Exér­ci­to ira­qui­a­no en­tra em Mos­sul

Jornal de Angola - - DESPORTO -

As for­ças ira­qui­a­nas con­se­gui­ram en­trar na fren­te ori­en­tal da ci­da­de de Mos­sul, on­de tra­vam com­ba­tes com o gru­po Es­ta­do Is­lâ­mi­co (EI) no bair­ro de Kukye­li e já to­ma­ram a se­de da te­le­vi­são, anun­ci­ou on­tem o che­fe das for­ças an­ti­ter­ro­ris­tas ira­qui­a­nas.

Em de­cla­ra­ções à agên­cia de no­tí­ci­as es­pa­nho­la Efe, o che­fe das for­ças an­ti­ter­ro­ris­tas, Ab­del­ga­ni al Asa­di, adi­an­tou que as su­as tro­pas li­ber­ta­ram nas úl­ti­mas ho­ras uma par­te de Kukye­li, con­si­de­ra­do a por­ta de en­tra­da pa­ra Mos­sul, e cer­ca­ram o bair­ro. Al Asa­di es­ti­ma que Kukye­li po­dia ser to­ma­da ain­da on­tem por com­ple­to aos 'jiha­dis­tas', mas res­sal­vou que de­vi­do à di­men­são das ope­ra­ções po­de re­que­rer mais tem­po.

As tro­pas ira­qui­a­nas re­to­ma­ram na sex­ta-fei­ra o con­tro­lo de Ba­zauia, tam­bém na fren­te ori­en­tal, e avan­ça­ram pa­ra Kukye­li, si­tu­a­da a 900 me­tros da en­tra­da de Mos­sul, se­gun­da ci­da­de do Ira­que e bas­tião do Es­ta­do Is­lâ­mi­co. For­ças ira­qui­a­nas rom­pem for­te barreira ini­mi­ga e en­tram na ci­da­de de Mos­sul

Cer­ca de 200 mo­ra­do­res de Ba­zauia dei­xa­ram on­tem o lo­cal e es­tão a ser trans­por­ta­dos pa­ra cam­pos de as­sis­tên­cia, segundo a Efe. Na sex­ta-fei­ra à noi­te, o pri­mei­ro-mi­nis­tro ira­qui­a­no, Hai­dar al Aba­di, as­se­gu­rou que o exér­ci­to ira­qui­a­no es­tá mui­to per­to da ci­da­de de Mos­sul e o Es­ta­do Is­lâ­mi­co só tem a op­ção de ren­der-se ou mor­rer.

Os com­ba­tes um pou­co por to­da a cin­tu­ra ex­te­ri­or de Mos­sul têm si­do vi­o­len­tos e os com­ba­ten­tes do Es­ta­do Is­lâ­mi­co (os mi­li­ta­res acre­di­tam ago­ra que es­tão en­tre 4.000 e 7.000 jiha­dis­tas en­trin­chei­ra­dos na ci­da­de, a mai­o­ria de­les es­tran­gei­ros) têm re­ta­li­a­do con­tra as po­pu­la­ções das al­dei­as vi­zi­nhas. On­tem, mi­li­tan­tes do Es­ta­do Is­lâ­mi­co exe­cu­ta­ram 40 an­ti­gos mem­bros das for­ças de se­gu­ran­ça ira­qui­a­nas, que ti­nham si­do fei­tos re­féns. As Na­ções Uni­das anun­ci­a­ram ter re­ce­bi­do re­la­tó­ri­os cre­dí­veis de que o Es­ta­do Is­lâ­mi­co exe­cu­tou mais de 250 pes­so­as na área de Mos­sul em ape­nas dois di­as da se­ma­na pas­sa­da, e de­te­ve de­ze­nas de mi­lha­res pa­ra usar co­mo es­cu­dos hu­ma­nos.

Por ou­tro la­do, os jiha­dis­tas têm ata­ca­do as for­ças ira­qui­a­nas com car­ros-bom­ba con­du­zi­dos por sui­ci­das. Tam­bém têm usa­do ar­ti­lha­ria e mor­tei­ros pe­sa­dos.

