Nor­ber­to dos San­tos ra­di­o­gra­fa tra­ba­lhos de im­pac­to so­ci­al

Jornal de Angola - - PROVÍNCIAS - ADRI­A­NO SAPALO

As prin­ci­pais obras em cur­so na se­de da pro­vín­cia de Ma­lan­je, co­mo re­al­ce pa­ra a Es­ta­ção de Tra­ta­men­to de Água da Gui­né, 300 fo­gos da Vo­an­vo­a­la, es­co­la do Ri­ton­do e cen­tro de saú­de do mes­mo bair­ro fo­ram ra­di­o­gra­fa­das pe­lo go­ver­na­dor pro­vin­ci­al, du­ran­te uma vi­si­ta de cam­po.

Nor­ber­to dos San­tos “Kwa­ta Ka­nawa” ma­ni­fes­tou-se sa­tis­fei­to com o an­da­men­to das obras, con­si­de­rou po­si­ti­vo o tra­ba­lho que es­tá a ser de­sen­vol­vi­do, com des­ta­que pa­ra as li­ga­ções do­mi­ci­li­a­res que es­tão a ser exe­cu­ta­das no bair­ro da Car­rei­ra de Ti­ro.

Na ca­pi­tal da pro­vín­cia es­tá em cur­so no bair­ro Cam­po de Avi­a­ção ac­ções que vi­sam a re­po­si­ção da ener­gia eléc­tri­ca e água po­tá­vel pa­ra as­po­pu­la­ções.

No ter­re­no, cons­ta­ta-se, já se en­con­tram os mei­os co­mo Pos­tos de Trans­for­ma­ção e equi­pa­men­tos pa­ra o ma­nu­se­a­men­to da água.

A fu­tu­ra fá­bri­ca pa­ra a me­ren­da es­co­lar, cu­jas obras es­tão em cur­so, me­re­ceu igual­men­te a vi­si­ta do go­ver­na­dor pro­vin­ci­al.

A ideia é a in­dús­tria se­ja ex­plo­ra­da por uma in­di­vi­du­a­li­da­de com ido­nei­da­de re­co­nhe­ci­da, pa­ra per­mi­tir que a po­pu­la­ção pos­sa ad­qui­rir o pão e lei­te pa­ra ali­men­tar as fa­mí­li­as. A fá­bri­ca vai for­ne­cer pro­du­tos aos mu­ni­cí­pi­os de Can­gan­da­la e Ca­cu­la­ma.

Na jor­na­da de cam­po, Kwa­ta Ka­nawa vi­si­tou igual­men­te o bair­ro da Vo­an­vo­a­la, on­de es­tão a ser cons­truí­dos 300 fo­gos, cu­jas obras se en­con­tram a um rit­mo ace­le­ra­do.

Tam­bém me­re­ce­ram aten­ção do go­ver­na­dor pro­vin­ci­al a fu­tu­ra Es­co­la de En­si­no Es­pe­ci­al e o cen­tro de saú­de no bair­ro do Ri­ton­do, em fa­se con­clu­si­va.

A ga­ran­tia foi da­da on­tem pe­lo ad­mi­nis­tra­dor mu­ni­ci­pal, Jo­a­quim de Al­mei­da Jú­ni­or, que dis­se ao Jor­nal de An­go­la es­ta­rem em cur­so con­tac­tos pa­ra atrair in­ves­ti­do­res na­ci­o­nais e es­tran­gei­ros, pa­ra a con­cre­ti­za­ção do pro­gra­ma.

O ad­mi­nis­tra­dor mu­ni­ci­pal de Por­to Am­boim dis­se que a re­gião foi, du­ran­te o sis­te­ma co­lo­ni­al por­tu­guês, uma po­tên­cia des­ta cul­tu­ra e pre­ten­de res­ga­tar es­te fei­to. “O mu­ni­cí­pio de Por­to Am­boim foi, du­ran­te a épo­ca co­lo­ni­al, uma po­tên­cia na cul­tu­ra do al­go­dão, ten­do em con­ta os so­los fér­teis e con­di­ções cli­má­ti­cas fa­vo­rá­veis ao de­sen­vol­vi­men­to da cul­tu­ra, por is­so es­ta­mos a man­ter con­tac­tos com em­pre­sá­ri­os na­ci­o­nais e es­tran­gei­ros pa­ra que pos­sam in­ves­tir no nos­so mu­ni­cí­pio”, as­se­gu­rou.

