Na­ções Uni­das agra­de­cem ao Che­fe de Es­ta­do

Said Djin­nit re­al­ça im­por­tân­cia do en­con­tro na apli­ca­ção do Acor­do-Qua­dro pa­ra a Paz na RDC

Jornal de Angola - - POLÍTICA -

O en­vi­a­do es­pe­ci­al do Se­cre­tá­rio-Ge­ral das Na­ções Uni­das pa­ra os Gran­des La­gos, Said Djin­nit, agra­de­ceu, na quar­ta-fei­ra, ao Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, pe­lo su­ces­so da re­cen­te Ci­mei­ra so­bre a Re­gião, re­a­li­za­da em Lu­an­da.

Said Djin­nit, que fa­la­va em No­va Ior­que du­ran­te um en­con­tro do Con­se­lho de Se­gu­ran­ça da ONU, des­ta­cou que a reu­nião de Lu­an­da foi im­por­tan­te pa­ra ace­le­rar o pro­ces­so de im­ple­men­ta­ção do Acor­do-Qua­dro pa­ra a Paz na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go (RDC), que tem em vis­ta mais ac­ção dos Es­ta­dos da re­gião em prol da se­gu­ran­ça na­que­le país dos Gran­des La­gos.

O en­vi­a­do da ONU pa­ra os Gran­des La­gos foi um dos con­vi­da­dos da reu­nião so­bre o Me­ca­nis­mo Re­gi­o­nal de Su­per­vi­são do Acor­doQu­a­dro pa­ra a Paz na RDC, re­a­li­za­da re­cen­te­men­te na ca­pi­tal an­go­la­na e di­ri­gi­da pe­lo Che­fe de Es­ta­do Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos.

A re­gião afri­ca­na foi o te­ma do en­con­tro des­ta quar­ta-fei­ra no Con­se­lho de Se­gu­ran­ça, e Said Djin­nit mos­trou-se es­pe­ci­al­men­te pre­o­cu­pa­do com a pre­sen­ça de “for­ças ne­ga­ti­vas” no les­te da Re­pú­bli­ca De­mo­crá­to­ca do Con­go, on­de es­tão a ac­tu­ar ele­men­tos do Exér­ci­to de Li­ber­ta­ção do Po­vo do Su­dão (SPLA) na opo­si­ção, o que tem au­men­ta­do ain­da mais as ten­sões no ter­re­no.

Said Djin­nit dis­se ter no­ta­do pro­gres­sos na co­o­pe­ra­ção en­tre o Exér­ci­to con­go­lês e a Mis­são da ONU na RDC, ten­do de­fen­di­do, no en­tan­to, o re­for­ço da co­o­pe­ra­ção ju­di­ci­al nos Gran­des La­gos e a in­ves­ti­ga­ção de ca­sos de vi­o­la­ções de di­rei­tos hu­ma­nos, in­cluin­do a vi­o­lên­cia sexual. O en­vi­a­do da ONU dis­se que a re­gião pre­ci­sa de re­ce­ber mais apoio, des­de o Bu­run­di à Re­pú­bli­ca Cen­tro Afri­ca­na. Djin­nit vê es­te apoio co­mo cru­ci­al, uma vez que de­sa­fi­os li­ga­dos às elei­ções em vá­ri­os paí­ses e à se­gu­ran­ça con­ti­nu­am a res­sal­tar a fra­gi­li­da­de dos Gran­des La­gos.

Em­pe­nho na es­ta­bi­li­da­de

Os Che­fes de Es­ta­do e de Go­ver­no da Re­gião dos Gran­des La­gos e par­cei­ros in­ter­na­ci­o­nais re­co­men­da­ram aos che­fes dos Es­ta­dosMai­o­res das For­ças Ar­ma­das a re­a­li­za­ção de vi­si­tas às áre­as afec­ta­das no Les­te da Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go e de­sen­vol­ve­rem e for­ta­le­ce­rem as ac­ções con­tra os gru­pos ar­ma­dos. A re­co­men­da­ção vem ex­pres­sa no co­mu­ni­ca­do fi­nal da sé­ti­ma reu­nião de Al­to Ní­vel do Me­ca­nis­mo Re­gi­o­nal de Su­per­vi­são do Acor­do Qua­dro pa­ra a Paz, Se­gu­ran­ça e Co­o­pe­ra­ção na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go (RDC) e na Re­gião dos Gran­des La­gos, re­a­li­za­da na se­ma­na pas­sa­da, em Lu­an­da.

