For­te ape­lo às ex­por­ta­ções

Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca pro­ce­deu à aber­tu­ra da pri­mei­ra con­fe­rên­cia so­bre ex­por­ta­ções

Jornal de Angola - - PARTADA - JOÃO DI­AS |

An­go­la es­tá obri­ga­da a iden­ti­fi­car e a di­vul­gar o que pro­duz in­ter­na­men­te pa­ra ex­por­tar. Es­te pro­pó­si­to foi on­tem vin­ca­do pe­lo Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Ma­nu­el Vi­cen­te, du­ran­te a aber­tu­ra, em Lu­an­da, da pri­mei­ra con­fe­rên­cia so­bre ex­por­ta­ções em An­go­la. Ma­nu­el Vi­cen­te su­bli­nhou que a pro­mo­ção das ex­por­ta­ções e a in­ter­na­ci­o­na­li­za­ção das em­pre­sas an­go­la­nas re­quer a re­a­li­za­ção de ac­ções efec­ti­vas co­mo a iden­ti­fi­ca­ção e di­vul­ga­ção de pro­du­tos ex­por­tá­veis e a res­pec­ti­va pros­pec­ção dos mer­ca­dos pa­ra a ex­por­ta­ção. Ma­nu­el Vi­cen­te de­fen­deu igual­men­te a cri­a­ção pe­lo Exe­cu­ti­vo de me­ca­nis­mos de apoio ins­ti­tu­ci­o­nal pa­ra que as ex­por­ta­ções se­jam re­a­li­za­das sem as ac­tu­ais bar­rei­ras téc­ni­cas com que se con­fron­tam po­ten­ci­ais em­pre­sas ex­por­ta­do­ras. O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca dis­se que An­go­la­de­ve vi­rar-se à Re­gião dos Gran­des e po­ten­ci­ar os acor­dos co­mer­ci­ais que man­tém com vá­ri­os paí­ses e o aces­so pri­vi­le­gi­a­do a mer­ca­dos in­ter­na­ci­o­nais re­le­van­tes co­mo o AGOA, com os Es­ta­dos Uni­dos, e a “Tu­do Me­nos Ar­mas”, com a União Eu­ro­peia.

O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Ma­nu­el Vi­cen­te, de­fen­deu on­tem, em Lu­an­da, a pro­mo­ção das ex­por­ta­ções e a in­ter­na­ci­o­na­li­za­ção das em­pre­sas an­go­la­nas, o que re­quer a re­a­li­za­ção de ac­ções efec­ti­vas co­mo a iden­ti­fi­ca­ção e di­vul­ga­ção de pro­du­tos ex­por­tá­veis e a res­pec­ti­va pros­pec­ção dos mer­ca­dos pa­ra a ex­por­ta­ção.

Ma­nu­el Vi­cen­te, que te­ceu es­tas con­si­de­ra­ções ao dis­cur­sar na pri­mei­ra con­fe­rên­cia so­bre ex­por­ta­ções em An­go­la, de­fen­deu igual­men­te que a con­cre­ti­za­ção dos ob­jec­ti­vos da Es­tra­té­gia da Saí­da da Cri­se, no que res­pei­ta às ex­por­ta­ções, re­quer do Exe­cu­ti­vo a cri­a­ção de me­ca­nis­mos de apoio ins­ti­tu­ci­o­nal e a bus­ca de so­lu­ções pa­ra a su­pe­ra­ção das bar­rei­ras téc­ni­cas, vi­san­do a fa­ci­li­ta­ção do co­mér­cio in­ter­na­ci­o­nal.

O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca men­ci­o­nou tam­bém a cri­a­ção de me­ca­nis­mos de apoio e a fa­ci­li­ta­ção do pro­ces­so das ex­por­ta­ções, a di­vul­ga­ção das po­ten­ci­a­li­da­des eco­nó­mi­cas e da ima­gem de An­go­la e a re­a­li­za­ção de fei­ras e even­tos no país e no ex­te­ri­or, co­mo for­ma de le­var a bom por­to a pro­mo­ção das ex­por­ta­ções e a in­ter­na­ci­o­na­li­za­ção das em­pre­sas na­ci­o­nais.

