PRO­JEC­TO AGRÍ­CO­LA Qui­mi­nha já abas­te­ce gran­des su­per­fí­ci­es

Jornal de Angola - - DESPORTO - NILZA MAS­SAN­GO |

O pro­jec­to In­te­gra­do de De­sen­vol­vi­men­to Agrí­co­la e Re­gi­o­nal de Qui­mi­nha, mu­ni­cí­pio do Ico­lo e Ben­go, con­ti­nua a dar fru­tos e de boa qua­li­da­de. Nes­ta al­tu­ra es­tá em pers­pec­ti­va o iní­cio da co­lhei­ta do mi­lho, além da ba­ta­ta re­na e das hor­tí­co­las que já têm abas­te­ci­do al­guns mer­ca­dos e gran­des su­per­fí­ci­es de Lu­an­da.

O go­ver­na­dor de Lu­an­da, Hi­gi­no Car­nei­ro, e o mi­nis­tro da Agri­cul­tu­ra, Mar­cos Nhun­ga, vi­si­ta­ram on­tem o pro­jec­to agrí­co­la que nes­ta al­tu­ra pro­duz de­ze­nas de to­ne­la­das de pro­du­tos di­ver­sos, en­tre to­ma­te e pi­men­to, que são for­ne­ci­dos ao su­per­mer­ca­do Kan­dan­do, Ke­ro, Ali­men­ta An­go­la, mer­ca­do do Qui­ló­me­tro 30 e ou­tros.

O mi­nis­tro Mar­cos Nhun­ga acre­di­ta que com a con­clu­são da uni­da­de fa­bril que es­tá a ser mon­ta­da, prin­ci­pal­men­te no que se re­fe­re à pro­du­ção de so­ja que de­pois vai vi­a­bi­li­zar a pro­du­ção de ovos e fran­gos, o pro­jec­to po­de vir a mi­ti­gar os pro­ble­mas da pro­vín­cia de Lu­an­da, o mai­or cen­tro de con­su­mo no país.

Na Qui­mi­nha, fo­ram vi­si­ta­das as es­tu­fas de pro­du­ção de pi­men­to e to­ma­te. Os pro­du­tos co­lhi­dos são le­va­dos pa­ra a área da lo­gís­ti­ca, on­de é fei­ta a re­cep­ção, se­lec­ção, lim­pe­za e or­ga­ni­za­ção, um tra­ba­lho fei­to por jo­vens que en­con­tra­ram o pri­mei­ro em­pre­go com o pro­jec­to. Ju­re­ma de Oli­vei­ra e Jor­gi­na Luís são jo­vens, co­mo ou­tros que con­se­gui­ram o pri­mei­ro em­pre­go no pro­jec­to agrí­co­la da Qui­mi­nha. Pa­ra elas, co­lher, la­var e or­ga­ni­zar os pro­du­tos do cam­po é um tra­ba­lho que se apren­de ra­pi­da­men­te.

Pre­ços aces­sí­veis

Ao in­vés de se di­rec­ci­o­nar to­da a pro­du­ção do pro­jec­to pa­ra as gran­des su­per­fí­ci­es co­mer­ci­ais, fi­cou acor­da­do com os ges­to­res a cri­a­ção de um mer­ca­do, no Qui­ló­me­tro 30, se­gun­do o mi­nis­tro da Agri­cul­tu­ra, on­de os mu­ní­ci­pes pos­sam ad­qui­rir os pro­du­tos a pre­ços aces­sí­veis. “O que va­mos fa­zer ago­ra é cons­truir um mer­ca­do on­de a po­pu­la­ção pos­sa ad­qui­rir pro­du­tos de qua­li­da­de e até a pre­ços bai­xos”, ex­pli­cou.

A Ad­mi­nis­tra­ção Mu­ni­ci­pal do Ico­lo e Ben­go fi­cou tam­bém com o com­pro­mis­so de cri­ar um mer­ca­do pa­ra re­ce­ber os pro­du­tos do pro­jec­to e dar a pos­si­bi­li­da­de aos mu­ní­ci­pes e ou­tros de ad­qui­ri­rem a pre­ço aces­sí­vel.

