Sis­te­ma pré-pa­go ins­ta­la­do em vá­ri­as ca­sas no Lu­ban­go

Jornal de Angola - - SOCIEDADE -

Mais de 25 mil con­ta­do­res pré­pa­gos de ener­gia eléc­tri­ca fo­ram já ins­ta­la­dos, na ci­da­de do Lu­ban­go, província da Huí­la, pe­la Em­pre­sa Na­ci­o­nal de Dis­tri­bui­ção (En­de).

O res­pon­sá­vel pe­las ac­ti­vi­da­des de sen­si­bi­li­za­ção da En­de, Wilson Hau­ke­lo, afir­mou que o cli­en­te pa­ga 6.53 kwan­zas por qui­lowatt/ho­ra, tan­to no sis­te­ma pós-pa­go co­mo no pré-pa­go e as re­cla­ma­ções da po­pu­la­ção so­bre o ele­va­do pre­ço da ener­gia não têm sen­ti­do.

Wilson Hau­ke­lo afir­mou que, an­te­ri­or­men­te, a co­bran­ça era fei­ta por es­ti­ma­ti­va, o que aca­ba­va sen­do in­jus­ta pa­ra am­bas as par­tes, Com a apli­ca­ção do sis­te­ma, o cli­en­te pa­ga so­men­te o que con­so­me.

“An­tes, o cli­en­te con­su­mia pri­mei­ro e pa­ga­va de­pois, o que fa­ci­li­ta­va a fu­ga de mui­tos con­su­mi­do­res. Ho­je, pa­gam aqui­lo que vão con­su­mir e é nes­ta re­gu­la­ção do sis­te­ma que mui­tos têm a im­pres­são de que a ta­ri­fa su­biu, mas não. O se­gre­do é a ra­ci­o­na­li­za­ção do con­su­mo”, dis­se.

Wilson Hau­ke­lo fri­sou que a En­de não vai to­le­rar li­ga­ções anár­qui­cas. No Lu­ban­go, ci­da­de com qua­se um mi­lhão de ha­bi­tan­tes, a em­pre­sa tem ape­nas 64 mil cli­en­tes.

“Te­mos 64 mil cli­en­tes, mas as ci­fras de con­su­mo são mui­to ele­va­das, o que de­pre­en­de que exis­te um ín­di­ce mui­to al­to de con­su­mi­do­res ile­gais”, dis­se.

“Ape­la­mos aos con­su­mi­do­res que não têm vín­cu­lo com a En­de a di­ri­gi­rem-se aos nos­sos bal­cões pa­ra es­ta­be­le­ce­rem con­tra­to. Os que já são cli­en­tes e acu­mu­la­ram dí­vi­das de­vem ne­go­ci­ar o pa­ga­men­to par­ce­la­do”, fri­sou.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.