MPLA e igre­jas jun­tos na har­mo­ni­za­ção so­ci­al

João Lou­ren­ço re­al­ça pa­pel das ins­ti­tui­ções re­li­gi­o­sas na re­so­lu­ção dos pro­ble­mas das co­mu­ni­da­des

Jornal de Angola - - PARTADA - JO­SI­NA DE CARVALHO e ANA PAULO |

O vi­ce-pre­si­den­te do MPLA, João Lou­ren­ço, pe­diu on­tem às igre­jas pa­ra des­mas­ca­ra­rem e com­ba­te­rem to­dos aque­les que, em no­me da re­li­gião, or­ga­ni­zam re­des cri­mi­no­sas de trá­fi­co de di­a­man­tes e de se­res hu­ma­nos, in­tro­du­zem imi­gran­tes ile­gais, fa­ci­li­tam a evasão de di­vi­sas e co­me­tem ou­tros cri­mes con­tra a se­gu­ran­ça e a eco­no­mia na­ci­o­nal.

O vi­ce-pre­si­den­te do MPLA pe­diu on­tem às igre­jas pa­ra des­mas­ca­ra­rem e com­ba­te­rem aque­les ci­da­dãos que atra­vés da re­li­gião su­jam o seu bom no­me, or­ga­ni­zam re­des cri­mi­no­sas de trá­fi­co de di­a­man­tes e de se­res hu­ma­nos, in­tro­du­ção de imi­gran­tes ile­gais, evasão de di­vi­sas pa­ra o ex­te­ri­or do país e co­me­tem ou­tros cri­mes con­tra a se­gu­ran­ça e a eco­no­mia na­ci­o­nal.

João Lou­ren­ço, que fa­la­va em Lu­an­da, na aber­tu­ra de um en­con­tro alar­ga­do en­tre o MPLA e as en­ti­da­des re­li­gi­o­sas em An­go­la, dis­se que o par­ti­do tam­bém con­ta com o con­tri­bu­to das igre­jas na lu­ta con­tra o trá­fi­co e con­su­mo de dro­gas, pros­ti­tui­ção, dis­cri­mi­na­ção, abu­so se­xu­al e vi­o­la­ção da mu­lher. As igre­jas, dis­se, me­re­cem o res­pei­to e o re­co­nhe­ci­men­to do MPLA, pe­lo seu pa­pel re­le­van­te na for­ma­ção do ho­mem en­quan­to ser hu­ma­no, re­so­lu­ção dos pro­ble­mas so­ci­ais das co­mu­ni­da­des, res­ga­te dos va­lo­res so­ci­ais, mo­rais e cí­vi­cos, na mo­ra­li­za­ção da so­ci­e­da­de ci­vil e na de­fe­sa dos in­te­res­ses mais no­bres do Es­ta­do an­go­la­no.

“Pri­ma­mos sem­pre pe­lo es­ta­be­le­ci­men­to e ma­nu­ten­ção de bo­as re­la­ções com as igre­jas, en­quan­to im­por­tan­tes veí­cu­los de pro­mo­ção dos va­lo­res mo­rais, éti­cos e es­pi­ri­tu­ais, na edu­ca­ção da pes­soa hu­ma­na e na for­ma­ção de bons ci­da­dãos, pa­ra jun­tos cons­truir­mos uma so­ci­e­da­de me­lhor, que lu­ta pe­los va­lo­res mais no­bres, pe­la paz e jus­ti­ça so­ci­al”, re­for­çou o di­ri­gen­te do MPLA.

João Lou­ren­ço apon­tou o re­for­ço das re­la­ções har­mo­ni­o­sas com as ins­ti­tui­ções re­li­gi­o­sas, co­mo um dos gran­des desafios do par­ti­do, en­quan­to for­ça di­ri­gen­te do Es­ta­do an­go­la­no. O vi­ce-pre­si­den­te do MPLA con­de­nou e de­sen­co­ra­jou o sur­gi­men­to de sei­tas re­li­gi­o­sas e de al­gu­mas igre­jas que ex­plo­ram a ig­no­rân­cia de mui­tas pes­so­as e in­cen­ti­vam de­ter­mi­na­das prá­ti­cas e ri­tu­ais obs­cu­ran­tis­tas, que aten­tam con­tra os mais ele­men­ta­res di­rei­tos dos ci­da­dãos.