Ma­nu­el Vi­cen­te lem­brou que o Exe­cu­ti­vo, pa­ra dar res­pos­ta a es­tas ques­tões, ins­ti­tuiu a Agên­cia pa­ra Pro­mo­ção de In­ves­ti­men­to e Ex­por­ta­ções (APIEX An­go­la), ór­gão da ad­mi­nis­tra­ção in­di­rec­ta do Es­ta­do com es­ta mis­são. Pa­ra o Vi­ce-Pre­si­den­te, a re­a­li­za­ção dos ob­jec­ti­vos da APIEX re­quer a afec­ta­ção de re­cur­sos fi­nan­cei­ros ne­ces­sá­ri­os e me­ca­nis­mos de apoio às em­pre­sas no pro­ces­so de ex­por­ta­ção e de in­ter­na­ci­o­na­li­za­ção, a ins­ti­tui­ção do se­gu­ro de ex­por­ta­ção e de li­nhas de cré­di­to de apoio ao ex­por­ta­dor. No even­to que con­ta tam­bém com ex­po­si­to­res na­ci­o­nais e es­tran­gei­ros, o Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca re­co­nhe­ceu que o aces­so aos mer­ca­dos in­ter­na­ci­o­nais re­quer a ex­por­ta­ção de pro­du­tos cer­ti­fi­ca­dos na sua qua­li­da­de e pro­du­ção, den­tro das nor­mas de pro­du­ção in­ter­na­ci­o­nal­men­te acei­tes, daí en­ten­der ser fun­da­men­tal a co­o­pe­ra­ção en­tre pro­du­to­res, a APIEX e ou­tras en­ti­da­des de cer­ti­fi­ca­ção e de in­ter­ven­ção no co­mér­cio in­ter­na­ci­o­nal.

Uma co­o­pe­ra­ção a es­te ní­vel, pros­se­guiu, vai pro­por­ci­o­nar ao país as ca­pa­ci­da­des ne­ces­sá­ri­as pa­ra o in­cre­men­to das ex­por­ta­ções, além do pa­pel trans­ver­sal na bus­ca de fi­nan­ci­a­men­to a pro­jec­tos de pro­du­ção em­pre­sa­ri­al de bens e ser­vi­ços des­ti­na­dos à ex­por­ta­ção. Nes­te sen­ti­do, Ma­nu­el Vi­cen­te lem­brou que o país man­tém acor­dos co­mer­ci­ais e aces­so pri­vi­le­gi­a­do a mer­ca­dos in­ter­na­ci­o­nais re­le­van­tes co­mo o AGOA, com os Es­ta­dos Uni­dos da Amé­ri­ca, e a “Tu­do Me­nos Ar­mas”, com a União Eu­ro­peia. Quan­to ao AGOA, o Vi­ce-Pre­si­den­te dis­se ser ur­gen­te a con­cep­ção de uma es­tra­té­gia na­ci­o­nal de im­ple­men­ta­ção, lem­bran­do que a SADC e a Re­gião dos Gran­des La­gos, que no conjunto re­pre­sen­tam mais de 400 mi­lhões de con­su­mi­do­res, cons­ti­tu­em opor­tu­ni­da­des de mer­ca­do de ex­por­ta­ção pa­ra as em­pre­sas an­go­la­nas. “Es­sas de­vem ser mais pro­ac­ti­vas pa­ra de­les ti­ra­rem as van­ta­gens co­mer­ci­ais”, de­fen­deu. Ma­nu­el Vi­cen­te re­al­çou a im­por­tân­cia da con­fe­rên­cia, que pre­ten­de dis­cu­tir e en­con­trar so­lu­ções pa­ra os vá­ri­os cons­tran­gi­men­tos no pro­ces­so das ex­por­ta­ções no país.

“Acre­di­ta­mos que os de­ba­tes re­ser­va­dos pa­ra o aces­so aos mer­ca­dos e ins­tru­men­tos fi­nan­cei­ros, bem co­mo as po­lí­ti­cas pú­bli­cas com a in­clu­são de um pai­nel ins­ti­tu­ci­o­nal vão re­sul­tar em re­co­men­da­ções pa­ra a to­ma­da de me­di­das e cri­a­ção de ins­tru­men­tos di­ver­sos que vão ala­van­car e fa­ci­li­tar o pro­ces­so das ex­por­ta­ções”, dis­se.

O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca lem­brou que foi apro­va­da, em Fe­ve­rei­ro des­te ano, pe­lo Ti­tu­lar do Po­der Exe­cu­ti­vo, a Es­tra­té­gia pa­ra a Saí­da da Cri­se, não só pa­ra mi­ti­gar os efei­tos des­ta, mas tam­bém pa­ra ace­le­rar a di­ver­si­fi­ca­ção e o cres­ci­men­to da eco­no­mia. O do­cu­men­to, dis­se, con­tem­pla a con­cep­ção de pro­gra­mas di­ri­gi­dos pa­ra o sec­tor pro­du­ti­vo, com fo­co pa­ra a subs­ti­tui­ção das im­por­ta­ções e o in­cre­men­to das ex­por­ta­ções do sec­tor não pe­tro­lí­fe­ro.

