Aca­dé­mi­ca con­quis­ta tro­féu

Es­tu­dan­tes su­pe­ram pe­tro­lí­fe­ros e do­mi­nam hó­quei em pa­tins

Jornal de Angola - - DESPORTO - AR­MIN­DO PE­REI­RA |

A equi­pa sé­ni­or mas­cu­li­na da Aca­dé­mi­ca de Lu­an­da re­va­li­dou sá­ba­do, no pa­vi­lhão ane­xo II da Ci­da­de­la, o ti­tu­lo da Ta­ça de An­go­la em hó­quei em pa­tins, após triun­fo fren­te o Pe­tro, por ex­pres­si­vos 6-1, com já fa­vo­rá­veis 3-0 ao in­ter­va­lo.

Fo­ram os tri­co­lo­res quem ti­ve­ram as pri­mei­ras ini­ci­a­ti­vas da par­ti­da, sem no en­tan­to as­sus­tar o úl­ti­mo re­du­to dos es­tu­dan­tes, que se apre­sen­ta­ram com uma cor­ti­na de­fen­si­va or­ga­ni­za­da, ca­paz de dar res­pos­ta às ac­ções con­trá­ri­as, em­bo­ra ti­ves­sem ali­nha­do sem Mar­tin Paye­ro, uma das su­as prin­ci­pais uni­da­des.

A tra­jec­tó­ria vi­to­ri­o­sa dos es­tu­dan­tes co­me­çou a ser de­se­nha­da por Már­cio Fer­nan­des, que apro­vei­tou o fac­to de a equi­pa tri­co­lor es­tar to­da ba­lan­ça­da pa­ra o ata­que, mas des­com­pen­sa­da na de­fe­sa. O ex­pe­ri­en­te avan­ça­do Már­cio sou­be ti­rar pro­vei­to e inau­gu­rou o mar­ca­dor.

Fru­to da sua mai­or con­sis­tên­cia, os es­tu­dan­tes ori­en­ta­do por Ju­ran­dir da Sil­va “Di­di”, vol­ta­ram a ba­lan­çar as re­des da ba­li­za à guar­da de Do­ri­val­do, em du­as oca­siões an­tes do in­ter­va­lo, por Már­cio Fer­nan­des, que es­te­ve sem­pre apoi­a­do por Adil­son Di­o­go “Pi”.

Na eta­pa com­ple­men­tar, Chi­qui­nho di­la­tou a van­ta­gem (4-0). Mais com­pac­ta, a Aca­dé­mi­ca de Lu­an­da con­se­guiu in­te­ri­o­ri­zar me­lhor os sis­te­mas tác­ti­cos mon­ta­dos pe­lo seu ti­mo­nei­ro, sou­be ler o jo­go e anu­lar as ac­ções ofen­si­vas do seu opo­si­tor.

Pre­o­cu­pa­do em re­ver­ter o qua­dro, Iná­cio dos San­tos “Ma­ma”, trei­na­dor do Pe­tro, subs­ti­tuiu o guar­da-re­des Do­ri­val­do por Mi­guel Vi­ei­ra. O ca­pi­tão do Pe­tro, Adão Lu­cu­cu­ri­co “Ga­to Pe­tro”ano­tou o ten­to de hon­ra, fez uma exi­bi­ção no­tó­ria a par do seu ir­mão, Sér­gio Lu­cu­cu­ri­co “Chi­pi­co”, fo­ram os mais in­con­for­ma­dos ao ca­bo dos 40 mi­nu­tos cro­no­me­tra­dos.

A de­ter­mi­na­ção e for­ça de von­ta­de dos ir­mãos não foi su­fi­ci­en­te pa­ra tra­var a fú­ria dos es­tu­dan­tes, sem­pre de­ter­mi­na­dos e fo­ca­dos num úni­co ob­jec­ti­vo, o de re­va­li­dar o tí­tu­lo. Já nos mi­nu­tos der­ra­dei­ros, Pi e Chi­qui­nho as­si­na­ram um go­lo ca­da (6-1) e fe­cha­ram a con­ta­gem.

No fi­nal da par­ti­da, Ju­ran­dir da Sil­va enal­te­ceu a pos­tu­ra da sua equi­pa, que sem­pre lu­tou pa­ra con­quis­tar a ter­cei­ra Ta­ça de An­go­la con­se­cu­ti­va, de­pois de 2014 e 2015. “Fi­co fe­liz por­que is­so é fru­to do tra­ba­lho e es­pí­ri­to de sa­cri­fí­cio dos meus atle­tas. Sou­be­mos le­var o jo­go a nos­sa fa­vor. Por is­so es­tão to­dos de pa­ra­béns.”

Por par­te do Pe­tro de Lu­an­da, o téc­ni­co Ma­ma co­me­çou por re­co­nhe­cer que os er­ros co­me­ti­dos fo­ram fa­tais pa­ra o des­fe­cho e pro­me­teu uma pos­tu­ra di­fe­ren­te nos pró­xi­mos jo­gos, com re­al­ce pa­ra o Cam­pe­o­na­to Na­ci­o­nal, com iní­cio no dia 4 de No­vem­bro.

Em­bo­ra o re­sul­ta­do te­nha si­do mui­to ex­pres­si­vo, não tra­du­ziu o que as du­as equi­pas pro­du­zi­ram, uma vez que os tri­co­lo­res ofe­re­cem boa ré­pli­ca, dig­ni­fi­can­do a fi­nal.

DO­MIN­GOS CADÊNCIA

Equi­pa ori­en­ta­da por Ju­ran­dir da Sil­va “Di­di” go­le­ou a for­ma­ção tri­co­lor na de­ci­são do tí­tu­lo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.