“O ali­men­to es­pi­ri­tu­al de­ve es­tar em bo­as con­di­ções de con­su­mo, pa­ra que, mes­mo sen­do pe­ca­do­res por na­tu­re­za, ao re­ce­ber­mos a Pa­la­vra de Deus, pas­se­mos a ser mu­lhe­res e ho­mens de paz, de con­cór­dia, tra­ba­lha­do­res de­di­ca­dos, ci­da­dãos que res­pei­tam a vi­da, o pró­xi­mo, ver­da­dei­ros pa­tri­o­tas que res­pei­tam o Es­ta­do e a Lei e com­pro­me­ti­dos com o bem”, de­fen­deu.

Mo­bi­li­za­ção pa­ra o re­gis­to

O vi­ce-pre­si­den­te do MPLA pe­diu tam­bém às ins­ti­tui­ções re­li­gi­o­sas pa­ra mo­bi­li­za­rem os fiéis no sen­ti­do de com­pa­re­ce­rem em mas­sa aos pos­tos de re­gis­to exis­ten­tes em to­do o país, pa­ra ac­tu­a­li­za­rem os seus da­dos elei­to­rais. “Acre­di­ta­mos na for­ça e ca­pa­ci­da­de da igre­ja na vi­da das po­pu­la­ções”, afir­mou João Lou­ren­ço, ape­lan­do às igre­jas no sen­ti­do de con­ti­nu­a­rem a tra­ba­lhar na pre­ser­va­ção da paz al­can­ça­da em 2002, man­ti­da gra­ças ao per­dão que as igre­jas apre­go­am, re­con­ci­li­a­ção en­tre os an­go­la­nos e o es­pí­ri­to hu­ma­nis­ta do Pre­si­den­te Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos.

João Lou­ren­ço ex­pli­cou que o en­con­tro ser­viu pa­ra pro­mo­ver as po­lí­ti­cas do par­ti­do em re­la­ção ao de­sen­vol­vi­men­to de uma so­ci­e­da­de ci­vil par­ti­ci­pa­ti­va e res­pon­sá­vel e re­for­çar o diá­lo­go so­bre o pa­pel e res­pon­sa­bi­li­da­de da igre­ja na so­ci­e­da­de an­go­la­na.

Pre­o­cu­pa­ções das igre­jas

João Bon­gue, re­pre­sen­tan­te do Con­se­lho de Igre­jas Cris­tãs em An­go­la (CICA), re­co­nhe­ceu os es­for­ços do Exe­cu­ti­vo na me­lho­ria das con­di­ções so­ci­ais dos ci­da­dãos, não obs­tan­te as di­fi­cul­da­des que se re­gis­tam nes­te mo­men­to.

No âm­bi­to so­ci­al, o CICA es­tá pre­o­cu­pa­do com a vi­o­lên­cia do­més­ti­ca, fru­to do de­sem­pre­go ao ní­vel de mui­tas fa­mí­li­as, so­bre­tu­do no seio da ju­ven­tu­de. A falta de diá­lo­go tam­bém é uma pre­o­cu­pa­ção. O CICA, dis­se João Bon­gue, tem cons­ta­ta­do que o uso ex­ces­si­vo do ál­co­ol e ou­tras dro­gas es­tá a ge­rar frus­tra­ções e a au­men­tar a in­se­gu­ran­ça em mui­tas zo­nas ur­ba­nas, pe­riur­ba­nas e ru­rais. A ac­tu­al si­tu­a­ção so­ci­o­e­co­nó­mi­ca e fi­nan­cei­ra do país tem con­tri­buí­do pa­ra o au­men­to da pros­ti­tui­ção ju­ve­nil. Tam­bém se re­fe­riu às de­mo­li­ções de ca­sas, que dei­xam fa­mí­li­as sem abri­go.

