Clí­ni­ca An­jos da Guar­da for­ma agen­tes da Po­lí­cia

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - FULA MAR­TINS |

Agen­tes re­gu­la­do­res de trân­si­to e da or­dem pú­bli­ca da Di­vi­são de Po­lí­cia da Sam­ba, em Lu­an­da, es­tão a ser ca­pa­ci­ta­dos em ma­té­ria de pri­mei­ros so­cor­ros e as­sis­tên­cia pó­sa­ci­den­te, nu­ma ini­ci­a­ti­va da Clí­ni­ca An­jos da Guar­da.

O di­rec­tor da clí­ni­ca dis­se ao Jor­nal de An­go­la que a sua ins­ti­tui­ção tem um com­pro­mis­so com o Co­man­do de Di­vi­são da Sam­ba pa­ra for­mar os agen­tes, em es­pe­ci­al os es­ca­la­dos pa­ra tra­ba­lhar na Via Ex­pres­sa, en­tre o an­ti­go Con­tro­lo do Ben­fi­ca e a en­tra­da do Zan­go, em am­bos os sen­ti­dos.

Ce­né Her­nan­dez adi­an­tou que os agen­tes da Po­lí­cia de­vem ter co­nhe­ci­men­tos que lhe per­mi­tam sal­var a vi­da de um si­nis­tra­do no mo­men­to do aci­den­te. “Exis­tem muitos aci­den­tes que aca­bam em fa­ta­li­da­de, por­que, às ve­zes, o agen­te da Po­lí­cia não tem no­ção do que fa­zer”, dis­se.

A si­nis­tra­li­da­de ro­do­viá­ria, re­cor­dou, tem si­do a se­gun­da cau­sa de mor­te no país, de­pois da ma­lá­ria. “An­go­la tem uma ta­xa de si­nis­tra­li­da­de ro­do­viá­ria al­ta, que tem me­re­ci­do, nos úl­ti­mos anos, aten­ção es­pe­ci­al por par­te das au­to­ri­da­des com­pe­ten­tes”, su­bli­nhou. A for­ma­ção, in­for­mou, es­tá a car­go de um es­pe­ci­a­lis­ta em emer­gên­ci­as mé­di­cas de na­ci­o­na­li­da­de cu­ba­na.

O di­rec­tor da clí­ni­ca la­men­tou o fac­to de em Lu­an­da mui­tas pes­so­as mor­re­rem em con­sequên­cia dos aci­den­tes de vi­a­ção. “Por is­so, abri­mos as por­tas pa­ra aten­der, de for­ma gra­tui­ta, to­dos os sinistrados na Via Ex­pres­sa, mas ape­nas do tra­jec­to an­ti­go Con­tro­lo do Ben­fi­ca até a en­tra­da do Zan­go.”

JOÃO PE­DRO

Res­pon­sá­vel da clí­ni­ca Ce­né Her­nan­dez

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.