Pi­lo­to Pau­lo Trin­da­de es­tá pró­xi­mo do tí­tu­lo

Jornal de Angola - - DESPORTO - AR­MIN­DO PE­REI­RA |

O pi­lo­to Pau­lo Trin­da­de, do Te­am PTRANS by Cre­ch Pe­que­nos e Tra­qui­nas, es­tá a um pas­so de con­quis­tar o seu pri­mei­ro tí­tu­lo no Cam­pe­o­na­to An­go­la­no de Rali Raid (CARR), edi­ção 2016, na clas­se Q (Qu­ad), a úni­ca ain­da por se de­fi­nir, que tem a úl­ti­ma jor­na­da agen­da­da pa­ra o pró­xi­mo dia 3 de De­zem­bro, na pro­vín­cia de Lu­an­da.

De 46 anos, Pau­lo Trin­da­de le­va uma van­ta­gem de 11 pon­tos pa­ra o seu opo­si­tor mais di­rec­to, Ha­mil­ton Gon­çal­ves (55 pon­tos), e pre­ci­sa ape­nas de pon­tu­ar pa­ra ga­ran­tir o cep­tro. Ti­a­go Mo­niz, ter­cei­ro da ta­be­la (40) já sem hi­pó­te­ses de con­quis­tar o tí­tu­lo, es­prei­ta o se­gun­do lu­gar, em ca­so de de­sis­tên­cia de Ha­mil­ton.

Em de­cla­ra­ções ao Jor­nal de Angola, Pau­lo Trin­da­de re­ve­lou que vai ser di­fí­cil con­ter a an­si­e­da­de, ape­sar da van­ta­gem fol­ga­da e da con­di­ção que pre­ci­sa pa­ra cha­mar a si o tí­tu­lo de cam­peão. Lu­tar pe­los lu­ga­res do pódio, de mo­do a “fe­char o ano em gran­de” é o seu ob­jec­ti­vo na der­ra­dei­ra pro­va.

Se­gun­do ain­da o pi­lo­to, es­ta é tam­bém uma for­ma de tor­nar a cor­ri­da mais ali­ci­an­te, den­tro do es­pí­ri­to de “fair play”, va­lo­res que nor­tei­am os des­por­tis­tas do CARR, ape­sar de “lu­ta­rem” to­dos com o ob­jec­ti­vo úni­co de ven­cer a com­pe­ti­ção. “O Ha­mil­ton Gon­çal­ves é um con­du­tor es­pec­ta­cu­lar. So­mos mui­to ami­gos. Na pro­va de Por­to Am­boim ele te­ve uma ava­ria, du­ran­te o pri­mei­ro pró­lo­go. Ori­en­tei o meu me­câ­ni­co que o aju­das­se a su­pe­rar o pro­ble­ma, e no se­gun­do dia ele pros­se­guiu. Se is­so não acon­te­ces­se eu já te­ria me sa­gra­do cam­peão, mas a ca­ma­ra­da­gem e so­li­da­ri­e­da­de es­tá aci­ma de tu­do. So­mos uma fa­mí­lia”, su­bli­nhou.

A com­pe­tir des­de 2013, Pau­lo Trin­da­de re­cor­da que en­tre 2014 e 2015 es­ta mís­ti­ca se per­deu um pou­co, mui­to por for­ça da re­ces­são que o país es­tá a atra­ves­sar. “Era ca­da um por si. Ha­via gru­pi­nhos, mas fe­liz­men­te ho­je a re­a­li­da­de é ou­tra. Tu­do vol­tou ao nor­mal. Fa­ce à cri­se, nos aju­da­mos uns aos ou­tros”.

Por ou­tro la­do, des­ta­cou o pa­pel im­por­tan­te que Pedro Cris­ti­na tem de­sem­pe­nha­do, na qua­li­da­de de pro­mo­tor do CARR, fa­ce às di­fi­cul­da­des de vá­ri­as or­dem que o des­por­to mo­to­ri­za­do tem atra­ves­sa­do.

“Um bem ha­ja mui­to gran­de ao Pedro Cris­ti­na. Den­tro das li­mi­ta­ções que exis­tem ac­tu­al­men­te, ele con­se­guiu pro­por­ci­o­nar aos pi­lo­tos pro­vas ex­ce­len­tes, on­de to­dos se di­ver­ti­ram. Sem­pre ani­ma­do, bem dis­pos­to, foi e tem si­do um in­cen­ti­var pa­ra to­dos nós”, su­bli­nhou.

Ca­so ve­nha a se sa­grar cam­peão, Pau­lo Trin­da­de quer de­di­car o tí­tu­lo ao seu fi­lho, o tam­bém pi­lo­to Pa­jó Trin­da­de, fo­ra das pis­tas há um ano por for­ça de um aci­den­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.