Pro­du­tos ex­por­tá­veis

Pa­ra tal, dis­se, fo­ram elei­tos co­mo pri­o­ri­tá­ri­os pa­ra a pro­du­ção de pro­du­tos de ex­por­ta­ção a cur­to pra­zo, os sec­to­res da agri­cul­tu­ra e sil­vi­cul­tu­ra, pes­cas, ge­o­lo­gia e mi­nas, in­dús­tria, tu­ris­mo e ser­vi­ços. As em­pre­sas ex­por­ta­do­ras são a An­go­na­bei­ro, a fá­bri­ca de ci­men­tos CIF, a Ma­ersk-So­ges­ter, a SJL e a Ma­dei­ras LDA. Ou­tras ex­por­ta­do­ras são a Fa­zen­da No­va Agro­lí­der, Ges­ter­ra, Ex­por­ta­dor de Ro­chas Or­na­men­tais e De­ri­va­dos (Ca­te­te) e a cer­ve­jei­ra Cu­ca.

O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca lem­brou que o país re­a­li­zou o seu se­gun­do Exa­me da Política Co­mer­ci­al, em Ju­lho do ano pas­sa­do, ten­do o mes­mo si­do apro­va­do pe­la Or­ga­ni­za­ção Mun­di­al do Co­mér­cio. Ma­nu­el Vi­cen­te re­cor­dou igual­men­te que a tra­di­ção ex­por­ta­do­ra de An­go­la da­ta da épo­ca co­lo­ni­al, cu­jo in­cre­men­to no sec­tor não pe­tro­lí­fe­ro ocor­reu nos anos 60 do sé­cu­lo XX, com a im­ple­men­ta­ção da política de in­dus­tri­a­li­za­ção do país, tor­nan­do-se por is­so, o ter­cei­ro mai­or ex­por­ta­dor mun­di­al de ca­fé em 1973.

A pau­ta ex­por­ta­do­ra do país con­ta­va igual­men­te com pro­du­tos co­mo di­a­man­tes, si­sal, óleo de pal­ma, jin­gu­ba, cru­ei­ra, man­di­o­ca, pei­xe e ro­chas or­na­men­tais, en­tre ou­tros. Du­ran­te a sua in­ter­ven­ção, o Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca en­de­re­çou uma pa­la­vra de apre­ço aos ex­po­si­to­res, “pe­la pro­ac­ti­vi­da­de e pi­o­nei­ris­mo”, o que in­cen­ti­va as ou­tras em­pre­sas a in­te­gra­rem o le­que de ex­por­ta­do­res, dan­do cor­po à es­tra­té­gia do Exe­cu­ti­vo pa­ra a di­ver­si­fi­ca­ção da eco­no­mia.

“À APIEX fi­ca o nos­so en­co­ra­ja­men­to pe­lo pa­pel trans­ver­sal que as­su­me e de­ve as­su­mir com to­dos os ou­tros sec­to­res pa­ra cor­po­ri­zar os pro­gra­mas di­ri­gi­dos e as ex­por­ta­ções, bem co­mo a in­ter­na­ci­o­na­li­za­ção das em­pre­sas an­go­la­nas”, su­bli­nhou Ma­nu­el Vi­cen­te, con­cluin­do com o re­al­ce da sua im­por­tân­cia en­quan­to veí­cu­lo de in­ves­ti­men­to pro­du­ti­vo, de com­ba­te à po­bre­za e de equi­lí­brio da ba­lan­ça de pa­ga­men­tos.

A con­fe­rên­cia, que ho­je ter­mi­na, é uma ini­ci­a­ti­va do Mi­nis­té­rio do Co­mér­cio e da APIEX e de­cor­re sob o le­ma “Ex­por­tar pa­ra di­ver­si­fi­car a eco­no­mia”. Par­ti­ci­pam na mes­ma em­pre­sas pú­bli­cas e pri­va­das, mem­bros do Exe­cu­ti­vo e ou­tras ins­ti­tui­ções.

MO­TA AMBRÓSIO

Ma­nu­el Vi­cen­te lem­brou que a Es­tra­té­gia pa­ra a Saí­da da Cri­se con­tem­pla pro­gra­mas pa­ra subs­ti­tui­ção das im­por­ta­ções pe­las ex­por­ta­ções

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.