Vi­la he­rói­ca tem ener­gia pa­ra ven­der

De­ze­nas de pro­jec­tos de im­pac­to so­ci­al com fi­nan­ci­a­men­to ga­ran­ti­do

Jornal de Angola - - PARTADA - LOU­REN­ÇO BULE |

O bai­xo ín­di­ce de con­su­mo da ener­gia, pro­du­zi­da a par­tir da cen­tral tér­mi­ca do Cui­to Cu­a­na­va­le, es­tá a pro­vo­car pro­ble­mas téc­ni­cos aos cin­co ge­ra­do­res ins­ta­la­dos na­que­la re­gião, uma si­tu­a­ção que dei­xou pre­o­cu­pa­da a co­mi­ti­va de de­pu­ta­dos do MPLA que tra­ba­lhou na pro­vín­cia do Cu­an­do Cu­ban­go.

O res­pon­sá­vel da cen­tral tér­mi­ca, Lu­ku­zia Man­di, ex­pli­cou aos de­pu­ta­dos que a cen­tral ter­mo­e­léc­tri­ca do Cui­to Cu­a­na­va­le tem uma po­tên­cia ins­ta­la­da de 7.5 me­gawatts, mas a po­pu­la­ção lo­cal es­tá a con­su­mir ape­nas 0,5.

Por es­ta ra­zão, dis­se, a po­pu­la­ção é obri­ga­da a man­ter as lâm­pa­das ace­sas, mes­mo de dia, pa­ra que o ge­ra­dor que es­ti­ver a tra­ba­lhar pos­sa ter al­gu­ma car­ga na li­nha, uma vez que a mai­or par­te dos con­su­mi­do­res não pos­sui elec­tro­do­més­ti­cos e a vi­la do Cui­to Cu­a­na­va­le não tem qual­quer ti­po de in­dús­tria.

Re­al­çou que um dos cin­co gru­pos ge­ra­do­res já se en­con­tra ava­ri­a­do e os res­tan­tes fun­ci­o­nam de for­ma al­ter­na­da, pa­ra se evi­tar da­nos mai­o­res, nu­ma al­tu­ra em que a ci­da­de de Me­non­gue, que fi­ca a 189 qui­ló­me­tros de dis­tân­cia do Cui­to Cu­a­na­va­le, en­fren­ta sé­ri­os pro­ble­mas no for­ne­ci­men­to de ener­gia.

No Cui­to Cu­a­na­va­le, a co­mi­ti­va che­fi­a­da pe­la de­pu­ta­da Al­ber­ti­na Te­re­sa Jo­sé vi­si­tou igual­men­te a cen­tral de cap­ta­ção e dis­tri­bui­ção de água po­tá­vel, com ca­pa­ci­da­de pa­ra pro­du­zir 300 me­tros cú­bi­cos por ho­ra, que, à se­me­lhan­ça da cen­tral ter­mo­e­léc­tri­ca, tam­bém es­tá su­ba­pro­vei­ta­da.

Na pro­vín­cia do Cu­an­do Cu­ban­go, a co­mi­ti­va do MPLA cons­ta­tou exis­ti­rem pou­co mais de 61 pro­jec­tos so­ci­ais de su­bor­di­na­ção cen­tral e pro­vin­ci­al ina­ca­ba­dos e ou­tros por ini­ci­ar, que cons­tam das pri­o­ri­da­des do Exe­cu­ti­vo an­go­la­no, que de­vem ser su­por­ta­das com o Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do (OGE) de 2016 e 2017.

Obras em cur­so

O co­or­de­na­dor do gru­po de acom­pa­nha­men­to à pro­vín­cia, Fer­rei­ra Pin­to, que fa­la­va à im­pren­sa no fi­nal da vi­si­ta, dis­se que o Cu­an­do Cu­ban­go tem nes­te mo­men­to qua­tro pro­jec­tos de su­bor­di­na­ção cen­tral, de­sig­na­da­men­te a cons­tru­ção do Co­man­do Pro­vin­ci­al da Po­lí­cia Na­ci­o­nal, o ca­nal flu­vi­al en­tre a se­de do Ri­vun­go e Shan­gom­bo (Zâm­bia), o Hos­pi­tal Mu­ni­ci­pal do Cui­to Cu­a­na­va­le e uma es­co­la se­cun­dá­ria.

O go­ver­no lo­cal tem 57 pro­jec­tos, sen­do a cons­tru­ção e con­clu­são em to­dos os mu­ni­cí­pi­os de 35 es­co­las de 16, 12 e seis sa­las de au­la, a cons­tru­ção dos ae­ro­por­tos de Ma­vin­ga, Jam­ba, Ri­vun­go e Di­ri­co, a cons­tru­ção de qua­tro por­tos flu­vi­ais nas se­des de Nan­co­va, Cu­an­gar, Ca­lai e Ri­a­ve­la, bem co­mo a con­clu­são de um pro­jec­to tu­rís­ti­co em Me­non­gue e do Ins­ti­tu­to Mé­dio Agrá­rio de Mis­som­bo (IMA). Dos pro­jec­tos em car­tei­ra, cons­tam igual­men­te a con­clu­são de uma pon­te so­bre o rio Cu­bia, em Ma­vin­ga, e ou­tra no tra­jec­to Lu­en­gue-Ri­vun­go, dos hos­pi­tais mu­ni­ci­pais de Ma­vin­ga e de Ca­lai, um cam­po mul­tiu­so em Me­non­gue, in­fra-es­tru­tu­ras ad­mi­nis­tra­ti­vas na Jam­ba e am­pli­a­ção da re­de de mé­dia e bai­xa ten­são de Me­non­gue.

A cons­tru­ção de uma ca­sa mor­tuá­ria e a as­fal­ta­gem dos tro­ços ro­do­viá­ri­os en­tre os bair­ros Azul e Boa Vi­da, no Fu­tun­go-No­vo, tam­bém vão me­re­cer uma aten­ção es­pe­ci­al das au­to­ri­da­des.

NICOLAU VAS­CO | ME­NON­GUE

Nu­ma al­tu­ra em que o Cui­to Cu­a­na­va­le pre­ci­sa de mais con­su­mi­do­res a ci­da­de de Me­non­gue (fo­to) re­gis­ta res­tri­ção de ener­gia eléctrica

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.