FMI ga­ran­te apoio a Mo­çam­bi­que

Jornal de Angola - - ECONOMIA -

O Fun­do Mo­ne­tá­rio In­ter­na­ci­o­nal (FMI) ga­ran­te aju­da a Mo­çam­bi­que, país que, na sua óp­ti­ca, en­vi­da os es­for­ços pa­ra tor­nar a sua dí­vi­da sus­ten­tá­vel, de­cla­rou qu­ar­ta-fei­ra a equi­pa da ins­ti­tui­ção fi­nan­cei­ra em Ma­pu­to.

“A equi­pa do FMI man­tém-se pron­ta pa­ra apoi­ar as au­to­ri­da­des no seu es­for­ço”, afir­ma um co­mu­ni­ca­do dis­tri­buí­do pe­la re­pre­sen­ta­ção do FMI em Ma­pu­to. “A equi­pa do FMI re­co­nhe­ce a in­ten­ção das au­to­ri­da­des mo­çam­bi­ca­nas de ini­ci­ar dis­cus­sões com cer­tos cre­do­res com vis­ta a res­tau­rar a dí­vi­da de Mo­çam­bi­que pa­ra uma tra­jec­tó­ria sus­ten­tá­vel”, con­for­me anun­ci­a­do pe­lo mi­nis­tro das Fi­nan­ças nu­ma reu­nião com os cre­do­res em Lon­dres.

O Go­ver­no de Mo­çam­bi­que ad­mi­tiu ofi­ci­al­men­te a in­ca­pa­ci­da­de fi­nan­cei­ra do Es­ta­do pa­ra pa­gar as pró­xi­mas pres­ta­ções das dí­vi­das das em­pre­sas públicas com em­prés­ti­mos ocul­tos, de­fen­den­do uma re­es­tru­tu­ra­ção dos pa­ga­men­tos e uma no­va aju­da fi­nan­cei­ra do Fun­do Mo­ne­tá­rio In­ter­na­ci­o­nal (FMI).

Um do­cu­men­to de 20 pá­gi­nas apre­sen­ta­do aos in­ves­ti­do­res pe­lo Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças (MF) re­fe­re que ”o per­fil da dí­vi­da pú­bli­ca ga­ran­ti­da pe­lo Es­ta­do de Mo­çam­bi­que não é sus­ten­tá­vel”. O Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças as­si­na­la a in­ca­pa­ci­da­de de pa­ga­men­to das dí­vi­das das em­pre­sas que re­a­li­za­ram em­prés­ti­mos es­con­di­dos e as­su­me que a dí­vi­da pú­bli­ca vai che­gar, em 2016, a 130 por cen­to do PIB e re­vê em bai­xa pa­ra 3,7 por cen­to a pre­vi­são de cres­ci­men­to eco­nó­mi­co. “A de­pre­ci­a­ção da mo­e­da lo­cal su­pe­rou o au­men­to do vo­lu­me de dí­vi­da e o cus­to de ser­vir a dí­vi­da; o ní­vel de dí­vi­da pú­bli­ca ex­ter­na e ga­ran­ti­da pe­lo Es­ta­do ex­ce­de os 100 por cen­to do PIB em 2017; o cus­to de ser­vir a dí­vi­da pú­bli­ca e pu­bli­ca­men­te ga­ran­ti­da, in­cluin­do atra­sos nos pa­ga­men­tos, de­ve che­gar aos 826 mi­lhões de dó­la­res, em mé­dia, en­tre 2017 e 2021 ou se­ja, apro­xi­ma­da­men­te 6,9 por cen­to do PIB por ano”, lê-se na apre­sen­ta­ção dis­po­ni­bi­li­za­da aos cre­do­res.

De acor­do com as re­gras do FMI, não po­de ser da­da aju­da fi­nan­cei­ra a um país com dí­vi­da em es­for­ço ou pro­ble­má­ti­ca pe­lo que o MF pro­põe um con­jun­to de reu­niões com os cre­do­res das em­pre­sas públicas Mo­zam­bi­que As­sett Ma­na­ge­ment e Proin­di­cus. Mo­çam­bi­que tem um pro­ble­ma de cre­di­bi­li­da­de po­lí­ti­ca jun­to do FMI e dos cre­do­res in­ter­na­ci­o­nais, de­pois de ter ocul­ta­do dí­vi­das no va­lor de 1,4 mil mi­lhões de dó­la­res con­traí­das nos úl­ti­mos anos, o que le­va os cre­do­res in­ter­na­ci­o­nais a exi­gi­ram a re­a­li­za­ção de uma au­di­to­ria ex­ter­na pa­ra re­to­mar as con­ver­sa­ções com vis­ta ao rei­ní­cio da aju­da fi­nan­cei­ra.

O Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças as­se­gu­ra que já há um “pro­gres­so con­si­de­rá­vel na re­dac­ção dos ter­mos de re­fe­rên­cia da au­di­to­ria” e con­fir­mam que “a au­di­to­ria vai fo­car-se na Ema­tum (Em­pre­sa Mo­çam­bi­ca­na de Atum), Proin­di­cus e MAM”.

O prin­ci­pal ob­jec­ti­vo ago­ra é re­to­mar as re­la­ções com o FMI pa­ra es­ta­bi­li­zar a eco­no­mia e res­tau­rar a con­fi­an­ça da co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal. O Go­ver­no de Mo­çam­bi­que con­tra­tou a con­sul­to­ria fi­nan­cei­ra e ju­rí­di­ca das bri­tâ­ni­cas La­zard Frè­res e Whi­te & Ca­se LLP, res­pec­ti­va­men­te, pa­ra a par­tir de ago­ra ne­go­ci­a­rem com os cre­do­res.

A co­o­pe­ra­ção en­tre o Go­ver­no mo­çam­bi­ca­no e o Fun­do Mo­ne­tá­rio In­ter­na­ci­o­nal pas­sou a de­te­ri­o­rar-se em Abril des­te ano. A ins­ti­tui­ção fi­nan­cei­ra sus­pen­deu a se­gun­da par­ce­la de um em­prés­ti­mo ao país, após a re­ve­la­ção da exis­tên­cia de cré­di­tos num to­tal de 1,4 mil mi­lhões de dó­la­res a fa­vor de em­pre­sas es­ta­tais mo­çam­bi­ca­nas, en­tre 2013 e 2014, com ga­ran­ti­as do Go­ver­no, à re­ve­lia do par­la­men­to e dos par­cei­ros ex­ter­nos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.