Mi­nis­tro na me­sa-re­don­da so­bre po­li­ci­a­men­to glo­bal

Jornal de Angola - - POLÍTICA -

O mi­nis­tro do In­te­ri­or, Ân­ge­lo de Bar­ros Vei­ga Ta­va­res, par­ti­ci­pou, no do­min­go, na ci­da­de de Bali, In­do­né­sia, nu­ma me­sa-re­don­da de po­li­ci­a­men­to glo­bal fu­tu­ro, à mar­gem da 85.ª Sessão da As­sem­bleia Ge­ral da Or­ga­ni­za­ção In­ter­na­ci­o­nal de Po­lí­cia Cri­mi­nal (Interpol), aber­ta on­tem.

O even­to de­cor­reu sob a égi­de da mai­or em­pre­sa de tec­no­lo­gi­as da Chi­na, Hu­awei Lda e te­ve co­mo ob­jec­ti­vo a de­mons­tra­ção de mei­os e téc­ni­cas pa­ra o au­men­to da efi­cá­cia na pres­ta­ção de ser­vi­ços que per­mi­tam um po­li­ci­a­men­to de qua­li­da­de na pre­ven­ção e com­ba­te ao cri­me or­ga­ni­za­do, in­cluin­do os cri­mes in­for­má­ti­cos.

Em Bali es­tão mais de dois mil de­le­ga­dos de 160 paí­ses, mem­bros da Interpol. Além de téc­ni­co-po­li­ci­ais, o en­con­tro, que ter­mi­na quin­ta-fei­ra, ser­ve pa­ra re­no­va­ção de man­da­tos do pre­si­den­te da Interpol, vi­ce-pre­si­den­te pa­ra a Eu­ro­pa, vo­gais pa­ra a Amé­ri­ca e a Eu­ro­pa e a elei­ção de se­te mem­bros pa­ra a Co­mis­são de Con­tro­lo de Fi­chei­ros, que se res­pon­sa­bi­li­za pe­lo pro­ces­sa­men­to de da­dos pes­so­ais e pe­la pu­bli­ca­ção dos man­da­dos de cap­tu­ra in­ter­na­ci­o­nal.

An­go­la apre­sen­tou a can­di­da­tu­ra de um ofi­ci­al sé­ni­or do Ser­vi­ço de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal, pa­ra pre­en­cher uma das va­gas na Co­mis­são de Fi­chei­ros. A Interpol é uma or­ga­ni­za­ção in­ter­na­ci­o­nal de Po­lí­cia que, atra­vés da co­o­pe­ra­ção in­ter­po­li­ci­al, de­sen­vol­ve ac­ções pa­ra a apli­ca­ção da lei e lo­ca­li­za­ção de cri­mi­no­sos, in­ci­din­do a sua ac­ção em áre­as-cha­ve no com­ba­te ao cri­me com des­ta­que pa­ra o ter­ro­ris­mo, a la­va­gem de di­nhei­ro, o cri­me or­ga­ni­za­do, o trá­fi­co de dro­gas e de se­res hu­ma­nos, en­tre ou­tros.

A Interpol tem186 mem­bros e é uma agên­cia in­ter­na­ci­o­nal de Po­lí­cia que aju­da ou­tras agên­ci­as de apli­ca­ção da lei a lo­ca­li­zar cri­mi­no­sos que ope­ram em di­fe­ren­tes paí­ses. A ba­se de da­dos da or­ga­ni­za­ção, os pro­to­co­los de co­mu­ni­ca­ção e os aler­tas in­ter­na­ci­o­nais são pe­ças vi­tais no com­ba­te ao cri­me in­ter­na­ci­o­nal.

A agên­cia es­tá fo­ca­da em áre­as­cha­ve do cri­me co­mo o ter­ro­ris­mo, abu­so se­xu­al de cri­an­ças e por­no­gra­fia in­fan­til, cri­me or­ga­ni­za­do, fu­gi­ti­vos in­ter­na­ci­o­nais, cri­mes ci­ber­né­ti­cos, in­cluin­do rou­bo de iden­ti­da­de e de in­for­ma­ções fi­nan­cei­ras. Tam­bém mo­ni­to­ra e com­ba­te o trá­fi­co de se­res hu­ma­nos, o con­tra­ban­do e ven­da de dro­gas ile­gais, la­va­gem de di­nhei­ro, cri­me am­bi­en­tal, frau­de e cri­mes con­tra a pro­pri­e­da­de in­te­lec­tu­al.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.