Fa­mí­li­as alo­ja­das

O go­ver­na­dor de Lu­an­da in­for­mou que até Maio do pró­xi­mo ano o pro­jec­to In­te­gra­do de De­sen­vol­vi­men­to Agrí­co­la da Qui­mi­nha vai es­tar com­ple­to com as 300 fa­mí­li­as alo­ja­das. “Ho­je de­ci­di­mos fa­zer uma en­tra­da de 30 fa­mí­li­as por mês, ou se­ja, até Maio do pró­xi­mo ano o pro­jec­to vai es­tar com­ple­to com to­das as fa­mí­li­as ins­ta­la­das”, re­al­çou o go­ver­na­dor.

Hi­gi­no Car­nei­ro ex­pli­cou que os cri­té­ri­os es­tão de­fi­ni­dos e que vai dar pri­o­ri­da­de à ju­ven­tu­de co­mo for­ça mo­triz do pro­jec­to pa­ra as­se­gu­rar a sua con­ti­nui­da­de e a ou­tra par­te aos que já tra­ba­lha­vam no lo­cal e que fo­ram re­ti­ra­dos por for­ça da im­ple­men­ta­ção do pro­jec­to.

O cen­tro lo­gís­ti­co vai pas­sar a com­prar a pro­du­ção das 300 fa­mí­li­as ins­ta­la­das e que as mes­mas vão ter um sub­sí­dio men­sal de ma­nei­ra a ga­ran­tir al­gum sus­ten­to, por­que as cul­tu­ras só são ven­di­das de­pois de pro­du­zi­das.

O go­ver­na­dor vi­si­tou tam­bém a Al­deia So­lar, um pro­jec­to com 500 re­si­dên­ci­as que até ago­ra es­tão de­sa­bi­ta­das. Hi­gi­no Car­nei­ro ga­ran­tiu que exis­te uma em­pre­sa que faz a ma­nu­ten­ção das mes­mas e que as fa­mí­li­as já es­tão ca­das­tra­das. O atra­so na en­tre­ga das ca­sas es­tá as­so­ci­a­do à in­ten­ção de en­vol­ver ou en­qua­drar as mes­mas fa­mí­li­as no pro­ces­so pro­du­ti­vo.

O Go­ver­no vai agra­var a ta­xa de im­por­ta­ção de car­ne pa­ra in­cen­ti­var o au­men­to da pro­du­ção na­ci­o­nal. Da­dos dis­po­ní­veis in­di­cam que, anu­al­men­te, o país gas­ta cer­ca de mil mi­lhões de dó­la­res com a im­por­ta­ção de car­ne. Com o agra­va­men­to da ta­xa de im­por­ta­ção de car­ne, o país vai pou­par du­zen­tos mi­lhões de dó­la­res por ano. Pa­ra o pre­si­den­te da As­so­ci­a­ção In­dus­tri­al de An­go­la (AIA), Jo­sé Se­ve­ri­no, os im­por­ta­do­res de car­ne po­dem uti­li­zar os re­cur­sos fi­nan­cei­ros que usam na im­por­ta­ção pa­ra fo­men­tar a pro­du­ção in­ter­na.

De­zas­seis no­vas fá­bri­cas vão ser ins­ta­la­das na Zo­na Eco­nó­mi­ca Es­pe­ci­al (ZEE) Lu­an­da-Ben­go. A in­for­ma­ção foi re­ve­la­da à RNA pe­lo di­rec­tor de ope­ra­ções da ZEE Lu­an­da-Ben­go, Sa­rai­va Bap­tis­ta, que ex­pli­cou que no úl­ti­mo tri­mes­tre des­te ano fo­ram con­ce­di­dos mais de seis lo­tes de ter­re­no pa­ra a ins­ta­la­ção des­sas no­vas in­dús­tri­as. Uma das fá­bri­cas vai trans­for­mar re­sí­du­os de pe­tró­leo.

PAU­LO MULAZA

Go­ver­na­dor pro­vin­ci­al de Lu­an­da foi on­tem ve­ri­fi­car os ní­veis de pro­du­ção na Qui­mi­nha

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.