An­go­la pre­ten­de res­pon­sa­bi­li­da­de co­mum

Jornal de Angola - - SOCIEDADE -

O mun­do es­tá reu­ni­do em Mar­ra­que­xe pa­ra pôr em prá­ti­ca o acor­do de Pa­ris. An­go­la ma­ni­fes­tou on­tem re­go­zi­jo pe­la en­tra­da em vi­gor, a 4 des­te mês, do No­vo Acor­do Mun­di­al so­bre Al­te­ra­ções Cli­má­ti­cas, adop­ta­do em De­zem­bro úl­ti­mo em Fran­ça, que li­mi­ta o au­men­to da tem­pe­ra­tu­ra glo­bal até 2°C.

Na XXII Con­fe­rên­cia das Par­tes (COP22) da Con­ven­ção-Qu­a­dro das Na­ções Uni­das so­bre Al­te­ra­ções Cli­má­ti­cas, que acon­te­ce des­de on­tem, em Mar­ra­que­xe, An­go­la es­tá pre­sen­te com uma de­le­ga­ção de ti­tu­la­res e res­pon­sá­veis de de­par­ta­men­tos mi­nis­te­ri­ais, bem co­mo de em­pre­sas pú­bli­cas, de­pu­ta­dos e so­ci­e­da­de ci­vil.

O Mi­nis­té­rio do Am­bi­en­te, em co­mu­ni­ca­do, lem­bra que o Acor­do de Pa­ris li­mi­ta o au­men­to da tem­pe­ra­tu­ra glo­bal até 2°C aci­ma dos ní­veis pré-in­dus­tri­ais, mas com o com­pro­mis­so de pros­se­guir es­for­ços ten­den­tes a atin­gir 1,5°C.

O Mi­nis­té­rio do Am­bi­en­te re­fe­re que An­go­la, por ter par­ti­ci­pa­do ac­ti­va­men­te na ela­bo­ra­ção e adop­ção des­te do­cu­men­to, en­quan­to par­te da con­ven­ção, li­de­ran­do o gru­po de Paí­ses Me­nos Avan­ça­dos “LDC”, re­a­fir­ma a po­si­ção afri­ca­na de to­dos as­su­mi­rem res­pon­sa­bi­li­da­des co­muns, mas di­fe­ren­ci­a­das, pa­ra a vi­gên­cia de uma eco­no­mia de bai­xa emis­são de ga­ses de efei­to es­tu­fa e de sus­ten­ta­bi­li­da­de. An­go­la, por ou­tro la­do, ma­ni­fes­ta-se or­gu­lho­sa pe­lo ár­duo tra­ba­lho que re­sul­tou no his­tó­ri­co e No­vo Acor­do Mun­di­al. Fe­li­ci­ta tam­bém o se­cre­tá­rio-ge­ral das Na­ções Uni­das e as par­tes, re­cor­dan­do a po­si­ção an­go­la­na de con­ti­nui­da­de ao com­ba­te à fo­me e à po­bre­za, ao anal­fa­be­tis­mo, as­sim co­mo à adap­ta­ção e re­si­li­ên­cia, pa­ra que as po­pu­la­ções mais vul­ne­rá­veis às al­te­ra­ções cli­má­ti­cas pos­sam vi­ver e olhar pa­ra o fu­tu­ro com mai­or se­gu­ran­ça.

Re­pre­sen­tan­tes de to­dos os paí­ses do mun­do es­tão reu­ni­dos des­de on­tem em Mar­ra­que­xe, pa­ra pôr em prá­ti­ca o his­tó­ri­co acor­do de Pa­ris so­bre o cli­ma, que tem o am­bi­ci­o­so ob­jec­ti­vo de tra­var o aque­ci­men­to glo­bal.

Par­ti­ci­pan­tes

A Con­fe­rên­cia das Na­ções Uni­das so­bre Mu­dan­ças Cli­má­ti­cas (COP22) reú­ne mais de 15 mil par­ti­ci­pan­tes, en­tre po­lí­ti­cos, ci­en­tis­tas, re­pre­sen­tan­tes de ONG e de em­pre­sas. A se­gun­da se­ma­na da con­fe­rên­cia, que ter­mi­na no dia 18 de No­vem­bro, con­ta com a pre­sen­ça de 60 Che­fes de Es­ta­do e de Go­ver­no.

Na COP22 de Mar­ra­que­xe, os ne­go­ci­a­do­res pre­ci­sam de en­trar em acor­do so­bre uma sé­rie de pro­ces­sos que tor­nem pos­sí­vel pôr em prá­ti­ca o acor­do de Pa­ris.

O acor­do de Pa­ris, adop­ta­do no fim de 2015, foi as­si­na­do por 192 paí­ses e ra­ti­fi­ca­do por 100 paí­ses, que re­pre­sen­tam cer­ca de 70 por cen­to das emis­sões mun­di­ais de gás car­bó­ni­co e é um ca­mi­nho aber­to pa­ra tra­var as emis­sões de ga­ses.

RAFAEL TATI

A tem­pe­ra­tu­ra glo­bal po­de fi­car li­mi­ta­da com a en­tra­da em vi­gor do acor­do so­bre o cli­ma

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.