Uni­ver­si­da­des ile­gais vão ser en­cer­ra­das

Jornal de Angola - - POLÍTICA - ES­TÁ­CIO CAMASSETE |

O mi­nis­tro do En­si­no Su­pe­ri­or, Adão do Nas­ci­men­to, anun­ci­ou on­tem, no Hu­am­bo, o en­cer­ra­men­to, nos pró­xi­mos tem­pos, de to­das as uni­ver­si­da­des que ain­da fun­ci­o­nam de for­ma ile­gal ou que lec­ci­o­nam cur­sos não re­co­nhe­ci­dos.

Ao in­ter­vir na aber­tu­ra das III Jor­na­das Ci­en­tí­fi­cas do ISCEDHu­am­bo, que de­cor­rem até ho­je, sob o le­ma “Cul­tu­ra ins­ti­tu­ci­o­nal, ga­ran­tia pa­ra a qua­li­da­de de en­si­no na for­ma­ção de pro­fes­so­res”, Adão do Nas­ci­men­to dis­se que An­go­la pre­ten­de, no pró­xi­mo quinqué­nio, al­can­çar um nú­me­ro sa­tis­fa­tó­rio de do­cen­tes com grau aca­dé­mi­co de mes­tres e dou­to­res com agre­ga­ção pe­da­gó­gi­ca nas áre­as das Ci­ên­ci­as de Edu­ca­ção, Ar­tes e Le­tras, Ci­ên­ci­as So­ci­ais e Hu­ma­nas, En­ge­nha­ri­as e Tec­no­lo­gi­as e Ci­ên­ci­as Mé­di­cas e Tec­no­lo­gi­as de Saú­de.

“Al­gu­mas ve­zes há quem es­te­ja a brin­car de en­si­no su­pe­ri­or. Ima­gi­ne que um es­tu­dan­te es­te­ja ad­mi­ti­do no en­si­no su­pe­ri­or sem nun­ca ter fei­to exa­me de ad­mis­são e se o faz é um exa­me não sé­rio, não sa­be es­cre­ver e ter­mi­na o cur­so e se apre­sen­ta co­mo pro­fes­sor, quan­do de pro­fes­sor não tem na­da”, ex­pli­cou. O mi­nis­tro dis­se que o país pre­ci­sa de en­con­trar so­lu­ções pa­ra es­te ti­po de si­tu­a­ções, sa­ne­ar es­tes fe­nó­me­nos que per­tur­bam o de­sen­vol­vi­men­to do sub­sis­te­ma do en­si­no su­pe­ri­or e en­fra­que­cem as ins­ti­tui­ções, des­ca­rac­te­ri­zan­do a ac­ção for­ma­ti­va, e tra­vam os ob­jec­ti­vos es­tra­té­gi­cos tra­ça­dos. Pa­ra Adão do Nas­ci­men­to, o con­cei­to de uma ins­ti­tui­ção do en­si­no su­pe­ri­or in­se­ri­da no con­tex­to do sis­te­ma do en­si­no e edu­ca­ção e de­sen­vol­vi­men­to na­ci­o­nal de­ve com­pre­en­der dis­po­si­ti­vos edu­ca­ti­vos com re­cur­sos ma­te­ri­ais, fi­nan­cei­ros, cor­po do­cen­te com­pro­va­da­men­te qua­li­fi­ca­do, re­cur­sos hu­ma­nos, pro­gra­ma do en­si­no, ser or­ga­ni­za­da, com boa ges­tão, pos­suir con­di­ções pa­ra a re­a­li­za­ção de in­ves­ti­ga­ção ci­en­tí­fi­ca, ava­li­a­ção per­ma­nen­te da qua­li­da­de e ou­tros ele­men­tos.

