Pri­mei­ro-mi­nis­tro po­de ser anun­ci­a­do em bre­ve

Pre­si­den­te Jo­sé Má­rio Vaz diz que­rer ou­vir to­dos os par­ti­dos po­lí­ti­cos e so­ci­e­da­de ci­vil

Jornal de Angola - - MUNDO -

O no­vo pri­mei­ro-mi­nis­tro da Gui­né-Bis­sau vai ser anun­ci­a­do na pró­xi­ma se­ma­na pe­lo Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, de­cla­rou on­tem o pró­prio Che­fe de Es­ta­do, Jo­sé Má­rio Vaz.

O pre­si­den­te gui­ne­en­se fa­la­va aos jor­na­lis­tas no ae­ro­por­to de Bis­sau, quan­do par­tia pa­ra Ca­bo Ver­de, pa­ra as­sis­tir à pos­se do Pre­si­den­te ca­bo­ver­di­a­no, Jor­ge Car­los Fon­se­ca, e dis­se que, da sua par­te, tu­do tem fei­to pa­ra que o país co­nhe­ça o no­vo che­fe de Go­ver­no.

Jo­sé Má­rio Vaz dis­se ter en­vi­a­do já con­vi­tes aos res­pon­sá­veis dos ór­gãos de so­be­ra­nia, par­ti­dos com e sem as­sen­to par­la­men­tar, ele­men­tos da co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal e da so­ci­e­da­de ci­vil, com os quais se vai reu­nir an­tes de de­ci­dir na pró­xi­ma se­ma­na.

Em re­la­ção ao pro­ce­di­men­to pa­ra a es­co­lha do pri­mei­ro-mi­nis­tro e a con­se­quen­te for­ma­ção de um Go­ver­no de con­sen­so, afir­mou que não é um pro­ces­so que de­pen­da ape­nas do Che­fe de Es­ta­do, mas tam­bém das de­mais for­ças vi­vas do país.

“O pre­si­den­te tem um pa­pel im­por­tan­te, mas (o pro­ces­so) não de­pen­de só de­le, de­pen­de de to­dos os ór­gãos de so­be­ra­nia e de to­das as par­tes im­pli­ca­das nes­te pro­ces­so. O pre­si­den­te es­tá ape­nas a cum­prir com o com­pro­mis­so as­su­mi­do en­tre as par­tes”, de­fen­deu.

O Che­fe de Es­ta­do gui­ne­en­se dis­se ser sua von­ta­de que tu­do fi­que es­cla­re­ci­do em re­la­ção à es­co­lha de um pri­mei­ro-mi­nis­tro e do no­vo Go­ver­no an­tes da sua par­ti­da pa­ra a ci­mei­ra dos lí­de­res da Co­mu­ni­da­de de Paí­ses de Lín­gua Por­tu­gue­sa (CPLP), que te­rá lu­gar no fi­nal do mês em Bra­sí­lia. “Gos­ta­ria de le­var uma po­si­ção mais cla­ra so­bre o que se pas­sa no país e o que foi fei­to pe­los gui­ne­en­ses”, en­fa­ti­zou Má­rio Vaz, ape­lan­do aos dois prin­ci­pais par­ti­dos no Par­la­men­to, PAIGC e PRS, pa­ra se en­ten­de­rem. O Pre­si­den­te gui­ne­en­se dis­se que ain­da não ini­ci­ou as con­sul­tas com as par­tes, por­que o pri­mei­ro-mi­nis­tro em exer­cí­cio, Ba­ci­ro Djá, se en­con­tra­va fo­ra do país, mas uma vez que es­te já re­gres­sou a Bis­sau o pro­ces­so vai co­me­çar, afir­mou.

“Tu­do tem o seu tem­po. O pri­mei­ro-mi­nis­tro che­gou on­tem (quar­ta­fei­ra) e, an­tes de ini­ci­ar fos­se o que fos­se, é pre­ci­so con­ver­sar com ele, in­for­má-lo que es­tou a ini­ci­ar es­se pro­ces­so”, de­cla­rou Jo­sé Má­rio Vaz.

O acor­do de Co­na­cry

De­pois das for­tes di­ver­gên­ci­as que mar­ca­ram as ne­go­ci­a­ções pa­ra a es­ta­bi­li­da­de na Gui­né-Bis­sau, as par­tes ne­go­ci­ais che­ga­ram fi­nal­men­te a um en­ten­di­men­to, com a as­si­na­tu­ra, sex­ta-fei­ra, do acor­do que po­de tra­zer de vol­ta a es­ta­bi­li­da­de política a es­te país do Oes­te afri­ca­no.

