Edu­ca­ção re­ce­be mi­lha­res de pro­fes­so­res

Mi­nis­tro cons­ta­ta de­sen­vol­vi­men­to do sec­tor na pro­vín­cia do Na­mi­be

Jornal de Angola - - SOCIEDADE -

O sec­tor da Edu­ca­ção vai re­ce­ber, no pró­xi­mo ano lec­ti­vo, cer­ca de no­ve mil no­vos pro­fes­so­res pa­ra re­for­çar o en­si­no primário e se­cun­dá­rio em to­do o país.

A in­for­ma­ção foi da­da on­tem pe­lo mi­nis­tro da Edu­ca­ção, Pin­da Si­mão, que efec­tua uma vi­si­ta à pro­vín­cia do Na­mi­be.

Em de­cla­ra­ções à im­pren­sa na ci­da­de de Mo­çâ­me­des, Pin­da Si­mão dis­se que o sec­tor que di­ri­ge aguar­da por um des­pa­cho con­jun­to en­tre os Mi­nis­té­ri­os das Fi­nan­ças, Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio e da As­sis­tên­cia e Rein­ser­ção So­ci­al, pa­ra dar ini­cio, em 2017, ao pro­ces­so de se­lec­ção de no­vos pro­fes­so­res.

O mi­nis­tro da Edu­ca­ção es­tá no Na­mi­be pa­ra uma vi­si­ta de qua­tro di­as pa­ra se in­tei­rar do an­da­men­to do projecto “Car­ta”, lan­ça­do na­que­la pro­vín­cia, além de ins­pec­ci­o­nar o tra­ba­lho que tem si­do de­sen­vol­vi­do no sec­tor que di­ri­ge.

No Na­mi­be, o mi­nis­tro da Edu­ca­ção vai tam­bém apoi­ar e en­co­ra­jar as pes­so­as que tu­do têm fei­to pa­ra es­ti­mu­lar a apren­di­za­gem das cri­an­ças e jo­vens.

Pin­da Si­mão in­di­cou que vai in­for­mar-se jun­to da de­le­ga­ção pro­vin­ci­al do pe­lou­ro, so­bre o re­sul­ta­do do es­tu­do que os es­pe­ci­a­lis­tas da As­so­ci­a­ção de De­sen­vol­vi­men­to de Edu­ca­ção em Áfri­ca efec­tu­a­ram no Na­mi­be acer­ca do sis­te­ma de en­si­no no país.

“De for­ma ge­ral, vou pa­ra cons­tar a evo­lu­ção dos tra­ba­lhos que es­tão a ser de­sen­vol­vi­dos no sec­tor da Edu­ca­ção na pro­vín­cia e in­tei­rar­me da lei­tu­ra fei­ta pe­las au­to­ri­da­des em re­la­ção ao re­sul­ta­do des­ta mis­são”, dis­se o mi­nis­tro.

Du­ran­te a sua per­ma­nên­cia na pro­vín­cia, o mi­nis­tro da Edu­ca­ção man­tém um en­con­tro com os alu­nos que em tem­pos en­vi­a­ram uma men­sa­gem en­co­ra­ja­do­ra pe­lo tra­ba­lho que es­tá a ser de­sen­vol­vi­do no sec­tor da Edu­ca­ção a ní­vel cen­tral. “Que­re­mos re­co­nhe­cer a con­tri­bui­ção que os pró­pri­os alu­nos vêm dan­do ao pro­ces­so de apren­di­za­gem, por­que o sis­te­ma cria as con­di­ções, mas é pre­ci­so que os be­ne­fi­ciá­ri­os tam­bém as­su­mam o seu pa­pel ou a sua res­pon­sa­bi­li­da­de”, ar­gu­men­tou. Se­gun­do o go­ver­nan­te, tam­bém vai ex­pres­sar os seus agra­de­ci­men­tos aos en­car­re­ga­dos de edu­ca­ção que em mui­tas oca­siões têm apoi­a­do o go­ver­no do Na­mi­be e a di­rec­ção da Edu­ca­ção na ges­tão das ins­ti­tui­ções es­co­la­res. “Em mui­tos ca­sos, os pais têm as­su­mi­do a res­pon­sa­bi­li­da­de de fi­nan­ci­ar al­guns com­po­nen­tes pa­ra a con­ser­va­ção e pro­tec­ção das ins­ti­tui­ções es­co­la­res e, por is­so, tam­bém va­mos es­tar com eles pa­ra agra­de­cer e en­co­ra­já-los a man­te­rem es­ta pos­tu­ra”, su­bli­nhou.

PAU­LO MULAZA

In­gres­so de no­vos pro­fes­so­res vai per­mi­tir a in­clu­são de mais cri­an­ças no sis­te­ma de edu­ca­ção em An­go­la e a re­du­ção do anal­fa­be­tis­mo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.