ram de­cla­ra­ções.

A reu­nião, que apre­sen­tou um no­vo for­ma­to (os paí­ses europeus não fo­ram con­vi­da­dos) foi pre­ce­di­da por uma reu­nião en­tre John Ker­ry e Ser­gei La­vrov, que não se vi­am des­de o iní­cio da ofen­si­va rus­so-sí­ria, há três se­ma­nas, em Ale­po, no Nor­te da Sí­ria.Os bair­ros do les­te da ci­da­de, con­tro­la­dos pe­los re­bel­des, per­ma­ne­cem sob fo­go cru­za­do, so­bre­tu­do os de Ha­na­no, al May­sar e In­za­rat.

Nou­tra fren­te, os com­ba­ten­tes da opo­si­ção sí­ria, apoi­a­dos pela Tur­quia, anun­ci­a­ram on­tem a re­cu­pe­ra­ção da ci­da­de de Da­biq, si­tu­a­da en­tre Ale­po e a fron­tei­ra tur­ca. A lo­ca­li­da­de es­ta­va em po­der do gru­po ter­ro­ris­ta “Es­ta­do Is­lâ­mi­co” (“EI”), dis­se o Pre­si­den­te tur­co, Re­cep Tayyip Er­do­gan.em 24 de Agos­to uma ofen­si­va sem pre­ce­den­tes na Sí­ria, de­no­mi­na­da “Es­cu­do de Eu­fra­tes”, pa­ra ex­pul­sar da fron­tei­ra os ter­ro­ris­tas do “EI” e as for­ças cur­do­sí­ri­as das Uni­da­des de Pro­tec­ção do Po­vo Cur­do (YPG).

Des­de Mar­ço de 2011, o con­fli­to ar­ma­do na Sí­ria pro­vo­cou a mor­te de mais de 300 mil pes­so­as e mi­lha­res de sí­ri­os vi­vem co­mo des­lo­ca­dos e re­fu­gi­a­dos em paí­ses vi­zi­nhos.

AFP

Reu­nião de sá­ba­do em Lau­sa­na (Suí­ça) per­mi­tiu a re­a­pro­xi­ma­ção en­tre Washing­ton e Mos­co­vo ape­sar das di­ver­gên­ci­as en­tre am­bas as par­tes

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.