Mar­ca­das por for­tes dis­cus­sões à vol­ta de quem de­ve­ria in­di­car o fu­tu­ro che­fe do Exe­cu­ti­vo, as par­tes aca­ba­ram por che­gar a um en­ten­di­men­to em re­la­ção ao mo­de­lo al­ter­na­ti­vo pro­pos­to pe­la me­di­a­ção, que con­sis­tiu na in­di­ca­ção pe­lo Pre­si­den­te da Gui­né-Bis­sau, Jo­sé Má­rio Vaz, de três fi­gu­ras neu­tras, pa­ra in­di­ca­ção, por con­sen­so, do no­me que vai ocu­par o car­go de pri­mei­ro-mi­nis­tro. Au­gus­to Oli­vais e João Ma­ma­du Fa­dia, João Fa­dia, di­rec­tor da De­le­ga­ção gui­ne­en­se do Ban­co Cen­tral dos Es­ta­dos da Áfri­ca Oci­den­tal, e Uma­ro Sis­so­ko são as fi­gu­ras es­co­lhi­das pe­lo Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca e, a jul­gar pe­lo que foi de­ci­di­do em Co­na­cri, um de­les se­rá es­co­lhi­do, tam­bém pe­lo Che­fe de Es­ta­do, pa­ra for­mar um no­vo Go­ver­no de con­sen­so e in­clu­si­vo.

O Par­ti­do Afri­ca­no da In­de­pen­dên­cia da Gui­né e Ca­bo Ver­de (PAIGC) vai apoi­ar Au­gus­to Oli­vais, de­pu­ta­do e di­ri­gen­te des­ta for­ça política, pa­ra o car­go de pri­mei­ro-mi­nis­tro, dis­se uma fon­te par­ti­dá­ria, es­tan­do por se sa­ber a quem cai­rá a es­co­lha do Pre­si­den­te Jo­sé Má­rio Vaz, ha­ven­do quem acre­di­te que o mes­mo es­ta­va mais in­cli­na­do pa­ra a fi­gu­ra de Ma­ma­du Fa­dia. Ao con­fir­mar-se es­tas in­for­ma­ções, es­te po­de­rá vir a cons­ti­tuir-se em mais um pon­to ne­vrál­gi­co no já, por si só, com­ple­xo pa­no­ra­ma po­lí­ti­co gui­ne­en­se.

Na­da in­di­ca que o PAIGC ve­nha a acei­tar uma fi­gu­ra que não se­ja a pes­soa de Au­gus­to Oli­vais, em sua opi­nião, a per­so­na­li­da­de in­di­ca­da pa­ra ocu­par o car­go. O Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Jo­sé Má­rio Vaz, dis­se ser ne­ces­sá­rio que o no­vo pri­mei­ro-mi­nis­tro te­nha o apoio ne­ces­sá­rio pa­ra po­der fa­zer apro­var um or­ça­men­to de Es­ta­do no Par­la­men­to - e a Gui­né-Bis­sau ain­da pre­ci­sa de um pa­ra 2016, além dos cál­cu­los pa­ra 2017.

Má­rio Vaz fa­la­va à sua che­ga­da a Bis­sau, pro­ve­ni­en­te de Lis­boa on­de man­te­ve um en­con­tro com o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca por­tu­gue­sa, Mar­ce­lo Re­be­lo de Sou­sa, com quem abor­dou so­bre a si­tu­a­ção gui­ne­en­se.

De­pois de es­co­lhi­do o pri­mei­ro­mi­nis­tro, os par­ti­dos com as­sen­to par­la­men­tar de­ve­rão di­vi­dir en­tre si as pas­tas go­ver­na­men­tais, em fun­ção dos lu­ga­res que ocu­pa ca­da uma das par­tes no Par­la­men­to, tal co­mo de­fi­ni­do no acor­do as­si­na­do na sex­ta-fei­ra. O acor­do de Co­na­cri de­ter­mi­na o re­gres­so ao PAIGC dos 15 mem­bros des­te par­ti­do, ex­pul­sos re­cen­te­men­te da mai­or for­ça política gui­ne­en­se, in­cluin­do en­tre eles o ac­tu­al pri­mei­ro-mi­nis­tro, Ba­ci­ro Djá.

Se por um la­do, o re­gres­so dos “15” tra­rá de vol­ta ao PAIGC o es­ta­tu­to de par­ti­do com mai­or re­pre­sen­ta­ti­vi­da­de a ní­vel do Par­la­men­to, a ques­tão que se põe ago­ra es­tá em se sa­ber de que la­do vão es­tar os “15”, por al­tu­ra do vo­to na As­sem­bleia Na­ci­o­nal.

Au­gus­to Oli­vais, 59 anos, nas­ceu em Bu­la, Gui­né-Bis­sau. Foi se­cre­tá­rio-ge­ral do PAIGC du­ran­te 12 anos e, en­tre ou­tros car­gos, já foi pri­mei­ro vi­ce-pre­si­den­te da As­sem­bleia Na­ci­o­nal Po­pu­lar (ANP, Par­la­men­to gui­ne­en­se). O Par­ti­do da Re­no­va­ção So­ci­al (PRS), na opo­si­ção, ain­da não de­cla­rou apoio a ne­nhum des­ses três no­mes.

FRAN­CIS­CO BER­NAR­DO

Che­fe de Es­ta­do gui­ne­en­se vai con­sul­tar os par­ti­dos so­bre a for­ma­ção do Go­ver­no de con­sen­so

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.