Os es­ta­dis­tas ape­la­ram aos paí­ses da Con­fe­rên­cia In­ter­na­ci­o­nal da Re­gião dos Gran­des La­gos (CIRGL) e da SADC pa­ra con­tri­buí­rem com tro­pas pa­ra a bri­ga­da de for­ça de in­ter­ven­ção da mis­são da ONU pa­ra o Con­go De­mo­crá­ti­co (MONUSCO), a fim de me­lho­rar as ope­ra­ções con­tra as for­ças ne­ga­ti­vas, em es­trei­ta con­sul­ta com o Go­ver­no. Os Che­fes de Es­ta­do e de Go­ver­no ori­en­ta­ram os ser­vi­ços de in­te­li­gên­cia e se­gu­ran­ça a for­ta­le­ce­rem os me­ca­nis­mos de co­or­de­na­ção e par­ti­lha de in­for­ma­ção exis­ten­tes.

Ori­en­ta­ram ain­da a im­ple­men­ta­ção do pro­gra­ma de re­pa­tri­a­men­to pa­ra o Ru­an­da das for­ças re­bel­des des­te país que ac­tu­am na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go, ten­do re­a­fir­ma­do que o acor­do qua­dro pa­ra a re­gião con­ti­nua a ser vi­tal pa­ra a es­ta­bi­li­da­de re­gi­o­nal. Re­co­nhe­ce­ram o pa­pel fun­da­men­tal de­sem­pe­nha­do pe­lo me­ca­nis­mo de ve­ri­fi­ca­ção con­jun­to, ex­pan­di­do co­mo fer­ra­men­ta de cri­a­ção de con­fi­an­ça na re­gião. Ob­ser­va­ram a ne­ces­si­da­de de iden­ti­fi­car os paí­ses, em­pre­sas e in­di­ví­du­os que ne­go­cei­am e be­ne­fi­ci­am das ac­ti­vi­da­des eco­nó­mi­cas ilí­ci­tas das for­ças ne­ga­ti­vas na re­gião, pa­ra apli­car san­ções atra­vés de me­ca­nis­mos ade­qua­dos.

O Pre­si­den­te Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, que pas­sa ago­ra a co­or­de­nar o Me­ca­nis­mo Re­gi­o­nal de Su­per­vi­são do Acor­do-Qua­dro, em re­gi­me de ro­ta­ti­vi­da­de anu­al, dei­xou um avi­so aos apo­lo­gis­tas da vi­o­lên­cia: “é im­por­tan­te que sai­bam que só em paz e com es­ta­bi­li­da­de é pos­sí­vel le­var-se a ca­bo um pro­ces­so elei­to­ral sé­rio, ho­nes­to e que se­ja cre­dí­vel tan­to pa­ra o po­vo que vai vo­tar co­mo pa­ra a co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal que vai tes­te­mu­nhar”.

Nu­ma alu­são ao acor­do re­cen­te­men­te as­si­na­do na RDC, que dá lu­gar ao pe­río­do de tran­si­ção até às elei­ções em 29 de Abril de 2018, dis­se ser “me­lhor es­pe­rar mais al­guns me­ses pa­ra que o fa­çam em con­di­ções de se­gu­ran­ça e tran­qui­li­da­de” do que tri­lhar “ca­mi­nhos in­cer­tos de vi­o­lên­cia, que se sa­be sem­pre co­mo e por­que co­me­çam, mas nun­ca quan­do ter­mi­nam”.

Par­ti­ci­pa­ram na sé­ti­ma reu­nião de Al­to Ní­vel do Me­ca­nis­mo Re­gi­o­nal de Su­per­vi­são do Acor­do Qua­dro pa­ra a Paz, Se­gu­ran­ça e Co­o­pe­ra­ção na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go e na Re­gião dos Gran­des La­gos, os Pre­si­den­tes de An­go­la, Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, co­mo an­fi­trião, da RDC, Jo­seph Ka­bi­la, do Con­go, De­nis Sas­sou Ngues­so, da Zâm­bia, Ed­gar Lun­gu, e do Cha­de, Idriss Deby, na qua­li­da­de de pre­si­den­te em exer­cí­cio da União Áfri­ca. Os Che­fes de Es­ta­do do Qué­nia, Bu­run­di, Su­a­zi­lân­dia, Ru­an­da, Áfri­ca do Sul, Su­dão, Tan­zâ­nia e Ugan­da fi­ze­ram-se re­pre­sen­tar.

FRAN­CIS­CO BER­NAR­DO

Di­plo­ma­ta ar­ge­li­no ao ser­vi­ço das Na­ções Uni­das foi um dos par­ti­ci­pan­tes na Ci­mei­ra que ava­li­ou o Acor­do-Qua­dro pa­ra a paz na RDC

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.