Es­pa­nha man­tém aber­ta li­nha de cré­di­to

Jornal de Angola - - POLÍTICA -

A em­bai­xa­do­ra de Es­pa­nha em An­go­la afir­mou que o seu país man­tém aber­ta a li­nha de cré­di­to de dois mil mi­lhões de dó­la­res, que des­de 2008 es­tá a fi­nan­ci­ar pro­jec­tos em vá­ri­os sec­to­res, ape­sar do mo­men­to di­fí­cil que a eco­no­mia mun­di­al atra­ves­sa.

Em de­cla­ra­ções ao Jor­nal de An­go­la por oca­sião da fes­ta na­ci­o­nal do seu país, as­si­na­la­da no pas­sa­do dia 12 de Ou­tu­bro, Jú­lia Ali­cia Ol­mo y Ro­me­ro afir­mou que, ape­sar das di­fi­cul­da­des, mais de 60 em­pre­sas es­pa­nho­las es­tão ins­ta­la­das em An­go­la e to­das con­ti­nu­am a tra­ba­lhar com em­pe­nho, nos mais di­ver­sos sec­to­res, sem­pre com a von­ta­de de con­tri­buir pa­ra a di­ver­si­fi­ca­ção eco­nó­mi­ca, a cri­a­ção de em­pre­go e o de­sen­vol­vi­men­to do país.

Um dos des­ta­ques da pre­sen­ça es­pa­nho­la é a par­ti­ci­pa­ção no Pla­no Na­ci­o­nal de Ge­o­lo­gia (Pla­na­geo), lan­ça­do em Maio de 2014, atra­vés da fir­ma Im­pul­so, que in­te­gra um con­sór­cio com o Ins­ti­tu­to Ge­o­ló­gi­co e Mi­nei­ro de Es­pa­nha e o La­bo­ra­tó­rio Na­ci­o­nal de Ener­gia e Ge­o­lo­gia de Por­tu­gal. Am­bos são res­pon­sá­veis por 37,5 por cen­to do pro­jec­to que, até ao pró­xi­mo ano, vai per­mi­tir co­nhe­cer os re­cur­sos na­tu­rais de An­go­la, ca­rac­te­ri­zan­do as po­ten­ci­a­li­da­des mi­ne­rais, ao ní­vel do sub­so­lo, pa­ra de­pois cap­tar in­ves­ti­do­res es­tran­gei­ros, a mé­dio e lon­go pra­zo.

O es­tu­do já per­mi­tiu o le­van­ta­men­to aé­reo do po­ten­ci­al ge­o­ló­gi­co nu­ma área equi­va­len­te a 48 por cen­to do ter­ri­tó­rio na­ci­o­nal. Os tra­ba­lhos des­te pro­jec­to, que é con­si­de­ra­do um dos mai­o­res do gé­ne­ro a ní­vel mun­di­al, con­sis­tem no ma­pe­a­men­to dos po­ten­ci­ais re­cur­sos mi­nei­ros, en­vol­ven­do le­van­ta­men­tos aé­re­os, re­co­lha e aná­li­se de amos­tras.

A di­plo­ma­ta lem­brou que as re­la­ções en­tre An­go­la e Es­pa­nha têm ori­gem nos pri­mór­di­os da in­de­pen­dên­cia e que se con­cre­ti­za­ram em prin­cí­pi­os de 1977 com o es­ta­be­le­ci­men­to de re­la­ções di­plo­má­ti­cas.

“Fo­ram 40 anos de re­la­ções po­lí­ti­cas con­tí­nu­as, sem in­ter­rup­ção de ne­nhum ti­po”, dis­se a di­plo­ma­ta, acres­cen­tan­do que, quan­do no prin­cí­pio dos anos 90 al­guns paí­ses fe­cha­ram as su­as Em­bai­xa­das em Lu­an­da, a Es­pa­nha e os es­pa­nhóis per­ma­ne­ce­ram, acom­pa­nhan­do e apoi­an­do o po­vo an­go­la­no, co­mo sem­pre fi­ze­ram nos mo­men­tos mais di­fí­ceis.

“Com An­go­la tam­bém par­ti­lha­mos até ao fi­nal do ano um lu­gar no Con­se­lho de Se­gu­ran­ça das Na­ções Uni­das e de­fen­de­mos a so­lu­ção pa­cí­fi­ca dos con­fli­tos, con­so­li­da­ção da de­mo­cra­cia, de­sen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel, di­rei­tos hu­ma­nos, a re­for­ma das Na­ções Uni­das, a lu­ta con­tra o ter­ro­ris­mo e os de­se­qui­lí­bri­os eco­nó­mi­cos”, dis­se Jú­lia Ali­cia Ol­mo y Ro­me­ro, lem­bran­do que a Es­pa­nha é a qu­ar­ta eco­no­mia da zo­na eu­ro e a pre­vi­são de cres­ci­men­to do PIB pa­ra es­te ano é de 3,2 por cen­to.

KINDALA MA­NU­EL

Em­bai­xa­do­ra de Es­pa­nha Jú­lia Ro­me­ro

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.