Li­ver­po­ol ce­le­bra co­man­do iso­la­do

Jornal de Angola - - DESPORTO -

O Li­ver­po­ol iso­lou-se do­min­go na li­de­ran­ça da li­ga inglesa. A for­ma­ção de Jur­gen Klopp apro­vei­tou da me­lhor for­ma os em­pa­tes do Man­ches­ter City e do Ar­se­nal pa­ra se dis­tan­ci­ar dos ri­vais e su­bir so­zi­nho ao pri­mei­ro lu­gar da clas­si­fi­ca­ção.

Pa­ra ce­le­brar a li­de­ran­ça iso­la­da, os Reds go­le­a­ram (6-1) o Wat­ford em An­fi­eld Ro­ad. Foi um fes­ti­val de futebol ofen­si­vo, opor­tu­ni­da­des de pe­ri­go e go­los. An­tes da meia ho­ra, por exem­plo, o Li­ver­po­ol já ga­nha­va por 2-0: Ma­né abriu o mar­ca­dor após as­sis­tên­cia de Mil­ner e Phi­lip­pe Cou­ti­nho mar­cou após o pas­se de Ro­ber­to Fir­mi­no.

Lo­go a se­guir, o guar­da-re­des Go­mes le­si­o­nou-se, te­ve de ha­ver subs­ti­tui­ção na ba­li­za do Wat­ford e foi já com Pan­ti­li­mon na ba­li­za que Em­re Can fez o ter­cei­ro go­lo, es­ta­be­le­cen­do o re­sul­ta­do ao in­ter­va­lo.

Na se­gun­da par­te, no­va­men­te no es­pa­ço de três mi­nu­tos, en­tre os 57 e os 60, Ro­ber­to Fir­mi­no e Ma­né fi­ze­ram o 5-0, an­tes de Jan­ma­at re­du­zir a des­van­ta­gem pa­ra o Wat­ford. Um go­lo que ir­ri­tou pro­fun­da­men­te Jur­gen Klo­op. An­tes dos 90 mi­nu­tos, po­rém, Wij­nal­dum fez o 6-1 fi­nal, na sequên­cia de mais um can­to. Pe­lo meio, o Li­ver­po­ol ain­da man­dou du­as bo­las aos fer­ros.

Hou­ve gran­de jo­go no Emi­ra­tes Sta­dium, en­tre dois his­tó­ri­cos e cró­ni­cos ri­vais. No fi­nal do en­con­tro, o em­pa­te en­tre o Ar­se­nal e o Tot­te­nham (1-1) aca­ba por se acei­tar. O des­fe­cho pe­na­li­za o Ar­se­nal, , que não só jo­ga­va em ca­sa co­mo po­dia iso­lar-se na li­de­ran­ça da li­ga inglesa em ca­so de vi­tó­ria, apro­vei­tan­do o em­pa­te do Man­ches­ter City no sá­ba­do. No en­tan­to, es­te re­sul­ta­do não só não lhe per­mi­te iso­lar-se co­mo nem se­quer lhe per­mi­te ser lí­der. O Ar­se­nal en­trou me­lhor e cri­ou as pri­mei­ras oca­siões de pe­ri­go, atra­vés de Iwo­bi, pri­mei­ro, e de Wal­cott, lo­go a se­guir, que fez a bo­la acer­tar com es­tron­do na bar­ra.

Por is­so, foi sem sur­pre­sa que a for­ma­ção de Arsè­ne Wen­ger che­gou ao go­lo. Nes­te ca­so, um au­to­go­lo. Ozil fez o cru­za­men­to à pro­cu­ra de San­chez e Kos­ci­elny, mas foi Wim­mer que en­tre os dois ad­ver­sá­ri­os che­gou à bo­la, des­vi­an­doa de ca­be­ça pa­ra a pró­pria ba­li­za.

O go­lo che­gou aos 42 mi­nu­tos e a van­ta­gem não du­rou mui­to tem­po, já que lo­go no iní­cio do se­gun­do tem­po, aos 51 mi­nu­tos, Kos­ci­elny fez fal­ta den­tro da área so­bre Dem­be­lé, pro­vo­can­do a gran­de pe­na­li­da­de que Har­ry Ka­ne mar­cou no re­gres­so à equi­pa.

O pon­ta-de-lan­ça es­te­ve le­si­o­na­do nos úl­ti­mos jo­gos, sen­do que o Tot­te­nham sem ele em cam­po fez 90 re­ma­tes e apon­tou ape­nas seis go­los. La­pi­dar.

De­pois do em­pa­te, o jo­go te­ve vá­ri­as opor­tu­ni­da­des jun­to das du­as ba­li­zas, com re­ma­tes de Bel­le­rin, Erik­sen, Ka­ne e Gi­roud, mas sem con­cre­ti­za­ção de go­los.

AFP

Equi­pa co­man­da­da pe­lo ale­mão Jur­gen Klopp junta qua­li­da­de de jo­go ao do­mí­nio da pro­va

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.