Au­to­ri­da­des mu­ni­ci­pais re­ce­bem for­ma­ção

Jornal de Angola - - PROVÍNCIAS - VIC­TOR PEDRO |

Ad­mi­nis­tra­do­res mu­ni­ci­pais ad­jun­tos da pro­vín­cia do Cu­an­za Sul re­ce­be­ram no­vos co­nhe­ci­men­tos so­bre ges­tão e pla­ni­fi­ca­ção do de­sen­vol­vi­men­to lo­cal, de­pois de te­rem par­ti­ci­pa­do num ci­clo de for­ma­ção re­a­li­za­do no Sum­be.

Pro­mo­vi­do pe­lo Ins­ti­tu­to de For­ma­ção Ad­mi­nis­tra­ti­va Lo­cal (IFAL), em par­ce­ria com o Go­ver­no Pro­vin­ci­al e o Fun­do de Apoio So­ci­al (FAS), o ci­clo de 12 di­as foi sub­di­vi­do em dois mó­du­los so­bre ad­mi­nis­tra­ção lo­cal do Es­ta­do e pla­ni­fi­ca­ção do de­sen­vol­vi­men­to lo­cal.

O pri­mei­ro de­sen­vol­veu te­mas co­mo o re­gi­me ju­rí­di­co e tu­te­lar ad­mi­nis­tra­ti­vo, as nor­mas e pro­ce­di­men­tos ad­mi­nis­tra­ti­vos, de­li­mi­ta­ções e com­pe­tên­ci­as e as trans­gres­sões ad­mi­nis­tra­ti­vas.

O se­gun­do abor­dou o pla­ne­a­men­to e de­sen­vol­vi­men­to eco­nó­mi­co lo­cal e so­ci­al, in­di­ca­do­res do de­sen­vol­vi­men­to, de­sen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel, pla­ne­a­men­to e or­de­na­men­to do ter­ri­tó­rio.

Os par­ti­ci­pan­tes con­gra­tu­la­ram­se com a re­a­li­za­ção da ini­ci­a­ti­va que, se­gun­do eles, per­mi­tiu ac­tu­a­li­zar os co­nhe­ci­men­tos so­bre a ad­mi­nis­tra­ção do Es­ta­do e a pla­ni­fi­ca­ção do de­sen­vol­vi­men­to lo­cal.

Os ad­mi­nis­tra­do­res mu­ni­ci­pais ad­jun­tos re­co­nhe­ce­ram a ne­ces­si­da­de de for­ma­ção pe­rió­di­ca pa­ra que os ser­vi­ços pres­ta­dos à po­pu­la­ção atin­jam a qua­li­da­de de­se­ja­da, ten­do ma­ni­fes­ta­do dis­po­ni­bi­li­da­de pa­ra fa­zer cum­prir to­das as de­li­be­ra­ções que a lei im­põe.

O di­rec­tor re­gi­o­nal do IFAL, Ci­pri­a­no Li­a­lun­ga, dis­se tra­tar-se de uma for­ma­ção di­ri­gi­da aos qua­dros da Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca do Es­ta­do, por ser uma pri­o­ri­da­de do Exe­cu­ti­vo, no âm­bi­to das re­for­mas ad­mi­nis­tra­ti­vas que tem vin­do a im­ple­men­tar.

Ci­pri­a­no Li­a­lun­ga acres­cen­tou que é im­por­tan­te re­flec­tir so­bre as leis que re­gu­la­men­tam as bo­as prá­ti­cas, que de­vem ser apli­ca­das pe­la ad­mi­nis­tra­ção do Es­ta­do. O res­pon­sá­vel do IFAL su­bli­nhou que as ac­ções for­ma­ti­vas tor­nam os ges­to­res pú­bli­cos mais com­pe­ten­tes, com re­fle­xos na qua­li­da­de da pres­ta­ção de ser­vi­ços às po­pu­la­ções.

“Pre­ten­de­mos que os ges­to­res exer­çam prá­ti­cas ade­qua­das ao ac­tu­al con­tex­to, nos vá­ri­os ca­pí­tu­los, co­mo a ra­ci­o­na­li­za­ção dos re­cur­sos, pres­ta­ção de con­tas e os cum­pri­men­tos das ac­ções pri­o­ri­tá­ri­as das co­mu­ni­da­des, de for­ma que o ci­da­dão se sin­ta bem e me­lhor ser­vi­do”, su­bli­nhou.

FERNANDO CAMILO

Ad­mi­nis­tra­do­res com no­vas téc­ni­cas pa­ra me­lhor ge­ri­rem os pro­gra­mas de de­sen­vol­vi­men­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.