O Pre­si­den­te fran­cês, Fran­çois Hol­lan­de, propôs on­tem que o fu­tu­ro cen­tro de ar­ma­ze­na­men­to de re­ser­vas do mu­seu do Lou­vre, que de­ve abrir em 2019, aco­lha tam­bém o pa­tri­mó­nio ame­a­ça­do no Ira­que e na Sí­ria.

“A mis­são prin­ci­pal do cen­tro de Lié­vin se­rá aco­lher as re­ser­vas do mu­seu do Lou­vre”, lo­ca­li­za­do em Pa­ris, mas de­ve­rá ter tam­bém “ou­tra vo­ca­ção li­ga­da a acon­te­ci­men­tos, dra­mas e tra­gé­di­as que ocorrem no mun­do e on­de há obras em pe­ri­go por cau­sa de ter­ro­ris­tas e por­que bár­ba­ros de­ci­di­ram des­truí­las”, so­bre­tu­do “as que se en­con­tram na Sí­ria e no Ira­que”, de­cla­rou Hol­lan­de, de­pois de ter re­ve­la­do a ma­que­ta do fu­tu­ro cen­tro.

Es­ta de­ci­são po­de­rá ser to­ma­da em De­zem­bro nu­ma con­fe­rên­cia in­ter­na­ci­o­nal so­bre a pre­ser­va­ção do Pa­tri­mó­nio em Pe­ri­go, a re­a­li­zar no Abu Dha­bi, que reu­ni­rá re­pre­sen­tan­tes de 40 Es­ta­dos, dis­se o Pre­si­den­te fran­cês.

Fran­çois Hol­lan­de anun­ci­ou a 20 de Se­tem­bro a cri­a­ção de um fun­do mun­di­al pa­ra sal­va­guar­da do pa­tri­mó­nio ame­a­ça­do, pe­ran­te uma au­di­ên­cia de me­ce­nas reu­ni­da em No­va Ior­que.

O che­fe do ser­vi­ço se­cre­to bri­tâ­ni­co, o MI5, An­drew Par­ker, aler­tou pa­ra o ris­co de ocor­re­rem aten­ta­dos ter­ro­ris­tas no Rei­no Uni­do. “Ha­ve­rá ata­ques ter­ro­ris­tas no país. O ní­vel de ame­a­ça é se­ve­ro e é mui­to pro­vá­vel que acon­te­ça”, dis­se Par­ker ao jor­nal bri­tâ­ni­co “Gu­ar­di­an”. É a pri­mei­ra vez na his­tó­ria que um che­fe do MI5 con­ce­de uma en­tre­vis­ta pa­ra um jor­nal. A en­tre­vis­ta com­ple­ta foi pu­bli­ca­da on­tem. Segundo Par­ker, o MI5 es­ti­ma que exis­tem cer­ca de 3 mil po­ten­ci­ais ex­tre­mis­tas no Rei­no Uni­do. Além dis­so, apon­ta que nos úl­ti­mos três anos, hou­ve 12 ten­ta­ti­vas de aten­ta­do frus­tra­das. “A ame­a­ça ter­ro­ris­ta no país é a mai­or que pre­sen­ci­ei em to­da a mi­nha vi­da”, dis­se An­drew Par­ker, que tra­ba­lha há 33 anos no MI5. Ape­sar da cres­cen­te pre­o­cu­pa­ção com a evo­lu­ção do ex­tre­mis­mo na Rei­no Uni­do, Par­ker acre­di­ta que o MI5 vai ser ca­paz de im­pe­dir a mai­o­ria das ten­ta­ti­vas de ata­que que po­dem ocor­rer no país. “Por con­ta dos in­ves­ti­men­tos fei­tos em ser­vi­ços de se­gu­ran­ça co­mo o nos­so, o Rei­no Uni­do tem bo­as de­fe­sas”, as­se­gu­rou o nú­me­ro um dos ser­vi­ços se­cre­tos bri­tâ­ni­cos.

AFP

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.