Po­lí­cia de­te­ve os que as­sal­ta­ram o es­tá­dio do clu­be

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - ADOLFO MUNDOMBE | Caá­la

Um gru­po de seis jo­vens com re­si­dên­cia fi­xa no mu­ni­cí­pio da Caá­la as­sal­tou, na quar­ta-fei­ra, a sa­la de im­pren­sa e os dois ca­ma­ro­tes vip do Es­tá­dio Már­ti­res da Cañha­la, do Clu­be Re­cre­a­ti­vo da Caá­la.

De acor­do com a Po­lí­cia, os as­sal­tan­tes le­va­ram con­si­go ca­dei­rões, ca­dei­ras, ma­te­ri­al in­for­má­ti­co e de lim­pe­za e equi­pa­men­tos de som.

O por­ta-voz do Co­man­do Pro­vin­ci­al da Po­lí­cia Na­ci­o­nal, Mar­ti­nho Ca­vi­ta, dis­se on­tem ao Jor­nal de An­go­la que a cor­po­ra­ção já de­te­ve três dos ele­men­tos en­vol­vi­dos no assalto e con­se­guiu re­cu­pe­rar gran­de par­te dos bens rou­ba­dos.

Os res­tan­tes in­te­gran­tes do gru­po con­ti­nu­am em fu­ga.

Os mar­gi­nais, com idades en­tre os 15 e os 20 anos, fo­ram de­ti­dos qu­an­do co­mer­ci­a­li­za­vam os artigos rou­ba­dos no bair­ro Ca­lun­do, mu­ni­cí­pio do Huambo.

Adep­tos do clu­be dis­se­ram que o Es­tá­dio Már­ti­res da Cañha­la não dis­põe de um efec­ti­vo de se­gu­ran­ça ca­paz de as­se­gu­rar a sua in­vi­o­la­bi­li­da­de. O fac­to foi con­fir­ma­do por agen­tes dos Ser­vi­ços de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal, que pe­di­ram à di­rec­ção do clu­be que crie um cor­po de se­gu­ran­ça per­ma­nen­te.

A di­rec­ção do Clu­be Re­cre­a­ti­vo da Caá­la op­tou por não emi­tir qual­quer de­cla­ra­ção pú­bli­ca so­bre o rou­bo nas su­as ins­ta­la­ções. Mas o Jor­nal de An­go­la apu­rou que a se­gu­ran­ça vai ser re­for­ça­da.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.