ENI ex­trai mais pe­tró­leo em águas pro­fun­das

Jornal de Angola - - ECONOMIA -

O gru­po ita­li­a­no ENI vai co­me­çar a ex­trair mais pe­tró­leo no mar de An­go­la, com a fu­tu­ra en­tra­da em fun­ci­o­na­men­to de um na­vio de ar­ma­ze­na­men­to e de pro­ces­sa­men­to de pe­tró­leo e de gás na­tu­ral (FPSO), in­for­mou, on­tem, o gru­po em co­mu­ni­ca­do di­vul­ga­do em Mi­lão.

O co­mu­ni­ca­do adi­an­ta ter-se re­a­li­za­do em Singapura a ce­ri­mó­nia de bap­tis­mo da FPSO, de­no­mi­na­do “Ar­ma­da Olom­ben­do”, que foi cons­truí­do na­que­la ci­da­de-es­ta­do pe­la em­pre­sa Kep­pel, de­ven­do a em­bar­ca­ção ini­ci­ar em bre­ve a sua vi­a­gem pa­ra An­go­la, a fim de fi­car an­co­ra­do nu­ma po­si­ção já de­fi­ni­da.

O FPSO foi en­co­men­da­do à Kep­pel pe­la em­pre­sa Bu­mi Ar­ma­da da Ma­lá­sia que, pa­ra o efei­to, con­traiu um em­prés­ti­mo de 1,12 mil mi­lhões de dó­la­res. Ago­ra pas­sa a ser alu­ga­do ao gru­po ENI, pa­ra pro­ce­der à ex­trac­ção de pe­tró­leo no blo­co 15/06, a 350 qui­ló­me­tros a nor­te de Lu­an­da. O “Ar­ma­da Olom­ben­do”, re­con­fi­gu­ra­do a par­tir do su­per pe­tro­lei­ro “Ar­ma­da Ali”, tem uma ca­pa­ci­da­de de ar­ma­ze­na­men­to de 1,8 mi­lhões de bar­ris de pe­tró­leo. O gru­po ita­li­a­no fun­ci­o­na co­mo ope­ra­dor do blo­co, com uma par­ti­ci­pa­ção de 36,84 por cen­to, sen­do os res­tan­tes par­cei­ros a So­nan­gol Pes­qui­sa e Pro­du­ção (36,84 por cen­to) e a SSI Fif­te­en Li­mi­ted (26,32 por cen­to).

No ano pas­sa­do, o gru­po ita­li­a­no ti­nha ga­ran­ti­do às au­to­ri­da­des an­go­la­nas in­ves­ti­men­tos na or­dem de 4,5 mil mi­lhões de dó­la­res, em dois anos, na ex­plo­ra­ção pe­tro­lí­fe­ra em An­go­la. “Va­mos in­ves­tir pa­ra de­sen­vol­ver o blo­co 15-06 nos pró­xi­mos dois anos”, dis­se Clau­dio Des­cal­zi, o pre­si­den­te exe­cu­ti­vo da ENI, ci­ta­do pe­la agên­cia no­ti­ci­o­sa ita­li­a­na AGI (Agen­zia Gi­or­na­lis­ti­ca Ita­lia), pa­ra acres­cen­tar que o gru­po de­via atin­gir 100 mil bar­ris por dia no fi­nal de 2015, “quan­ti­da­de que du­pli­ca­rá nos pró­xi­mos três anos e meio a qua­tro anos”.

Clau­dio Des­cal­zi adi­an­tou ter fa­la­do com o Pre­si­den­te Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos so­bre o gás que o gru­po en­con­trou em An­go­la e adi­an­tou ter apre­sen­ta­do uma pro­pos­ta de ex­plo­ra­ção com o ob­jec­ti­vo não de o ex­por­tar mas sim de o co­mer­ci­a­li­zar jun­to da in­dús­tria an­go­la­na. Em dis­cus­são es­ti­ve­ram ou­tros as­sun­tos, par­ti­cu­lar­men­te na área da ener­gia, ten­do si­do de­ba­ti­do o de­sen­vol­vi­men­to das ener­gi­as re­no­vá­veis, es­pe­ci­al­men­te a pro­du­ção de ener­gia so­lar em áre­as mais re­mo­tas do país, ten­do si­do igual­men­te abor­da­da a pos­si­bi­li­da­de de cons­truir li­nhas de trans­por­te, tan­to na zo­na cos­tei­ra co­mo no in­te­ri­or.

Em Ja­nei­ro des­te ano, o gru­po ENI co­me­çou a ex­trac­ção de pe­tró­leo do cam­po Mpun­gi, no blo­co 1506, em águas pro­fun­das, lo­ca­li­za­do a 350 qui­ló­me­tros a no­ro­es­te de Lu­an­da e a 130 qui­ló­me­tros a oci­den­te do Soyo. O iní­cio da ex­trac­ção no cha­ma­do pro­jec­to de de­sen­vol­vi­men­to “West Hub” per­mi­tiu ao gru­po au­men­tar a pro­du­ção pa­ra cer­ca de 100 mil bar­ris equi­va­len­tes de pe­tró­leo por dia, no de­cur­so do pri­mei­ro tri­mes­tre de 2016.

O pro­jec­to de de­sen­vol­vi­men­to in­clui os cam­pos San­gos, Cin­gu­vu, Mpun­gi, Mpun­gi North, Ochi­gu­fu e Van­dum­bu, a uma pro­fun­di­da­de en­tre 1000 e 1500 me­tros, que es­tão or­ga­ni­za­dos em agru­pa­men­tos e li­ga­dos ao na­vio de ar­ma­ze­na­men­to e de pro­ces­sa­men­to de pe­tró­leo e de gás na­tu­ral (FPSO) Ngo­ma. O gru­po ita­li­a­no in­for­mou ain­da con­ti­nu­ar a re­a­li­zar ac­ções de pros­pec­ção no blo­co 15/06, sen­do que as even­tu­ais no­vas des­co­ber­tas são li­ga­das à ac­tu­al in­fra-es­tru­tu­ra de pro­du­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.