Gu­ter­res de­fen­de re­for­mas pa­ra di­na­mi­zar a ac­tu­a­ção

Jornal de Angola - - MUNDO -

O Se­cre­tá­rio-Ge­ral elei­to da Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das (ONU), An­tó­nio Gu­ter­res, dis­se que cons­ta do seu man­da­to uma re­for­ma dos ór­gãos das Na­ções Uni­das pa­ra que a co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal pos­sa re­cu­pe­rar a ca­pa­ci­da­de de so­lu­ci­o­nar con­fli­tos.

An­tó­nio Gu­ter­res, que vol­tou a abor­dar o as­sun­to à mar­gem da ci­mei­ra ibe­ro-ame­ri­ca­na, re­fe­riu que o Con­se­lho de Se­gu­ran­ça da ONU tam­bém es­tá su­jei­to a uma mu­dan­ça, co­mo de­fen­dem paí­ses co­mo o Bra­sil e Ale­ma­nha.

O no­vo Se­cre­tá­rio-Ge­ral da ONU en­tra em fun­ções a 1 de Ja­nei­ro de 2017 e até lá es­tá a de­sen­vol­ver uma sé­rie de con­tac­tos com fi­gu­ras de gran­de in­fluên­cia mun­di­al, ins­ti­tui­ções e or­ga­ni­za­ções de ca­rác­ter in­ter­na­ci­o­nal pa­ra es­ta­be­le­cer pon­tos for­tes e co­muns a ob­jec­ti­vos.

“As Na­ções Uni­das pre­ci­sam em mui­tos as­pec­tos de re­for­mas no sen­ti­do de se tor­nar mais efi­caz e uma ori­en­ta­ção que se­ja mais li­ga­da aos tem­pos de ho­je e não ao tem­po da sua for­ma­ção. E, co­mo dis­se Ko­fi An­nan, não ha­ve­rá uma re­for­ma das Na­ções Uni­das com­ple­ta en­quan­to o Con­se­lho de Se­gu­ran­ça não se re­for­mar”, dis­se o no­vo Se­cre­tá­rio-Ge­ral.

An­tó­nio Gu­ter­res acres­cen­tou que é evi­den­te que es­sa “é uma res­pon­sa­bi­li­da­de es­sen­ci­al dos Es­ta­dos-mem­bros, mas o pa­pel do Se­cre­tá­rio-Ge­ral de­ve ser o de pro­cu­rar fa­ci­li­tar o diá­lo­go pa­ra que se­ja pos­sí­vel avan­çar em um do­mí­nio que se tem ve­ri­fi­ca­do tão di­fí­cil nos úl­ti­mos tem­pos”.

O Bra­sil e a Ale­ma­nha en­ca­be­çam a lis­ta de paí­ses que in­sis­tem na re­for­ma do Con­se­lho de Se­gu­ran­ça, com a am­pli­a­ção do nú­me­ro de mem­bros per­ma­nen­tes. Es­ses paí­ses am­bi­ci­o­nam ocu­par um pos­to, tal co­mo o Ja­pão e Ín­dia.

A ideia de re­for­mas nos prin­ci­pais ór­gãos da ONU nun­ca avan­çou, de­vi­do ao blo­queio dos ac­tu­ais mem­bros per­ma­nen­tes, Es­ta­dos Uni­dos, Fran­ça, Grã Bre­ta­nha, Chi­na e Rús­sia. An­tó­nio Gu­ter­res re­fe­riu, a es­se pro­pó­si­to, que as “apre­ci­a­ções das gran­des po­tên­ci­as e de gru­pos im­por­tan­tes de paí­ses, uns em re­la­ção aos ou­tros, são pro­fun­da­men­te dis­fun­ci­o­nais”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.