Pa­ra evi­tar tais si­tu­a­ções, o CICA su­ge­re que o Exe­cu­ti­vo acom­pa­nhe pre­vi­a­men­te to­do o mo­vi­men­to de ocu­pa­ções de ter­re­nos e cons­tru­ção de ca­sas, pa­ra im­pe­dir que as po­pu­la­ções cons­tru­am em zo­nas de ris­co ou nas re­ser­vas fun­diá­ri­as do Es­ta­do. Di­an­te do gran­de nú­me­ro de mor­tes nas es­tra­das do país em con­sequên­cia do ex­ces­so de ve­lo­ci­da­de, uso ex­ces­si­vo do ál­co­ol, falta de ilu­mi­na­ção e si­nais de trân­si­to, o CICA pre­ten­de que o Es­ta­do cui­de mais do or­de­na­men­to do trân­si­to e os ci­da­dãos mu­dem de com­por­ta­men­to.

João Bon­gue fa­lou igual­men­te so­bre a falta de li­qui­dez e a exis­tên­cia de bu­ro­cra­cia nos ban­cos, o que, em seu en­ten­der, tem tor­na­do di­fí­cil o aces­so dos “po­bres ope­rá­ri­os” aos seus pou­cos sa­lá­ri­os. Is­so tam­bém cau­sa des­con­ten­ta­men­to e aglo­me­ra­ções jun­to das ins­ti­tui­ções ban­cá­ri­as, acres­cen­tou.

O CICA pro­põe ain­da a al­te­ra­ção do sis­te­ma de con­cur­so pú­bli­co do Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção, pa­ra per­mi­tir que pro­fes­so­res se­jam en­qua­dra­dos nas su­as zo­nas de re­si­dên­cia, com vis­ta a re­du­zir o ab­sen­tis­mo, bem co­mo a cons­tru­ção de pos­tos de saú­de com me­nos de 15 qui­ló­me­tros de dis­tân­cia de ca­da al­deia.

O CICA en­co­ra­jou o MPLA a ter sem­pre ini­ci­a­ti­vas de diá­lo­go com as de­mais for­ças po­lí­ti­cas, so­ci­e­da­de ci­vil e ou­tras or­ga­ni­za­ções, no sen­ti­do de eli­mi­nar to­das as in­com­pre­en­sões que pos­sam pôr em cau­sa os pro­ces­sos im­por­tan­tes da vi­da do país, co­mo o re­gis­to elei­to­ral. Nes­te par­ti­cu­lar, João Bon­gue ga­ran­tiu que o CICA vai con­ti­nu­ar a mo­bi­li­zar as po­pu­la­ções pa­ra o re­gis­to elei­to­ral e au­gu­ra que as pró­xi­mas elei­ções se­jam, mais uma vez, exem­pla­res e per­mi­tam um cli­ma pré e pó­se­lei­to­ral sau­dá­vel, e que con­tri­bu­am pa­ra a con­tí­nua re­a­li­za­ção dos pro­gra­mas de de­sen­vol­vi­men­to.

Du­ran­te o en­con­tro, João Lou­ren­ço tam­bém ou­viu as pre­o­cu­pa­ções dos re­pre­sen­tan­tes da Ali­an­ça Evan­gé­li­ca de An­go­la, do Fó­rum das Igre­jas In­de­pen­den­tes de An­go­la e da Pla­ta­for­ma Ecu­mé­ni­ca e Re­li­gi­o­sa de An­go­la. No en­con­tro par­ti­ci­pa­ram mais de 2.500 re­pre­sen­tan­tes de di­fe­ren­tes igre­jas.

KINDALA MA­NU­EL

Vi­ce-pre­si­den­te do MPLA apon­tou o re­for­ço das re­la­ções har­mo­ni­o­sas com as ins­ti­tui­ções re­li­gi­o­sas co­mo um dos gran­des desafios do par­ti­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.