Pro­jec­tos em cur­so

Jo­a­quim de Al­mei­da Jú­ni­or ga­ran­tiu que as ter­ras es­tão dis­po­ní­veis, bem co­mo sis­te­mas de re­ga­dio, atra­vés dos ri­os Qu­e­ve, Lon­ga e Nhia. “Te­mos ter­ras ará­veis e ri­os de gran­de cau­dal, que per­mi­tem o re­ga­dio inin­ter­rup­to, uma vez que o al­go­do­ei­ro pre­ci­sa de bas­tan­te água, pa­ra cres­cer e pro­du­zir”, fri­sou.

O ad­mi­nis­tra­dor mu­ni­ci­pal de Por­to Am­boi­ma­van­çou que a im­plan­ta­ção do pro­gra­ma da cul­tu­ra do al­go­dão é aguar­da­da com gran­de ex­pec­ta­ti­va nas co­mu­ni­da­des, pe­los be­ne­fí­ci­os eco­nó­mi­cos, fi­nan­cei­ros e so­ci­ais, bem co­mo pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to da re­gião.

“O pro­gra­ma de re­lan­ça­men­to da cul­tu­ra do al­go­dão é um im­pe­ra­ti­vo que po­de tra­zer mui­tos be­ne­fí­ci­os, so­bre­tu­do os de or­dem eco­nó­mi­ca e so­ci­al pa­ra as fa­mí­li­as, por­que vai re­ti­rar do de­sem­pre­go mui­tas pes­so­as, que aguar­dam por uma opor­tu­ni­da­de de in­gres­so nu­ma ac­ti­vi­da­de so­ci­al­men­te útil”, dis­se.

Lan­çou um ape­lo aos em­pre­sá­ri­os na­ci­o­nais e es­tran­gei­ros com ca­pa­ci­da­de fi­nan­cei­ra pa­ra in­ves­ti­rem em Por­to Am­boim e ga­ran­tiu apoio em ter­mos de dis­po­ni­bi­li­za­ção de ter­ras e ou­tros mei­os ne­ces­sá­ri­os. Dos pro­jec­tos em cur­so pa­ra o cor­ren­te ano, Jo­a­quim de Al­mei­da Jú­ni­or des­ta­cou a exe­cu­ção das ac­ções de ta­pa bu­ra­cos nas prin­ci­pais ar­té­ri­as da ci­da­de, con­clu­são da va­la de dre­na­gem e con­ti­nui­da­de do pro­ces­so de me­lho­ra­men­to do sa­ne­a­men­to bá­si­co, bem co­mo apoio às mu­lhe­res que são che­fes de fa­mí­li­as.

Qu­an­to aos de­sa­fi­os pa­ra os pró­xi­mos tem­pos, o ad­mi­nis­tra­dor mu­ni­ci­pal de Por­to Am­boim anun­ci­ou a cons­tru­ção da nova con­du­ta de água, re­po­si­ção da ilu­mi­na­ção pú­bli­ca, for­ma­ção de jo­vens na com­po­nen­te de me­ta­lo­me­câ­ni­ca, pa­ra su­prir as ne­ces­si­da­des de em­pre­go e a cons­tru­ção de re­pre­sas de água pa­ra apoi­ar a agri­cul­tu­ra fa­mi­li­ar.

Qu­an­to às prin­ci­pais pre­o­cu­pa­ções du­ran­te o seu man­da­to, que já con­ta se­te me­ses, Jo­a­quim de Al­mei­da Jú­ni­or apon­tou o de­sem­pre­go no seio dos jo­vens.

“Te­mos na ci­da­de de Por­to Am­boim em­pre­sas do ra­mo me­ta­lo­me­cá­ni­co, co­mo a Pa­e­nal, He­e­re­ma Group e tan­tas ou­tras que em­pre­ga­vam mui­tos jo­vens, mas, com a cri­se, elas es­tão a des­pe­dir tra­ba­lha­do­res, o que nos pre­o­cu­pa, uma vez que o de­sem­pre­go ge­ra cri­mi­na­li­da­de”, con­cluiu o ad­mi­nis­tra­dor mu­ni­ci­pal de Por­to Am­boim.

FRAN­CIS­CO BER­NAR­DO

Au­to­ri­da­des de Por­to Am­boim pre­ten­dem de­vol­ver à re­gião o tí­tu­lo que os­ten­ta­va na épo­ca co­lo­ni­al de po­tên­cia da cul­tu­ra de al­go­dão

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.