O go­ver­na­dor do Hu­am­bo, João Bap­tis­ta Kus­su­mua, des­ta­cou que às ins­ti­tui­ções do En­si­no Su­pe­ri­or é co­bra­da uma con­tri­bui­ção fun­da­men­tal no de­sen­vol­vi­men­to hu­ma­no, ci­en­tí­fi­co e tec­no­ló­gi­co e no cons­tan­te es­tí­mu­lo à qua­li­da­de. A ac­ti­vi­da­de do­cen­te de­ve per­mi­tir for­mar com­pe­tên­ci­as que ha­bi­li­tem res­pon­der às cons­tan­tes mu­dan­ças da so­ci­e­da­de, uti­li­zar os avan­ços da ci­ên­cia e tec­no­lo­gia e da ino­va­ção, pa­ra dar res­pos­ta às ne­ces­si­da­des do de­sen­vol­vi­men­to dos in­di­ví­du­os, do meio en­vol­ven­te e do Es­ta­do.

“É im­por­tan­te que o pro­fes­sor pri­vi­le­gie a or­dem em vez da anar­quia, o pla­ne­a­men­to e não o im­pro­vi­so, a res­pon­sa­bi­li­da­de, no lu­gar da ba­na­li­za­ção, per­mi­tin­do que flo­res­ça a cul­tu­ra ins­ti­tu­ci­o­nal en­quan­to ga­ran­tia de qua­li­da­de de en­si­no na for­ma­ção de pro­fes­so­res”, fri­sou.

O di­rec­tor ge­ral do ISCED-Hu­am­bo, Má­rio Ro­dri­gues, dis­se que des­de a sua cri­a­ção, em 1982, co­mo nú­cleo do ISCED da Huí­la, a ins­ti­tui­ção pro­cu­rou sem­pre de­sen­vol­ver um pro­jec­to ino­va­dor a di­ver­sos ní­veis de in­ves­ti­ga­ção or­ga­ni­za­ci­o­nal e in­ter­ven­ção so­ci­al.

Ac­tu­al­men­te o ISCED-Hu­am­bo tem dez cur­sos de li­cen­ci­a­tu­ra: Bi­o­lo­gia, Fí­si­ca, Ge­o­gra­fia, His­tó­ria, Lin­guís­ti­ca In­gle­sa e Por­tu­gue­sa, Pe­da­go­gia, Psi­co­lo­gia, Ma­te­má­ti­ca e Quí­mi­ca e dois de mes­tra­do. Con­ta com uma po­pu­la­ção es­tu­dan­til de cer­ca de 2.600 es­tu­dan­tes, com mais de 90 pro­fes­so­res, en­tre an­go­la­nos, cu­ba­nos, por­tu­gue­ses e sul-afri­ca­nos.

Com a re­a­li­za­ção das III Jor­na­das Ci­en­tí­fi­cas, o ISCED-Hu­am­bo pre­ten­de re­flec­tir so­bre o pa­pel da cul­tu­ra ins­ti­tu­ci­o­nal pa­ra a qua­li­da­de do en­si­no na for­ma­ção de pro­fes­so­res, um te­ma con­si­de­ra­do per­ti­nen­te pa­ra re­vo­lu­ci­o­nar o En­si­no Su­pe­ri­or na pro­vín­cia e no país.

A “Cul­tu­ra ins­ti­tu­ci­o­nal”, “Pro­ces­so de ino­va­ção”, “For­ma­ção per­ma­nen­te dos pro­fes­so­res”, “Abor­da­gens psi­co-pe­da­gó­gi­cas e me­to­do­ló­gi­cas so­bre o pro­ces­so de en­si­no e apren­di­za­gem” e “Edu­ca­ção am­bi­en­tal” cons­tam dos te­mas em abor­da­gem.

Ain­da no qua­dro das III Jor­na­das Ci­en­tí­fi­cas do ISCED-Hu­am­bo, o mi­nis­tro do En­si­no Su­pe­ri­or inau­gu­rou 12 sa­las de au­las, fru­to da am­pli­a­ção da ins­ti­tui­ção, que se jun­tam a ou­tras 12, fa­zen­do um to­tal de 24 sa­las. O mi­nis­tro inau­gu­rou tam­bém qua­tro la­bo­ra­tó­ri­os, um de Bi­o­lo­gia, um de Fí­si­ca, um de Quí­mi­ca, um de Ge­o­gra­fia e uma no­va re­pro­gra­fia, pa­ra me­lho­rar as con­di­ções de tra­ba­lho da ins­ti­tui­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.